Descobertas galáxias sem estrelas nos limites do universo como teoricamente previsto

Por , em 22.11.2012

Galáxias escuras são galáxias que praticamente não têm estrelas (por isto são chamadas de escuras). Pela teoria, antes de se formarem as primeiras estrelas, enormes massas de gás deveriam se reunir em gigantescas nuvens, formando assim as primeiras galáxias.

Encontrar estas galáxias, previstas teoricamente, até hoje tem se mostrado um desafio e tanto. Para buscá-las, Sebastiano Cantalupo, astrônomo da Universidade da Califórnia, Santa Cruz (EUA), e sua equipe resolveram se aproveitar de uma das mais brilhantes fontes de luz no cosmo, um quasar conhecido como HE0109-3518.

Localizado a 11 bilhões de anos-luz de distância, HE0109-3518 brilha com a intensidade de cem trilhões de sóis e ilumina sua vizinhança galáctica em um raio de dez milhões de anos-luz.

Utilizando o VLT – Very Large Telescope (“Telescópio Bem Grande”), no Chile, os astrônomos fizeram imagens de longa exposição da área em torno do quasar, e detectaram uma dúzia de objetos que podem ser as galáxias escuras.

Na figura, vemos o quasar marcado com um círculo vermelho, e os candidatos a galáxia escura marcados com círculos azuis. O trabalho de Sebastiano Cantalupo, Simon Lilly e Richard Book deve ser publicado em uma edição futura do Monthly Notices of the Royal Astronomy Society (Notícias Mensais da Sociedade Astronômica Real).[National Geographic, io9]

Mistério do hidrogênio desaparecido

Outro mistério que os cientistas têm tentado desvendar é por que ninguém consegue detectar o hidrogênio que estaria formando estrelas nas regiões mais antigas e distantes do universo. Enquanto a teoria dita que uma certa quantidade do gás deve estar presente nessas regiões, os pesquisadores só eram capazes de detectar um número muito menor.

O Dr. Stephen Curran, da Escola de Física da Universidade de Sydney, e o Dr. Matthew Whiting, da Ciência Espacial e Astronomia do CSIRO (“Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation” – Organização de Pesquisa da Comunidade Científica e Industrial, a agência espacial da Austrália) criaram um modelo que mostra como buracos negros supermassivos, escondidos no centro de cada galáxia ativa (quasares), podiam ionizar todo o gás no seu entorno, até mesmo nas maiores galáxias sem estrelas.

Quando ionizado, o hidrogênio perde um elétron, e fica agitado demais para permitir o colapso da nuvem de gás, que daria origem a uma estrela. Além disso, o hidrogênio ionizado não pode ser detectado através das ondas de rádio de 21 cm (que os cientistas estavam usando para procurá-lo).

A ionização das nuvens de hidrogênio é causada pela radiação ultravioleta extrema emitida pela matéria que está caindo no buraco negro a velocidades próximas da da luz, e é um ultravioleta tão poderoso que consegue ionizar todo o gás mesmo nas maiores galáxias.

O resultado é que as nuvens de gás nesta situação não formam estrelas. Para começarem a formar estrelas, é preciso um evento externo, como uma fusão com outra nuvem de gás. [DailyGalaxy]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (11 votos, média: 4,64 de 5)

15 comentários

  • Raphaél Maldonado:

    impressionante!!! O universo é muito maior do quaquer ser humano pode imaginar….

  • Jaime Junior:

    Como é que se sabe que fica no “limite do Universo?”

    • Robermar Vieira:

      Eu não vou responder a esta pergunta, mas gostaria de ampliá-la, pois se há um limite do Universo, o que há além desse limite?

    • Celso Arai Jr.:

      O limite do universo que a matéria está se referindo é quanto ao universo visivel que é de aproximadamente 13 bilhões de anos luz, ou seja, a idade do universo.

    • icarofsx:

      Cuidado. Medida de tempo (a idade) e medida de distância (universo observável) são coisas diferentes. O universo possui 13,7 bilhões de anos (medida de tempo). Mas seu comprimento, se assim podemos chamar, ultrapassa os 45 bilhões de anos-luz (medida de distância). Portanto, a expressão “universo observável” fez referência a porção do universo que sua luz chegou até nós. É possível inferir que, para além desse horizonte, as luzes de estrelas e galáxias não tiveram tempo de chegar até nós. Portanto, o universo pode ser muito maior do que o nós enxergamos.

  • Lucas Noetzold:

    Nuvens de gás do tamanho de galáxias, isso sim é nebulosa…

  • Rone Firmino:

    Um brilho de cem trilhões de sóis vindo de um unico Quasar. Que significa quase estrela. Acredito que a tradução esta correta. Mas a interpretação dos astronomos não . Uma galaxia tipica como a nossa tem + ou – 400 bilhões de estrelas ou ” sóis”. É um numero absurdamente grande e com luminosidade monstruosa se tudo estivesse em um unico lugar. Mas não está. E é claro que iluminar o espaço em um raio de 10 milhões de anos luz com 100 trilhões de estrelas como o Sol, o objeto teria de ser muio massivo com o equivalente a mais de 200 Galaxias. Seria isso mesmo? Alguem poderia acrecentar algo…?

    • Lucas Noetzold:

      Um quasar não gera energia apartir de fusão nuclear como as estrelas, e além disso, mesmo que gerasse a partir de fusão violando algumas leis da física, todas as estrelas juntas brilham mais do que a soma de seus brilhos separados (por fatores como pressão e temperatura).

  • HFC:

    O mais interessante é que a descoberta dessas galáxias compostas basicamente por gás e núcleos densos gigantescos foi feita por um observatório terrestre no Chile.

    • Robermar Vieira:

      Esse observatório terrestre no Chile está situado a uma altitude de 5.000 metros, no Deserto do Atacama, tendo condições climáticas e ambientais muito exclusivas, porque o Atacama é o deserto mais seco do mundo e não há poluição. Esse observatório foi construído em consórcio com vários países e no estado de arte da tecnologias, sendo 10 vezes mais preciso que o Hubble, que está no espaço, porém sua tecnologia foi superada, apesar de prestar, ainda, serviços à astrofísica. Espero que isso ajude de alguma forma.

  • HFC:

    [mode cria maluco on]
    É tudo mentira desses darwinistas do demônio que negam a Jesus, o nosso Senhor e Salvador! Onde já se viu uma explosão num ferro velho formar um avião !!!
    [mode cria maluco off]
    Eu “me si divirto” com isso e com as bobagens de gente com teorias da conspiração na cabeça!!!

    • Robermar Vieira:

      Não deveríamos agir com fanatismo e atacar os outros dessa maneira como vc faz. Sem querer polemizar, penso que as religiões também criam muitos problemas para a Humanidade, daí penso que se conseguíssemos desenvolver uma Sociedade Ética, seria preferível a qualquer Sociedade Religiosa, com seus dogmas inflexíveis. Apesar de tudo, há o mistério e a Ciência não oferece respostas absolutas e quando tenta fazê-lo corre o risco de ter que revisar as suas conclusões.

    • HFC:

      Fanatismo seria não se dar as ideias defendidas o potencial de que as mesmas estejam erradas. Não há fanatismo na gozação que fiz, repetindo uma tolice reiterada por inúmeros criacionistas, numa representação distorcida do que afirmam a TE, o conhecimento geológico, a astrofísica e dezenas de outros modelos científicos.

      O pretenso “risco de revisar” é exatamente a diferença que constitui autocrítica, parte essencial da ciência e de todos os métodos de pensar onde se efetivamente pode chegar a melhores respostas e melhores perguntas.

    • Charlie Timao Timao:

      as relgioes sao todas farinhas do mesmo saco e se julgam como vc q sao a certa kkkk. sao diferentes e tao iguais oram em pé, de joelhos kkkk proibem de tudoo ora va estudar amigo, primeira missa no Brasil primeiro indio morto kkkkkk

  • Andre Luis:

    Incrível a precisão destes astrônomos. Identificam várias caracteristicas relevantes em alguns pixels de imagem! Para se tornar um astrônomo profissional deve levar muitos anos!

Deixe seu comentário!