Cuidado, o seu livro de receitas pode te fazer pegar salmonela

Por , em 19.07.2019

Práticas inseguras de manipulação, descongelamento, cozimento e limpeza de superfícies e utensílios contribuem para muitos casos de intoxicação alimentar.

Um erro comum de quem não segue instruções de preparo e que pode causar salmonelose é preparar o nuggets de frango no micro-ondas ou só esquentá-lo. Nesses dois casos, se a bactéria da Salmonella estiver presente, ela não morre porque a carne não atingiu a temperatura mínima e pode causar gastroenterite, septicemia ou febre entérica, que são especialmente perigosas para crianças, idosos e gestantes.

Mas mesmo quando a pessoa segue receitas com muito cuidado, erros graves ainda podem acontecer. Por isso, é bom ter uma educação básica sobre temperaturas mínimas necessárias para matar certos germes perigosos que habitam alimentos crus.

Não confie em todas as receitas

Um estudo da Universidade de Guelph (Canadá) analisou 19 livros de receitas canadenses que incluíam orientações para preparar carnes e frutos do mar. Foi observado que 10% dessas receitas tinham instruções inseguras de preparação de alimentos.

Algumas instruções orientavam de forma incorreta sobre o descongelamento ou preparação dessas carnes. Apenas 8% das receitas diziam que é importante usar um termômetro para alimentos para verificar se o centro da peça atingiu a temperatura necessária.

Além disso, 96% das receitas traziam a temperatura incorreta de cozimento ou não continham a temperatura interna da carne. Este problema foi bastante frequente em receitas de carne de porco.

Você nunca deve se guiar pela cor da carne para concluir se ela está cozida ou não. Por exemplo, ao refogar carne moída, a carne normalmente fica marrom antes de atingir a temperatura de 71ºC, o ponto necessário para matar a bactéria E. Coli.

É possível que autores de livros de receitas não tenham as informações necessárias para segurança alimentar porque eles podem ter treinamento insuficiente na área.

Chefes-estrelas também cometem erros

Em um outro estudo conduzido nos Estados Unidos, os pesquisadores analisaram as orientações de preparação de carnes em 100 episódios de programas de culinária de TV conduzidos por 24 chefes-celebridade.

A conclusão foi que mesmo esses chefes cometeram erros que podem causar contaminação alimentar. Vários deles adicionavam alimentos nas receitas com as mãos ao invés de usar os utensílios corretos, provavam o alimento com as mãos,  tocavam no próprio cabelo e até lambiam os dedos.

Como ficar seguro na cozinha

Aqui estão as seis medidas de segurança mais importantes que os livros de receita devem incluir, nem que seja na introdução do livro:

  1. Lave as mãos antes de começar a preparação, especialmente quando pegar em alimentos crus como carne e frutos do mar;
  2. Use pratos, tábuas e facas diferentes para alimentos crus e alimentos já cozidos;
  3. Use um termômetro para carnes para garantir que a temperatura interna atingiu 71ºC para hambúrgueres, 74ºC para peças de aves e 82ºC para aves inteiras;
  4. Descongele as carnes na geladeira, nunca no balcão ou pia da cozinha;
  5. Não deixe alimentos na temperatura ambiente por mais de duas horas;
  6. Não lave carnes cruas, porque este procedimento apenas espalha bactérias que são eliminadas no cozimento correto;

Ou seja, siga essas quatro palavras-chave: Limpe, Separe, Cozinhe e Resfrie. [Science Direct, Journal of Public Health, Journal of Public Health, The Conversation]

Três alimentos que não são seguros para comer

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!