Braços de cangurus machos evoluíram para brigar

Por , em 7.07.2015

Quando você olha para um canguru ou um wallaby, é óbvio que estes animais foram bem construídos para saltar pelo deserto que ocupa boa parte do interior da Austrália. O que pode ser menos óbvio é que os braços de seus machos são construídos para brigar. Machos destas espécies têm os ossos do braço desproporcionalmente longos e quanto mais uma espécie briga, mais exagerada se torna a diferença entre os machos musculosos e suas companheiras com membros normais.

Para entender essa peculiaridade evolutiva, é preciso ver as regras de combate dos wallabies e cangurus – estes animais, junto dos wallaroos, formam a família Macropodidae. Os machos lutam entre si para mostrar a sua posição dominante e ter acesso às fêmeas.

A primeira regra deste clube da luta não é “não falar sobre o clube da luta”, mas “chutar muito”. Segundo a fisiologista Hazel Richards e seus coautores da University of Western Australia, nas espécies menores, machos e fêmeas chutam “oportunista e selvagemente”. Alguns machos têm até mesmo escudos em suas barrigas para proteger essa região sensível de um pontapé.

Em espécies maiores, porém, a luta corpo a corpo é mais importante do que chutar. Os machos pegam uns aos outros pela cabeça, pescoço e ombros. Eles batem, empurram e podem jogar um adversário no chão. Os autores chamam essas lutas de “deliberadas, ritualizadas e complexas”.

Prontos para briga

Para começar, os machos Macropodidae são grandes, podendo ser até 50% mais pesados do que as fêmeas da mesma espécie. Mas a diferença de tamanho não é a mesma em todo o seu corpo, já que os machos de algumas espécies têm braços extra-corpulentos. Para saber mais sobre essa diferença, os pesquisadores recorreram às coleções de seis museus australianos e mediram detalhadamente esqueletos de cangurus e wallabies. Eles escolheram 15 espécies “promíscuas”, uma vez que sabiam que esses animais têm uma necessidade especial em arrumar parceiras.

Depois de examinar os membros de 470 esqueletos, os cientistas tiveram algumas respostas. As espécies maiores, que lutam mais intensamente, têm a maior diferença entre os braços masculinos e femininos. E o osso mais exagerado é o úmero, ou osso superior do braço.

Cangurus e wallabies não são os primeiros animais a evoluir grandes e elaborados apêndices para decoração ou batalha. Há galhadas, chifres do besouro-rinoceronte e caudas de pavão, por exemplo. Mas o caso destes animais australianos é interessante porque a evolução tem atuado em uma parte do corpo que eles necessitam para a vida cotidiana. Eles usam seus braços para cuidar de si, para alimentar-se e para caminhar lentamente quando não estão pulando.

Mesmo assim, seus enormes ossos do braço não parecem prejudicá-los. As fêmeas também não se importam. E, aparentemente, se um canguru macho com braços normais resolver se mostrar mais atraente para as fêmeas, um dos outros machos bombados pode simplesmente lhe dar uma surra. [Discover Magazine]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • CasaDoCoelho:

    Uma curiosidade interessante à ser citada é a de que os braços e as mãos humanas também se desenvolveram para lutar e brigar entre si.

Deixe seu comentário!