Expedição identifica mais de 500 espécies nos mares de Madeira e Açores

Por , em 20.09.2011

Uma expedição organizada pelo Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território de Portugal, em conjunto com o Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, levou 188 pessoas, incluindo 70 cientistas nacionais e estrangeiros, às ilhas Desertas, a Porto Santo (Madeira) e aos ilhéus das Formigas (perto da ilha de Santa Maria, Açores) para a realização de um levantamento de biodiversidade.

O levantamento foi feito com mergulhadores até aos 35 metros de profundidade, e com um um aparelho desenvolvido pela Universidade dos Açores até ao fundo do mar, entre 35 e 100 metros.

Os primeiros resultados da última expedição realizada sugerem a indentificação de mais de 500 espécies animais e vegetais durante os 40 dias que durou a iniciativa (de 15 de junho a 25 de julho). Uma análise mais profunda vai determinar se houve a descoberta de novas espécies.

A identificação feita inclui a fonte, a localização (ponto GPS), a classificação por família, gênero e espécie, a profundidade, o tipo de sedimento associado, o sexo, o número de indivíduos avistados, se estavam em época de reprodução, e muitas outras informações.

Em seis meses, os cientistas, os estudantes e a população em geral terão acesso a uma vasta base de dados sobre a biodiversidade dos nossos mares, chamada M@rbis.

Além disso, estão previstas ainda esse ano expedições às Berlengas e a dois setores da costa do Sudoeste Alentejano. Campanhas como essa são importantes, mas só assim é complicado cobrir toda a biodiversidade marinha, por isso os especialistas estão pensando em reunir toda a sociedade neste processo num projeto futuro que envolva a participação não só da comunidade científica, mas de estudantes universitários, escolas de mergulho, etc., para que informações sejam compartilhadas e validadas em uma nova base de dados online.[Expresso]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

Deixe seu comentário!