Computador de 2 mil anos: cientistas finalmente descobrem o projeto do mecanismo de Antikythera

Por , em 14.03.2021
Uma visão "explodida" do mecanismo Antikythera. Crédito: Tony Freeth/UCL

Cientistas podem finalmente ter feito um modelo digital completo para o painel Cosmos de um dispositivo mecânico de dois mil anos chamado mecanismo Antikythera que acredita-se ser o primeiro computador do mundo.

Descoberto pela primeira vez em um naufrágio da era romana por mergulhadores gregos em 1900, os fragmentos de uma engenhoca do tamanho de uma caixa de sapatos, uma vez cheios de engrenagens e usados para prever os movimentos dos corpos celestiais, tem confundido e espantado gerações de pesquisadores desde então.

Os fragmentos descobertos compõem apenas um terço de um dispositivo maior: uma caixa de engrenagens altamente sofisticada movida à mão capaz de prever com precisão os movimentos dos cinco planetas conhecidos pelos gregos antigos, bem como o sol, as fases da lua e os eclipses solares e lunares.

No entanto, apesar de anos de pesquisa e debate minuciosos, os cientistas nunca foram capazes de replicar completamente o mecanismo que formou o dispositivo surpreendente, ou os cálculos usados em seu projeto, a partir do fragmento de latão corroído descoberto no naufrágio.

Mas agora pesquisadores da University College London dizem que recriaram totalmente o design do dispositivo, a partir dos cálculos antigos usados para criá-lo, e agora estão montando sua própria engenhoca para ver se seu design funciona.

“Nosso trabalho revela o Mecanismo Antikythera como uma bela concepção, traduzida pela engenharia soberba em um dispositivo de gênio”, escreveram os pesquisadores em 12 de março na revista scientific reports. “Desafia todos os nossos preconceitos sobre as capacidades tecnológicas dos gregos antigos.”

Esta é a maior peça do Mecanismo Antikythera de 2.100 anos, que está em exposição no Museu Arqueológico Nacional em Atenas, Grécia. (Crédito da imagem: Museu Arqueológico Nacional, Atenas, Grécia)

Por que recriar Antikythera?

Os pesquisadores queriam recriar o dispositivo por causa de todo o mistério em torno dele, como uma maneira de possivelmente chegar a base de tantas perguntas. Além disso, ninguém jamais havia criado um modelo do chamado Cosmos que se reconciliava com todas as evidências físicas.

“A distância entre a complexidade deste dispositivo e outras feitas na mesma época é infinita”, disse o coautor Adam Wojcik, cientista de materiais da UCL, ao Live Science. “Francamente, nada como ele já foi encontrado. É de outro mundo.”

As engrenagens intrincadas que compõem o mecanismo do dispositivo são de uma escala que você poderia esperar encontrar em um grande relógio carrilhão, mas as únicas outras engrenagens descobertas do mesmo período são muito maiores e eram usadas em coisas como ballistas, grandes bestas, e catapultas.

Essa sofisticação traz à tona um monte de perguntas sobre o processo de fabricação que poderia ter feito uma engenhoca tão singularmente intrincada, bem como por que foi descoberto como o único dispositivo conhecido do seu tipo em um antigo navio afundado fora da ilha de Antikythera.

“O que ele estava fazendo naquele navio? Só encontramos um terço; onde estão os outros dois [terços]? Eles se corroeram? Alguma vez funcionou? Wojcik disse. “São perguntas que só podemos responder através da arqueologia experimental. É como responder como construíram Stonehenge, vamos pegar 200 pessoas com uma corda e uma pedra grande e tentar puxá-la através da Planície de Salisbury. É mais ou menos o que estamos tentando fazer aqui.

Cada engrenagem no mecanismo mapeia o movimento de um corpo celestial. Crédito: Tony Freeth/UCL

Recriando o primeiro computador

Para criar o modelo, os pesquisadores se basearam em todas as pesquisas passadas sobre o dispositivo, incluindo a de Michael Wright, um ex-curador do Museu de Ciências de Londres, que já havia construído uma réplica funcional. Usando inscrições encontradas no mecanismo e um modelo matemático de como os planetas se moviam que foi criado pela primeira vez pelo antigo filósofo grego Parmenides, eles foram capazes de criar um modelo de computador de im mecanismo de engrenagens sobrepostas que se encaixam dentro de um compartimento de apenas 2,5 centímetros de profundidade.

Seu modelo recria cada engrenagem e mostrador rotativo para exibir como os planetas, o sol e a lua se movem através do Zodíaco (o mapa antigo das estrelas) na face frontal e nas fases da lua e eclipses na parte de trás. Ele replica a agora ultrapassada suposição grega antiga de que todos os céus giravam em torno da Terra .

Agora que o modelo de computacional foi feito, os pesquisadores querem fazer versões físicas, primeiro usando técnicas modernas para que possam verificar se o dispositivo funciona, e depois empregando as técnicas que poderiam ter sido usadas pelos gregos antigos.

“Não há evidência de que os gregos antigos foram capazes de construir algo assim. É realmente um mistério”, disse Wojcik. “A única maneira de testar se eles poderiam é tentar construí-lo da maneira grega antiga.”

“E também há muito debate sobre para quem era e quem o construiu. Muita gente diz que foi Arquimedes”, disse Wojcik. “Ele viveu na mesma época em que foi construído, e ninguém mais tinha o mesmo nível de habilidade de engenharia que ele. Foi também um naufrágio romano. Arquimedes foi morto por romanos durante o Cerco de Siracusa, depois que as armas que ele inventou falharam em impedi-los de capturar a cidade.

Mistérios também permanecem sobre se os gregos antigos usaram técnicas semelhantes para fazer outros dispositivos, ainda a serem descobertos, ou se cópias do mecanismo Antikythera estão esperando para serem encontradas.

“É um pouco como ter um TARDIS aparecendo na Idade da Pedra”, disse Wojcik, referindo-se à máquina do tempo do Doctor Who.

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!