Tribo indonésia amputa os dedos para demonstrar sofrimento

Por , em 18.12.2011

Pode parecer absurdo para nós, mas em algumas culturas, a amputação é uma forma comum de luto.

A prática é mais usada pela tribo Dani, na Indonésia. Os membros desta tribo cortam seus dedos como uma forma de mostrar sua dor e sofrimento nas cerimônias de funeral.

Junto com a amputação, eles cobrem seus rostos com cinzas e barro, como uma expressão de tristeza.

As mulheres, em sua maioria, eram sujeitas a este ritual doloroso. As crenças religiosas da tribo exigiam este tipo de rito. Se a pessoa falecida era considerada poderosa, acreditava-se que os seus espíritos conteriam poder igual. A fim de apaziguar e afastar esses espíritos, várias práticas chocantes eram feitas.

Meninas que se relacionavam com os mortos de alguma forma tinham a parte superior de seus dedos cortados. Antes de serem cortados, os dedos eram amarrados com uma corda por mais de 30 minutos. Após a amputação, as pontas dos dedos eram queimadas e as cinzas enterradas em uma área especial.

Outra explicação oferecida para o ritual é que a dor física simboliza o sofrimento e a dor devido à perda de um ente querido. Nesse caso, o dedo pode ser cortado por um familiar próximo, como a mãe, pai ou um irmão.

Em um ritual similar bizarro, as pontas dos dedos mindinhos de bebês eram arrancadas por suas mães. Essa prática pode ter se originado em um tempo em que a maioria dos recém-nascidos morriam por causas diversas. A esperança era de que, tirando a ponta do dedo do bebê, ele viveria mais tempo.

Hoje em dia, essa ritual é banido. Ainda assim, é bem fácil notar as mulheres anciãs da tribo sem a ponta dos cinco dedos.[OddityCentral]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

32 comentários

  • Natali Araujo:

    Olhem que interessante: existem outras culturas além da nossa, sabiam? Não? É, eu estou vendo que não. Parem de ser tão ignorantes e preconceituosos.
    E vão estudar um pouco de sociologia, vão.

  • Davi B da silva Bispo:

    A crença religiosa, seja qual for, cega as
    pessoas p/ a realidade da vida…….

  • Paulo:

    Sempre tem um idiota para transformar sua idiotice em algo sagrado.

  • Ligyane:

    Misericórdia, além da dor emocional, tem a dor física? Aish, é cada coisa nesse mundo, tão bizarra quanto aquela de cortar o clítores das meninas pra que elas não possam ter prazer, o que é um crime, independentemente de uma desculpa “cultural”.

  • Jhonatas:

    CruzCredo só pq alguéém morreu eu teria que cortar meu dedo, pra que, se eu cortar os dedos a pessoa que morreu num voltaria!!!

  • bella:

    essas coisas é pra loko,eu q não amputaria meus dedos só pq alguem morreu. Todo mundo morre um dia não tem como escapar.Eu não gostaria q quando eu morresse minha familia cortasse os dedos, além da dor da perca (sentimental) ainda sentir dor de cortes (fisica).nunka.

  • fernando:

    a mutilação é mais pra eles pararem de se masturbar e ir atrás de mulher

  • Zeca:

    Religião, religião, religião! Sempre religião..

  • magoado:

    tem que cortar o pinto….dai param de fazer besteira
    principalmente filhos para cortar os dedos….!!!

  • Elzebia:

    Isso tem nome: Chama-se “Ignorantes”.
    Podemos chamar também de “idiotas”.
    Quem arruma a cozinha, quem faz o almoço para os suicidas de dedos?

    • Paulo:

      Alguns chamam de pessoas com fé.

  • Ratão de esgoto:

    As pessoas queridas que morrem não querem nos ver sofrer por eles! Pelo contrario, querem nos ver felizes, e revelas do jeito que eram antes, se eu morresse não ficaria feliz de ver alguem que amo se multilando por minha causa! Não faz sentido cometer uma atrocidade dessas.

  • Eddy:

    Existem culturas onde os ladrões possuem toda a assistência social inimaginável, mais inclusive que as famílias dos polícias e vítimas que eles roubam ou matam. Bizarro né!!!!
    Ou seja, atrocidade é algo bastante comum na cultura chamada humana.

  • ALX:

    CADA UM COM SUA VIDA, ESSE MUNDO NÃO TERIA GRAÇA SE NÃO FOSSE ESSAS CULTURAS DIFERENTES.

    • Marcelo Maurício:

      E continua não tendo graça com estas culturas bizarras que fazem o ser humano sofrer.

  • Pacote de Biscoito:

    cada um faz oq quer da vida.
    agora com bebes ja e coisa para se pensar e se revolta…

    • jm:

      MUITAS VEZES ELES VÃO CONTRA SUAS VONTADES!

  • Matheus:

    Pelo menos esse site tem visitantes mais inteligentes, li a alguns dias em outro site, lá já veio gente ignorante dizendo coisas como “nunca vão obrigar-me a respeitar uma cultura tão idiota”

    • Marcelo Maurício:

      Eu também não respeito culturas que impõem sofrimento ao ser humano.

  • Rone:

    O post é interessante,… notaram que faziam isso( ou fazem escondido ainda em lugares remotos) “A fim de apaziguar e afastar esses espíritos”. O principio de que alguem morre e precisa “apaziguar seu espírito é comum,inclusive aqui no Brasil. Se voçê algo necessario e correto, a Bíblia mostraria isso.Há práticas que perduram na hitória da humanidade por causa da conveniência de cada pessoa,tribo ou religião..
    É a mesma coisa com relação á política…

    • Rone:

      Correção do post anterior.. ( Não é preciso apaziguar quem já morreu..não existe essa necessidade. A alma morre, a alma é a prória pessoa. em enciclopédias conceituadas confirmam essa questão )

  • Xico:

    Uma época eu defendia as diferentes culturas, mas hj em dia eu acho uma besteira isso, uma ignorância, um bando de bárbaro, isso é o de menos entre as barbáries cometidas por aí por causa das tais CULTURAS….

    • Everaldo:

      Não creio que haja um meio termo entre preconceito e relativismo cultural.

  • Miguel:

    Que horror, deve ser horrivel ser amputado dessa maneira e ficar sem as pontas dos dedos!

  • Flor de Lis:

    Cada um com sua mania. Eu hein!

  • Everaldo:

    Não devemos fazer comparação entre culturas. É o modo que eles encontraram para expressar o sofrimento.

    • anita:

      Talvez realmente não devemos fazer comparação entre culturas… Agora, entre pessoas eu acho que sim, heim? Uma pessoa não é uma identidade, uma cultura em si, uma tribo, uma etnia, nação ou religião. Uma pessoa não é um conceito abstrato. Uma pessoa é uma pessoa. E as pessoas são diferentes. Elas podem ter tantas coisas em comum quanto N outras coisas que as diferem. E partindo deste princípio, quem garante que a senhora da foto queria ter os falanges amputados?! Seria somente ela. Você é uma pessoa, eu sou uma pessoa a senhora é outra pessoa e nós três vimos de culturas completamente diferentes. Suponho que você(s) não queriam ter os dedos amputados assim como eu não quero. Será que a senhora queria? Outro exemplo, que não envolve amputação: Digamos que você seja de goiás e deteste sertanejo ou seja de mossoró (RN) e deteste forró. Ambos os estilos musicais são culturais. Só porque você faz parte de X cultura quer dizer que você aprecia estes estilos que citei acima? As características culturais são poucas e vagas, nunca absolutas. Igualmente, uma cultura não é estática, pois as pessoas obviamente não o são. Pense(m) nisso.

    • Everaldo:

      Também acho isso. Creio que eu não sobe me expressar direito.
      Mas a questão é: e se algum de nós tivesse nascido em lugar desses? Não sabemos o que aconteceria se contrariássemos aquela “regra”. Nossos pais e avós sempre acreditavam nisso. E agora um indivíduo na nova geração quer contrariar? Penso que a maioria de nós acabaria por aceitar essa imposição. Até porque a maioria acredita nisso; e para alguém de outra cultura querer mudar esse comportamento seria muito difícil (ainda bem que ele não existe mais, mas algo parecido ocorre em algumas tribos indígenas brasileiras. Mas mesmo sendo um comportamento que consideramos errado, é compreensível, pois eles creem nisso; e para mudar a opinião deles começaríamos uma guerra.)

    • Marcelo:

      Realmente culturas são diferentes e não devem ser comparadas, vimos por aí tantos povos que realizam rituais estranhos, mas não somente estes, pessoalmente eu acho um tanto estranho pessoas de nossa própria cultura como os Rip ou Metaleiros, que colocam brincos e piercings que as vezes são aberracionais, mas acham correto, até mesmo comparando, o ato de fazer uma tatuagem, que é, em vezes, bastante dolorida e não pode ser removida posteriormente, isso simplesmente para realizar um desejo pessoal, não cultural, é um ato que para mim eu sei que não agrada, mas quem gosta, usa ou faz, então quem seria eu pra avaliar ou julgar…

  • Johnny:

    Pode isso, Arnaldo?!!?

  • Lucyano Valdez:

    Que Nojo!!

  • Karlloz:

    Que coisa mais bizarra!

Deixe seu comentário!