É possível morrer de insônia?

Por , em 28.06.2010

Uma noite mal dormida pode causar vários transtornos durante o dia e, com certeza, faz com que a tarde no trabalho seja ainda mais difícil. A insônia também está ligada a vários problemas físicos. Mas será que é possível morrer por não dormir?

Segundo especialistas, o medo de morrer ou de passar muito mal porque não consegue dormir é natural de qualquer insone. Uma pesquisa feita em 1989 mostrou que ratos que não dormiam por um período de duas a três semanas morriam.

O maior período documentado que um humano ficou sem dormir é creditado a Randy Gardner, um estudante de 17 anos que não pregou o olho por 11 dias seguidos, porque estava em uma competição de dança. Depois da competição ele dormiu por 14 horas seguidas e acordou completamente recuperado.

Esses exemplos, na verdade, são casos em que Randy e os ratos simplesmente não dormiram – não porque estavam com insônia. Ou seja, eles até podiam ter vontade de dormir e estar com sono, mas não o fizeram. No caso da insônia, pouquíssimas pessoas tiveram muitas noites sem dormir por causa do distúrbio.

No entanto há uma “versão” muito rara da insônia conhecida como Insônia Fatal Familiar ou IFF – essa condição afeta cerca de 100 pessoas ao redor do mundo e quem sofre com isso não passa apenas por falta de sono, mas por alucinações, pânico e ansiedade que, combinadas, causam perda rápida de peso, demência e, eventualmente, morte.

Tudo isso acontece pela degeneração neurológica do cérebro, ligada a uma proteína anormal que passa a ser produzida pelo corpo. Normalmente essa doença começa a se desenvolver na meia idade e causa a morte do paciente em dois anos.

É importante deixar claro que essa é uma condição muito rara e que se nenhum parente seu apresentou a doença você não deve ter nenhuma predisposição a esse distúrbio.

Nos casos de insônia crônica, ela dificilmente levaria alguém a morte diretamente, mas pode causar problemas no seu dia-a-dia que se tornam perigosos. Uma noite sem dormir diminui a coordenação motora e também sua concentração – o que pode causar acidentes de trânsito, por exemplo.

Pessoas com insônia também correm maiores riscos de desenvolverem depressão e ansiedade. Riscos do insone desenvolver hipertensão, doenças cardíacas, diabetes, câncer de colo e de mama e passar a sofrer com enxaquecas também aumentam.

Sendo assim, se você acha que está sofrendo com insônia crônica, procure um especialista que pode indicar tratamento adequado. [NY Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

8 comentários

  • Vinícius Mello:

    Encontrei duas informações erradas nesse texto.
    Randy Gardner não ficou sem dormir porque estava em uma competição de dança. Ele optou por permanecer acordado por 11 dias como parte de um projeto para a feira de ciências.
    Além disso, ele não é mais o detentor desse recorde. Na verdade, duas semanas depois, Jim Thomas ultrapassou seu recorde em duas horas e em 1977, Maureen Weston ficou pouco mais de 18 dias acordado de forma documentada.

  • Larissa Castro Alves:

    eu to desde 96 desde dos 6 como acabo com isso?hj tenho 23 quase 24 acho q to ficando meio depressiva

  • wandersom campos:

    evite auto medicacao procure sempre seu medico que ira avaliar qual a insonia e indicara a melhor tratamento

  • harrison:

    Lembro vagamente de uma reportagem que assisti há anos e que falava de um homem que não conseguia dormir…já fazia três meses, eu acho. Ele parecia dormir em uma cama de hospital mas na verdade o órgão responsável pelo sono não “desligava”. Acho que o órgão em questão era o bulbo.

  • Giovani:

    Lembro que meu pai contou de uma conhecida dele que tinha uma doença rarissima e não sentia sono algum. Ela morreu com uns 40 anos em um acidente de carro. Houvi falar de mais pessoas com esta doença porem a ciencia ainda não descobriu o por que disso.

    • G.Giovannini:

      “LEMBRO que meu pai CONTOU de UMA CONHECIDA dele que tinha UMA DOENÇA RARISSIMA e não sentia sono algum. Ela morreu com uns 40 anos em um acidente de carro.OUVI FALAR de mais pessoas com esta doença porem A CIENCIA AINDA não descobriu o por que disso.”

      Você parece meio confuso não jovem? Se nem você sabe ao certo doque está falando como a “ciancia vai descobrir o por que disso”? Pensa bem antes de dizer algo por puro “achismo”, achismo não é ciencia.

  • Radeir:

    Interessante:
    Sempre dormi no primeiro minuto,antes mesmo de fazer um exame de consciência,ou parar para relaxamento mental. Mas em 1981,quando determinei passar o carnaval em retiro e meditação,com um grupo afim,pra minha surpresa,não consegui dormir durante toda minha estada ali.

    Confesso que sofri exaustão quando amanhecia,e naõ conseguia agir como de costume, além de perceber uma certa abertura,ou coisa parecida,que me mostrava “coisas do outro mundo”.mas o mais incrível sucedeu na últma tarde,por volta das 17 horas,quando ao mirar o Sol,meio triste por causa do comportamento inadequado,em prostação, vi sair do Sol uma imensa espiral, toda ela formada de milhares de espiraizinhas,descer em minha direção até entrar nos meus olhos que o fitava. A história não para aí,e posso afirmar que entrei num ‘estado de felicidade’ como eu nunca pensei pudesse existir.

    Terminado o tal retiro,voltei para a vida normal,como se nada tivesse acontecido,e só ficou a lembrança da maravilhosa espiral se aninhando em mim . Fenômeno, mãgica,só sei que amei!

  • Eunice:

    Já tive insonia; acredito que não sobrviveria nem tres dias. Uma
    noite já te deixa acabado, imagine uma semana

Deixe seu comentário!