Cinco maneiras pelas quais o Twitter revolucionou a forma como nos comunicamos

Por , em 25.04.2011

Há quem o ame, quem o odeie e quem ainda não sabe muito para que ele serve. Mas o fato é que o Twitter, o inovador microblog, que completa cinco anos de idade nesta semana, já transformou a forma como nos relacionamos com a internet.

No dia 21 de março de 2006, Jack Dorsey escreveu o post que deu início a tudo: “apenas configurando meu twttr” (“errado” assim mesmo). O blog oficial do Twitter reconhece como primeira a mensagem “convocando colegas de trabalho”, de Dorsey, apesar de ela ter sido, aparentemente, publicada alguns minutos depois.

Desde então, o site já recrutou cerca de 200 milhões de usuários, tornando-o um dos mais visitados serviços na web. Em honra ao seu quinto aniversário, preparamos uma lista das cinco maneiras como Twitter mudou o jogo da comunicação digital.

1. Tornou o já rápido fluxo de informações ainda mais rápido

É uma “novidade” de mais de uma década que a internet permite a rapidez na produção e consumo de informações – embora algumas delas não sejam de alta credibilidade…  Em todo caso, o Twitter potencializou essa característica.

No ovo que é o Twitter, bastam alguns poucos usuários com vários seguidores para que algo se espalhe de forma mais rápida e efetiva que qualquer outra ferramenta da internet. Com um clique, os seguidores compartilham a informação com seus próprios seguidores. E o circo pega fogo.

Como resultado, a notícia se espalha mais rápido que nunca. O fluxo de notícias em tempo real tem sido um instrumento de apoio em levantes populares como no Irã e no Egito, assim como uma ferramenta de valor inestimável para os esforços de captação de recursos para situações de crise como as inundações do ano passado no Haiti.

Por outro lado, um simples boatos pode se espalhar como verdade antes mesmo da verificação do fato. Várias celebridades já “morreram” no microbog e vão continuar a “morrer”…

2. Removeu o “filtro de celebridades”

Desde que o conceito de “celebridade” surgiu, apareceram também pessoas pagas para manter a pose dessas celebridades, e fazer de tudo para que elas não pareçam como bobas em público.

Felizmente para nós, o Twitter acabou tudo isso.

OK, não completamente. Mas os músicos, atores, atletas e outras estrelas que adotaram Twitter tendem a compartilhar um pouco mais sobre si do que a maioria dos publicitários apoiaria (até o polêmico ator Charlie Sheen tem um perfil no microblog).
E a relação mais próxima de fãs e artistas não se aplica apenas a escândalos, embora o público sempre se esbalde com eles.

Muitos escritores compartilham suas dicas com os fãs ou os deixam a par de seus recentes trabalhos. Outros astros batem papo com seus seguidores, dando acesso sem precedentes a fotos ou mesmo apenas atualizações em seu cotidiano – o suficiente para deixar muitos fãs nas alturas por ver seus ídolos de uma maneira que nunca pôde antes.

A desvantagem? Você é capaz de perceber que pelo menos um de seus atores favoritos escreve pior do que você. Ou que, talvez, o seu cotidiano seja mais interessante que o dele.

3. Criou “líderes de opinião”

A lista das cem contas mais populares do Twitter é dominada quase totalmente por celebridades e meios de comunicação tradicionais.

Mas não muito abaixo dos VIPs estão centenas de donos de blogs e jornalistas on-line que têm encontrado uma maior audiência no Twitter do que provavelmente teria sem ele.

Quando um único tweet coloca seus pensamentos na frente de centenas de milhares de pessoas, você é capaz de influenciar o pensamento e até as ações de sua comunidade inteira.

4. Ajudou na substituição da televisão

Com o Twitter, ninguém tem que assistir à TV sozinho.
Existem aplicativos móveis, que são adaptados para a televisão, filmes e outros entretenimentos. Porém, é difícil que se crie algo mais efetivo (e divertido) do que conversas em tempo real pelo Twitter.

Após a criação de diversas ferramentas para a gravação de programas de TV (como o TiVo, ainda pouco difundido no Brasil) e principalmente a popularização de downloads de filmes e séries da internet, começaram rumores sobre o fim da televisão ao vivo.

Entretanto, com o Twitter, assistir a um evento esportivo, premiação internacional ou mesmo um programa ao vivo permite ter uma conversa em tempo real com milhares de outros fãs que estão assistindo a mesma coisa que você.

Colocando a teoria em número, o tráfego de post no Twitter é trinta vezes maior do que o normal toda ver que o seriado “Glee” está passando na televisão norte-americana. Durante a disputa da final deste ano do campeonato de futebol americano, o Super Bowl, 4.000 tweets eram enviados por segundo.


5. Simplificou (ao extremo) as conversas

Alguns pensamentos simplesmente não podem ser resumidos em 140 caracteres.

Por toda a sua capacidade de fornecer informação de forma rápida e simples, os críticos argumentam que o Twitter tende a simplificar demais conversas na internet que mereciam ser mais completas e desenvolvidas.

Alguns blogueiros auto-conscientes têm admitido que, desde o site surgiu, eles estão mais propensos a tuitar um par de vezes sobre um assunto qualquer do que escrever um post completo.

Além disso, vários usuários famosos, na pressa de se expressar sobre o assunto em voga, tiveram de se retratar depois de um tweet mal interpretado – ou apenas para corrigir sua gramática e ortografia mal-feitas. Às vezes, eles até mesmo inventam palavras.

Outra característica do microblog é que ele permite que políticos e outras personalidades famosas, acostumadas a serem o centro das atenções, expressem sua opinião através de tweets – porém, sem precisar abrir espaço para perguntas ou ter de explicar plenamente as suas mensagens. [CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • Ceticista:

    Douglas vou fazer uma conta nesse tal de tuíte, e seguir voce!

  • Douglas Miranda:

    Sempre leio as atualizações de quem sigo. E como ninguém me segue, não posto nada. Não aprendi usar o Twitter por completo ainda! rs..

  • cybergirl:

    Não tenho e nunca terei twitter. Pra que alguém precisa saber se estou no curso de chinês, ou na boite, ou no supermercado comprando bacalhau?

Deixe seu comentário!