Como a cafeína pode salvar sua vida

Por , em 24.03.2013

Dirigir com sono é uma péssima ideia e pode custar tanto a sua vida como a de outras pessoas. Infelizmente, milhões de caminhoneiros no mundo todo se veem obrigados a passar horas a fio dirigindo (muitas vezes de madrugada) para cumprir prazos, e precisam encontrar uma alternativa para driblar o sono (uma possível mudança de rotina em transportadoras merece um debate à parte).

Embora não seja nem de longe uma solução tão eficaz quanto uma boa noite de sono, a cafeína pode ajudar: de acordo com estudo publicado recentemente no British Medical Journal, motoristas que consomem a substância têm 63% menos chances de se envolver em acidentes.

De dezembro de 2008 a maio de 2011, os pesquisadores acompanharam 1.047 motoristas que dirigiam caminhões com pelo menos 10 toneladas e percorriam rotineiramente pelo menos 200 km. Entre eles, 530 haviam se envolvido em acidentes automobilísticos (durante o trabalho) nos 12 meses anteriores ao início do estudo, 1.036 eram homens e muitos eram obesos ou tinham sobrepeso.

De cada dez participantes, cerca de quatro (43%) consumiam produtos com cafeína (como energéticos, chás e café) para conseguirem se manter acordados na estrada. O nível de consumo foi classificado como baixo (até 200 mg/dia), médio (até 400 mg/dia) e alto (mais de 400 mg/dia).

Além do consumo de cafeína, a equipe levou em conta diversos outros fatores: rotina de trabalho, rotina de exercícios, consumo de álcool, distâncias percorridas e rotina de sono.

“Enquanto estratégias para lidar com o cansaço desses motoristas devem levar em conta pausas adequadas, sono suficiente e promoção de exercícios regulares, o uso e a influência de estimulantes cafeinados devem ser considerados uma estratégia complementar para manter o estado de alerta na direção”, concluem os pesquisadores. Eles ressaltam, porém, que o efeito estimulante da cafeína não é duradouro e que não deve em hipótese alguma ser considerado um substituto do sono.[io9, BMJ]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Joel Fernandes Frederico:

    Para mim a cafeina não adiantava muito, Eu Morava em Lorena Sp. e fazia compras a noite no Ceagesp. e ficava sem dormir fazendo as compras e carregando o caminhão, na volta era um sufoco, tomava café forte e sem açúcar, tomava cafe com Coca cola, colocava palito de fosforo para manter as pálpebras dos olhos aberta. que,,, de nada adiantava, tinha que parar e dormir.

  • Falcone Big:

    Adorei a matéria, o mais impressionante é o total descaso das autoridades com informações de cunho cientifico, investem-se MILHÕES do dinheiro público em radares e bafômetros numa tentativa em vão de reduzir o nº de vitimas de acidentes de carro, uma simples análise estatística demonstraria que o maior volume de acidentes tem sido por outros grandes motivos além de bêbados de madrugada (e antes que você pense, já digo: NÃO, EU NÃO ESTOU DEFENDENDO O ÁLCOOL AO VOLANTE).
    Prova disso??? A fiscalização nas rodovias tiveram no ano de 2013 o maior volume já registrado com bafômetros os radares móveis e fixos da história aqui em MG. Volume de acidentes: 43% a mais que 2012 – Jornal Super, domingo de carnaval.

    Sistema eletrônicos para fiscalizar o motorista quanto sua condição física, se ele avança um semáforo para sua segurança na madrugada (aqui não se desligam os semáforos), para registrar se ele avança 01 km além do limite da via, se o IPVA, DPVAT está pago, EXISTEM AOS MONTES! Agora, sistemas eletrônicos que mostrem que uma via tem buracos, se uma curva está com a inclinação adequada, se a vazão de água está correta, se existe sinalização e está adequada, (exemplo absurdo: foi inaugurado recentemente numa estrada aqui perto um radar antes de uma barreira que identifica a placa e verifica se existe alguma pendência do veículo, IPVA, Licenciamento, multas, etc. Até aí tudo bem, mas PERGUNTA SE O SISTEMA IDENTIFICA SE O CARRO É ROUBADO OU NÃO???? Para surpresa inclusive do repórter, N Ã O identifica) Bom, entre outros problemas que sabemos muito bem do total descaso, sistemas eletrônicos desse tipo? Parece que nunca vão existir.

    É mais fácil o estado transferir toda responsabilidade por um acidente ao motorista do que assumir e revelar os fatos que comprovam sua total inercia. Existem sim e sempre existirão maus motoristas, mas parece que o estado tem se aproveitado disso para dizer a sociedade que a gigantesca maioria dos motorista é que tem comportamento inconsequente perante o volante. Pensa diferente? Faça uma análise discreta em círculo social, amigos, família, colegas de trabalho, vai ver que 90% deles não tem comportamento abusivo diante do volante.

Deixe seu comentário!