As 10 mais mortais modas da internet

Por , em 16.11.2018

A internet representa um dos avanços mais incríveis já feitos pela humanidade. Seu desenvolvimento e sua expansão certamente criaram uma nova era do conhecimento. Infelizmente, porém, a internet também fez com que outras coisas além do conhecimento se espalhassem – entre elas a estupidez humana.

Estas imagens raramente vistas mostram como a internet realmente parece

O site Listverse juntou as 10 correntes mais perigosas já espalhadas na rede mundial de computadores, principalmente entre crianças e adolescentes, todas com resultados terríveis: ferimentos graves, cicatrizes físicas e até mesmo a morte.

10. Momo

O Momo está associado ao suicídio de dois adolescentes e uma criança. Ele é um jogo de desafios que se tornou popular na América do Sul, Ásia, México, França, Alemanha e Estados Unidos. Os jogadores são encorajados a entrar em contato com um número no WhatsApp que chega até o “Momo”, e passam a receber mensagens assustadoras de terror com o próximo desafio. Os desafios incluem autoflagelação, assistir filmes de terror e acordar em horários incomuns. Os jogadores recebem ameaças de que suas informações pessoais serão vazadas se não se comprometerem com as tarefas. O desafio final é cometer suicídio.

Na Índia, um menino de 18 anos foi encontrado pendurado em um galpão perto de sua casa em Kurseong, em agosto deste ano. As paredes do galpão estavam cobertas de pichações relacionadas ao jogo. Em setembro, um menino de 16 anos e uma menina de 12 anos cometeram suicídio na Colômbia, e os investigadores descobriram atividade ligada ao jogo em seus telefones.

Os responsáveis pelo jogo ainda não foram encontrados.

9. Desafio da Baleia Azul

Em 2016, um fenômeno das redes sociais conhecido como o Desafio da Baleia Azul se tornou viral com conseqüências trágicas. O jogo sinistro começa com os jogadores seguindo um perfil nas redes sociais que atribui tarefas aos jogadores em um período de 50 dias. Essas tarefas incluem autoflagelação e terminam com o suicídio. O jogo está ligado a 130 mortes na Rússia.

No início de 2018, os corpos de duas meias-irmãs, Maria Vinogradova, de 12 anos, e Anastasia Svetozarova, de 15 anos, foram encontrados na neve do lado de fora de seu apartamento em Izhevsk, na Rússia. Acreditava-se que ambas haviam pulado do telhado de dez andares e que seus suicídios estavam ligados ao Desafio da Baleia Azul. Antes de sua morte, a irmã mais nova postou uma foto de seu namorado nas mídias sociais com a legenda: “Perdoe-me, por favor. Eu te amo muito. Eu sei que você encontrará alguém melhor que eu”.

8. Planking

Planking é uma espécie de meme que envolve tirar uma foto de alguém deitado de bruços, com os braços colados ao corpo e o rosto encostado na superfície. Em apenas algumas semanas, uma onda de fotos assim tomou conta da internet, o que transformou o planking em um fenômeno. Para os praticantes, quanto mais incomum a localização, melhor. Embora a brincadeira fosse destinada a ser divertida e inofensiva, as pessoas começaram a procurar locais perigosos para fazer o truque.

Em 2011, a brincadeira fez uma vítima quando um jovem de 20 anos chamado Acton Beale, de Queensland, na Austrália, caiu de uma varanda em Brisbane em uma tentativa de fazer o Planking. Em uma página do Facebook criada em sua memória, um amigo escreveu: “Aqueles que realmente conheciam Acton se lembrarão dele por muito mais do que um pequeno momento de erro de julgamento”.

7. Selfies extremas

As selfies são um fenômeno por si só, mas algumas pessoas não sabem onde fica o limite, e algumas delas acabaram pagando por isso com suas próprias vidas. Um estudo relatou que entre março de 2014 e setembro de 2016, houve 127 “mortes de selfie” em todo o mundo.

Entre os casos de morte por selfie, há uma grande variedade de motivos: fotos com armas que são disparadas por acidente, quedas em rios, quedas de penhascos, eletrocutamento, etc.

Perigo: porque os pais devem respeitar o limite de idade das redes sociais

O estudo também revelou que a Índia era o país com o maior número de selfies fatais, o que levou a polícia indiana a tomar medidas de segurança para impedir que as pessoas tirem selfies em pontos perigosos. “Nós implantamos [proteção policial] em pontos de selfie quando a maré está alta. Quando o tempo está difícil, pedimos às pessoas que não se aproximem do mar para tirar selfies. O pessoal está suficientemente informado para não deixar as pessoas fazerem acrobacias perigosas”, disse à imprensa local o vice-comissário da polícia.

6. Slender Man

Várias histórias passaram a circular online sobre o Slender Man, uma lenda urbana sobre uma figura alta e sem feições que persegue e sequestra crianças. Mas isso só causou problemas na vida real em 2014, quando Morgan Geyser e Anissa Weier, ambas com 12 anos na época, atraíram uma amiga para a floresta em Waukesha, no estado americano do Wisconsin, e a esfaquearam 19 vezes. A vítima, que também tinha 12 anos, conseguiu se arrastar até a beira da estrada, onde conseguiu ajuda. A menina se recuperou de suas feridas quase fatais.

Após o esfaqueamento, Geyser e Weier partiram a pé para encontrar o Slender Man em uma floresta a 500 quilômetros de distância.

Ambas as crianças foram enviadas para instituições mentais, e os psicólogos descobriram que Weier apresentava “uma capacidade diminuída para determinar o que é real e o que não é”. A jovem disse temer que, caso não realizasse o esfaqueamento, o Slender Man iria machucar ela e sua família”.

5. Punch 4 Punch (soco por soco)

Competições de força e masculinidade são bem anteriores à internet, mas um jogo chamado Punch 4 Punch trouxe as coisas para o mundo online. Em 2014, um homem de 23 anos chamado Tommy Main entrou em colapso e morreu após um jogo letal de Punch 4 Punch.

A morte trágica apareceu quando os vídeos circularam on-line de pessoas que participam de brigas ao estilo Clube da Luta: dois jogadores se revezam um contra o outro até que um deles eventualmente pede para parar. Os golpes violentos devem supostamente seriam apenas no braço ou no ombro do adversário, no entanto alguns jogadores recebem golpes no rosto e no estômago, enquanto em outras variações os participantes têm um braço amarrado nas costas. O perdedor tem que tipicamente pagar uma prenda que envolve o consumo de álcool. Os primeiros vídeos são de 2009.

4. Desafio dos Lábios

Uma das tendências mais bizarras nas redes sociais nos últimos anos foi o Kylie Jenner Lip Challenge (Desafio dos Lábios de Kylie Jenner). Inspirados nos lábios abundantes da celebridade, seus seguidores começaram a tentar obter o mesmo visual sugando copos, garrafas e potes. O efeito de sucção leva o sangue para os lábios, criando a bizarra aparência desejada. No entanto, a brincadeira levou a muitos ferimentos e algumas pessoas chegaram a ficar com cicatrizes permanentes. Fotos de vítimas do desafio foram compartilhadas nas redes sociais e mostraram que os lábios de algumas pessoas estavam ficando negros.

Os médicos alertaram que a sucção causa micro-trauma aos vasos, cicatrizes, hematomas (coagulação) ou fibrose (espessamento do tecido).

3. NekNominate

O NekNominate é um drinking game que virou uma mania na Internet em 2014 e resultou em várias mortes. O jogo envolve pessoas sendo indicadas para beber certa quantidade de álcool. O ato era filmado e colocado on-line para outras pessoas verem. Depois, a pessoa que cumpriu o desafio indicava o próximo desafiado.

30 fotos de pessoas brincando com o perigo que vão te deixar com o coração na mão

Frequentemente, os jogadores tentavam superar os feitos de seus amigos, e era aí que morava o perigo. Entre os mortos pelo jogo estava o ex-jogador de rugby britânico Bradley Eames, de 20 anos, que filmou a si mesmo tomando dois copos de gim – ele morreu quatro dias depois. Além disso, outro jovem de 20 anos, chamado Issac Richardson, morreu depois de beber um coquetel de vinho, uísque, vodka e cerveja como parte de um desafio da NekNominate.

2. Tombstoning

Nos últimos anos, adolescentes e jovens adultos começaram a filmar um ao outro saltando de um penhasco conhecido como Dead Man’s Cove, em Devon, na Inglaterra. Logo isso se espalhou por outros cantos. Múltiplas lesões e mortes têm sido associadas a práticas assim, conhecidas como tombstoning, que envolve o salto para a água a partir de um ponto alto, com o corpo em posição rígida e vertical. A queda de 20 metros em Devon foi fatal para um homem de 39 anos, que caiu para a morte tentando realizar o tombstoning. Outras vítimas incluem um adolescente que quebrou o pescoço em três lugares e um homem de 25 anos ficou paralisado depois de saltar do mesmo local.

“Saltar de piers, penhascos, rochas ou outras estruturas para o mar pode ser muito perigoso. A profundidade da água pode mudar drasticamente com a maré, e o que era uma piscina funda na hora do almoço pode ser uma poça rasa na hora do chá. O choque da água fria pode tornar difícil nadar em segurança e correntes fortes podem rapidamente afastar as pessoas”, alertam a Agência Marítima e de Guarda Costeira da Inglaterra

1. Surfe no metrô

Algumas práticas seriam surpreendentes se não levassem à morte ou a ferimentos graves. O surfe em cima dos trens do metrô era popular nos anos 80, e agora a tendência ressurgiu. A cidade de Nova York tem visto um aumento no número de “surfistas”. Os aventureiros locais tentam agarrar-se a trens em movimento, seja na parte de trás do carro ou em cima do teto.

Em 2016, Christopher Serrano, de 25 anos, morreu ao tentar surfar no metrô nova iorquino. Ele foi morto enquanto tentava subir em cima de um trem no Brooklyn por volta das 5:00 da manhã. Serrano estava viajando com uma amiga quando se colocou entre os dois carros em movimento e subiu no topo. Investigadores acreditam que Serrano pode ter sido atingido por algo quando o trem estava em movimento, o que o derrubou. Ele foi declarado morto no local. Sua morte é um lembrete trágico de que ninguém deveria tentar o mesmo truque nos metrôs ou em outros meios de transporte público. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (19 votos, média: 4,74 de 5)

Deixe seu comentário!