Cientistas testam risadas computadorizadas

Por , em 26.07.2010

Seria divertido ver um robô jogar sua cabeça para trás e gargalhar convulsivamente. No entanto, temos que primeiro sintetizar um som convincente. E essa é uma tarefa difícil, dada a variedade dos nossos risos e gargalhadas.

Os seres humanos podem mudar o som da vogal da sua risada, desde “tee-hee” a “ho ho ho”, sendo que”ha ha ha” é a mais comum. Nós também variamos a prosódia – o som mais forte, o ritmo e a entonação – não só entre risos como durante eles, o que nos ajuda a transmitir características diferentes, tais como alegria e ridículo. Os gritos no riso, em que as pregas vocais vibram para dar um tom distinto do som, diferem de roncos e grunhidos, onde as pregas vocais não vibram.

Vários exemplos de risadas sintetizadas de investigadores de renome estão expostos em um experimento para testar a melhor. Cada risada biônica foi produzida usando uma técnica diferente, mas o objetivo é o mesmo: adicionar risada ao discurso de voz sintetizada para tornar o som mais natural.

Na Alemanha, por exemplo, modelaram os movimentos do trato vocal e fluxo de ar. Na França, por outro lado, criaram um algoritmo que transforma texto em fala, e em seguida altera a prosódia para tentar transmitir emoções diferentes.

Outro pesquisador alemão usa uma técnica chamada fala preditiva linear para codificar e gerar risos individuais (“ha”), e um algoritmo simples para controlar os períodos de riso. Na Bélgica, o investigador mistura e manipula risos únicos emitidos a partir de um riso real.

Qual técnica é mais eficaz? Você decide. A experiência online pode ser encontrada aqui. Você escuta um conjunto de sons, e depois a revelação se cada um deles é computadorizado ou um riso humano. Você é capaz de identificar as falsificações?[NewScientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Lucas:

    O link dá erro.

    • negative:

      é só apagar a parte inicial até o segundo www que encontrar no url, o enredeço original está lá

Deixe seu comentário!