Universidade oferece cocaína a alunos para realizar estudo

Por , em 25.02.2013

A universidade King’s College London, em Londres, na Inglaterra, ofereceu a oportunidade a seus estudantes de experimentar cocaína como parte de uma pesquisa científica para examinar os efeitos da droga no corpo humano.

Como funciona

Os pesquisadores enviaram um convite através de um e-mail para os potenciais participantes, informando que os que se inscrevessem no teste iriam se envolver em “administração nasal” da droga atualmente ilegal, sob a supervisão dos cientistas.

Os participantes também foram informados de que não há “nenhum benefício direto em participar” do estudo, mas que eles poderiam esperar “compensação financeira razoável” pelo seu tempo, esforço e despesas. O estudo exigirá sete visitas ao hospital em cerca de 120 dias.

Os primeiros pacientes serão escolhidos baseados em sua adequação ao estudo. Na segunda visita, já receberão a droga. Nas próximas cinco visitas, os pesquisadores recolherão amostras de sangue, urina, cabelo, suor e fluido oral para avaliar como a droga se espalhou pelo corpo.

O comitê de ética em pesquisa London Westminster Research Ethics Committee aprovou o estudo, que acontecerá no Hospital St. Thomas, em Londres.

“Este é um importante estudo científico para investigar como a cocaína e seus metabolitos se espalham pelo corpo humano. Todas as aprovações éticas pertinentes foram recebidas. O estudo será conduzido sob o mais alto nível de supervisão médica”, afirmou um porta-voz da King’s College London.

Quem pode participar

Alunos de graduação do sexo masculino da universidade com idade entre 25 e 40 anos que não são normalmente usuários de drogas recreativas podem participar do estudo.

Estudantes de medicina e de odontologia não estão autorizados a participar, e os voluntários foram avisados de que seriam proibidos de cortar ou pintar o cabelo durante o período do estudo (teste principal e acompanhamento).

O convite explicava que os alunos não tinham nenhuma obrigação de responder ao e-mail. E, caso escolhessem participar de maneira voluntária da pesquisa, poderiam se retirar a qualquer momento.

O e-mail completo, que foi enviado na tarde de quinta-feira passada, 21 de fevereiro, foi publicado no site The Huffington Post. Confira abaixo (tradução literal. Para ver o original, clique aqui):[Telegraph, HuffingtonPost]

[box]“PRECISA-SE DE VOLUNTÁRIOS SAUDÁVEIS

Quem estamos procurando?

Voluntários saudáveis do sexo masculino, 25-40 anos de idade, para participar de um estudo clínico envolvendo a administração nasal de cocaína. Estudantes de medicina e de odontologia não serão inscritos para este estudo.

O que vai acontecer?

Depois da administração da cocaína, repetidas amostras biológicas (sangue, urina, cabelo, suor, fluido oral) serão tomadas para comparar e investigar a forma como a cocaína e os seus metabolitos são distribuídos através do corpo humano.

Quais são os requisitos?

Potenciais participantes devem estar em forma e se sentindo bem, não ter histórico médico e não ser usuários de drogas recreativas. Devem aceitar não cortar ou tingir os cabelos por 120 dias durante o acompanhamento do estudo.

Quanto tempo vai demorar?

Durante a primeira visita, iremos verificar sua aptidão para o estudo. A segunda visita (experimento principal) será cerca de 30 dias mais tarde e tomará a maior parte do dia. Nós, então, gostaríamos de vê-lo mais cinco vezes ao longo de um período de 90 dias, para que algumas amostras biológicas possam ser tomadas.

Você vai se beneficiar de tomar parte neste estudo?

Não há benefício direto de participar. Compensação financeira razoável ocorrerá por seu tempo, esforço e despesas de completar o estudo.

Quem está supervisionando o estudo?

O estudo será supervisionado pelo departamento de Toxicologia Clínica do Hospital St Thomas, em Londres. A equipe de pesquisa inclui um médico (registrador ou consultor) que estará presente em todos os momentos.

E agora?

Todas as informações de participantes serão mantidas anônimas e confidenciais. Se você está interessado em participar e gostaria de encontrar mais informações, por favor, direcione suas perguntas principalmente ao Dr. Andrew Kicman (Escritório do Diretor Científico) em [endereço de e-mail retirado], no qual você receberá um panfleto completo com informações para participantes.”[/box]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • magoado:

    aqui no brasil faltaria vaga..o estudo se chamaria cracolândia.

  •  :

    Gostei da iniciativa. Universidades de São Paulo podiam se espelhar nesse estudo e fazer algo parecido aqui também!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário!