Estrela de composição estranha parece ter acabado de devorar um exoplaneta

Por , em 21.12.2016

Os cientistas encontraram uma estrela com um coquetel suspeito de produtos químicos em sua atmosfera, que parece ser a evidência de um assassinato planetário.

A estrela, chamada HIP68468, compartilha algumas semelhanças com o nosso sol e é conhecida por ser a anfitriã de um sistema de planetas.

Os pesquisadores viram, no sistema, um gigante de gás cerca de 50% maior do que Netuno, juntamente com uma “super Terra”. No entanto, parece que havia pelo menos mais um planeta em órbita, que virou comida estelar.

HIP68468

Ao estudar HIP68468, a 300 anos-luz de distância, a equipe internacional de astrônomos detectou altas quantidades de lítio em sua atmosfera, juntamente com outros elementos que estão associados a planetas rochosos.

Ao considerar a idade da estrela – seis bilhões de anos -, qualquer lítio que se formou com ela teria desaparecido há muito tempo. Muito lítio “fresco” deve ter vindo de outra fonte.

Levando em conta a quantidade observada de lítio e outros minerais, os pesquisadores deduziram que um planeta inteiro, com aproximadamente seis vezes a massa da Terra, provavelmente foi consumido pela estrela em sua história recente.

O sol vai engolir a Terra?

De acordo com Debra Fischer, da Universidade de Yale, nos EUA, a descoberta aprofunda nossa compreensão da evolução dos sistemas planetários.

Instabilidades gravitacionais podem modificar órbitas planetárias, causando muitas vezes enormes migrações. Planetas migrando podem ter uma miríade de efeitos em outros planetas, asteroides e cometas, e até mesmo nas próprias estrelas.

No caso de HIP68468, pensa-se que um planeta interior chegou muito perto dela e foi consumido pela estrela.

No caso do nosso sistema solar, embora a Terra possa ficar tranquila por agora, Mercúrio, o planeta mais íntimo do sol, pode não ter tanta sorte.

“Isso não significa que o sol vai ‘comer’ a Terra em breve”, disse Jacob Bean, da Universidade de Chicago, nos EUA. “Mas a nossa descoberta fornece uma indicação de que histórias violentas podem ser comuns para sistemas planetários, incluindo o nosso”.

No futuro

Os pesquisadores esperam usar o Telescópio Gigante Magalhães, que está em construção no Chile, para detectar exoplanetas em órbita e ver quais produtos químicos estão flutuando nas atmosferas das suas estrelas.

Talvez eles encontrem mais estrelas que recentemente devoraram planetas inteiros.

“Além de encontrar planetas similares à Terra, o Telescópio Gigante Magalhães permitirá aos astrônomos estudar a composição atmosférica das estrelas em detalhes ainda maiores do que podemos hoje”, disse Bean. “Isso vai revelar ainda mais histórias de sistemas planetários sutilmente impressas em suas estrelas hospedeiras”. [Seeker]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • Tibulace:

    Pois é.Os religiosos, IGNORAM fatos como esse e cantam loas à ” maravilha de estabilidade e harmonia” que é o Universo, obra do Papai do Céu

Deixe seu comentário!