Cirurgia preventiva é o melhor caminho para mulheres com risco de desenvolver câncer de mama e ovário

Por , em 6.09.2010

Mulheres com mutações genéticas que aumentam o risco de câncer de mama e de ovário podem reduzir esses riscos se retirarem os seios ou os ovários preventivamente. A cirurgia preventiva não só diminui o risco da doença, como também diminui significativamente o risco de morte pela doença.

Segundo estimativas, entre 56 e 84% das mulheres com uma mutação (chamada BRCA) desenvolverão câncer de mama em sua vida, enquanto 36 a 63% com outro tipo de mutação genética (BRCA-1 e 10 a 27% das mulheres com a mutação do BRCA-2) desenvolverão câncer de ovário.

As opções para as mulheres com a mutação são três: cirurgia preventiva, quimioterapia preventiva, ou um esquema de triagem que inclui mamografias frequentes (técnicas de blindagem, que segundo os médicos, são menos eficazes para o câncer ovariano do que para o câncer de mama).

Uma pesquisa recente sugeriu que, para as mulheres que tiverem mutações do gene BRCA-1 ou BRCA-2, a cirurgia é mais eficaz do que uma blindagem rigorosa na prevenção do câncer.

Das 5.000 participantes do estudo, nenhuma das que fez cirurgia de mastectomia preventia desenvolveu câncer, enquanto que 7% das que optaram por só fazer blindagem desenvolveram.

1% das mulheres que tiveram pelo menos um dos ovários e trompas de falópio removido tiveram câncer ovariano, comparado com 6% das que não fizeram a cirurgia. Além disso, as mulheres que fizeram a cirurgia diminuíram o risco de morrer de câncer de ovário e de mama em 79% e 56%, respectivamente.

Porém, fazer a cirurgia preventiva pode ser uma decisão angustiante para muitas mulheres, uma vez que pode afetar tanto sua aparência (no caso da mastectomia) ou sua capacidade de ter uma família (no caso da remoção dos ovários). Poucas jovens no estudo optaram pela cirurgia, mesmo que os médicos tenham aconselhado o procedimento.

Ainda assim, a redução de risco com a cirurgia, em ambos os casos de câncer, foram comprovados. Segundo os pesquisadores, as mulheres que estão considerando a possibilidade de ter essas cirurgias devem ter em mente que as técnicas cirúrgicas estão mais sofisticadas e menos invasivas hoje do que eram 10 ou 15 anos atrás. Segundo eles, hoje há melhoras consideráveis nas abordagens cirúrgicas, especialmente em termos de reconstrução da mama. Portanto, esse continua sendo o melhor caminho. [CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

4 comentários

  • Anna Pooh:

    É uma decisão complicada, vocês não fazem ideia do quanto…
    Sofro com problemas ovarianos desde que me conheço como mulher rs, aos 18 anos uma medica renomada indico a tirada dos meus dois ovários, obvio que não o fiz. Tinha sonho de casar e ser mãe, mesmo parecendo impossível.
    Hoje, perto de completar 35 anos, com 11 anos de casada, sou bem feliz mesmo não tendo vivido o sonho da maternidade. Mas ainda assim, tirar meus ovários me parece agressivo demais.
    Tinha muito medo de câncer mamário, sempre ouvi que mulheres com seios volumosos tem uma tendencia maior, depois de muito relutar fiz uma bateria de exames completos e graças a Deus minhas mamas são perfeitas, como disse a medica, ” tenho uma saúde mamaria invejável, tanto quanto o aspecto externo”, ao menos isso rs.
    Tudo deve ser pensando. Acima de tudo tem que ser positivo, cuidar e amar a si mesma e ser feliz!

  • Renata Angeli:

    E no Brasil onde é possível fazer essas cirurgias preventivas?

  • nelson pereira:

    pode ser uma hipotese, mas que é muito complicado para a mulher dicidir, isso é

  • anderson:

    Ótima matéria, principalmente para mulheres poderem pensar nessa possibilidade, eu que estudo na área da saúde sei como é difícil uma decisão dessa. é uma grande mudança de vida. \/..

Deixe seu comentário!