Fenômenos naturais: 10 vídeos impressionantes

Ninguém duvida que a natureza é a “toda poderosa” do nosso planeta. A gente aprendeu na escola que as forças naturais estão muito além da nossa vontade e, inclusive, ainda não deciframos várias delas. Mas você há de concordar comigo que muitas delas, e os fenômenos científicos que elas compreendem, se tornaram parte da nossa paisagem.

Incrível como ela é, a natureza gosta de chamar nossa atenção de tempos em tempos, promovendo coisas que vão desde catástrofes até cenários maravilhosos, a maioria dos quais provavelmente nunca teremos a oportunidade de ver com nossos próprios olhos.

Os 10 vídeos impressionantes que você confere a seguir captam momentos como estes. Veja:

10. Espuma do mar


Todo mundo que já foi à praia, ou que já viu a foto de uma onda, sabe o que é a espuma do mar. Ela é aquela parte branca, cheia de pequenas bolhas, que se forma quando a água é agitada – ou seja, sempre. Geralmente quando as ondas quebram e passam, deixam um rastro branco, certo? Essa espuma se forma porque a água marinha está com uma alta concentração de matéria orgânica. Até aí, nenhuma novidade. Só que o normal é se formar uma linha fina de espuma sobre a água, e não parecer que alguém jogou mil litros de sabão e esqueceu de desligar a hidromassagem.

Essa espuma branca é espuma do mar que, ocasionalmente, é produzida assim, a rodo. A razão mais comum para esse fenômeno é a proliferação abundante de algas. Na grande maioria das vezes, essa espuma é inofensiva do ponto de vista ecológico. Às vezes, alguns organismos (como a dinoflagelada Karenia brevis) podem espalhar toxinas que acabam irritando os olhos e o sistema respiratório dos banhistas.

Tem a questão do tráfego, também, que fica bem mais perigoso. Você viu no minuto 0:12 aquele carro quase passando por cima das pessoas? Poderia ter acontecido um acidente terrível ali.

9. Cristais de gelo dentríticos


Parece uma cena tirada do filme Frozen – Uma Aventura Congelante, mas não foi. Na verdade, é tirada da natureza mesmo. No vídeo, você pode ver a formação de gelo seguindo um padrão que faz com que ele se pareça uma árvore. Esse tipo de formação é conhecida como dentrítica. A mineralogia nos ensina que esses cristais são criados sempre que o manganês e a água rica em ferro fluem ao longo de vãos de vários tipos de rochas. Para completar, a química nos ensina que um dentrito é qualquer cristal que se ramifica em duas partes seguindo um padrão enquanto está se formando. Esses padrões acontecem na natureza quando a umidade da atmosfera condensa quase que instantaneamente. O resultado é uma série de padrões que continuam a se repetir até que as condições ambientais mudem.

Não sei você, mas ao ver o vídeo fiquei achando que era uma pena se formando. Parece tão macio! Mas, a verdade é que é duro de doer. Ainda assim é lindo, não é?

8. As ondas de uma ilha ecoando nas nuvens

8
Esse é o único dos fenômenos naturais da lista que não tem vídeo, porque não encontramos nenhum. Se você já, por favor o coloque nos comentários. Seria uma enorme satisfação completar esse post com a sua colaboração!

O fenômeno não tem vídeo, mas nem por isso é menos interessante. Você sabia que as ilhas conseguem fazer suas próprias ondas, no céu? No oceano, o vento praticamente não encontra obstáculos para passear pela água, o que significa que as coisas sobre ou dentro da água, como banhistas ou pessoas que estão em barcos, sofrem uma influencia muito maior do vento do que alguém que está em terra, no meio de uma cidade cheia de edifícios, carros, árvores e outras coisas que podem muito bem atrapalhar o fluxo da corrente de ar.

Quando essas correntes estão em mar aberto e encontram uma ilha em seu caminho, o ar vai ou dispersar ou passar por cima da ilha – mais ou menos como quando o ar passa por cima do pára-brisa enquanto você está dirigindo. Se ela escolher essa segunda opção, uma coisa muito legal acontece: o ar cria ondas impressionantes nas nuvens, como você pode ver na imagem acima, capturada pela NASA nas Ilhas Sandwich do Sul, em 2009.

7. Lagos explosivos


Desde quando água explode? Que a gente saiba, desde 1984, quando algo do tipo foi verificado pela primeira vez. Naquela ocasião, um lago explodiu no Camarões e matou nada menos que 37 pessoas. Depois disso, o fenômeno foi verificado mais uma vez em 1986, também no Camarões, mas dessa vez o estrago foi muito maior: a explosão matou cerca de 1.700 pessoas. Intrigante, não é?

Lagos explosivos são fenômenos naturais que geralmente acontecem quando grandes quantidades de CO2 ou gás metano estão presentes na água. Durante essas ”explosões”, podemos realmente ver a superfície do lago revolto com bolhas de gás sendo liberadas das profundezas da água. Isso cria uma nuvem perigosa de gás que pode ser fatal para aqueles que estiverem ao redor.

No vídeo, você pode ver uma enorme quantidade de gás metano inflamável saindo de lagos congelados. Isso não apenas demonstra o quão perigoso o lago seria se fosse descongelado, como também representa um perigo ao meio ambiente, de forma geral, já que ambos os gases de que falamos são gases do efeito estufa. O metano, inclusive, pode prender até 25 vezes mais calor que o gás carbônico, o que justifica o fato de os cientistas começarem incêndios por precaução (como as imagens mostram). Melhor ter todo esse gás queimado, do que solto na atmosfera.

6. Nuvens Asperatus


Essas nuvens são relativamente recentes, sendo que foram fotografadas pela primeira vez nos últimos 30 anos. Essas nuvens têm um aspecto diferente – seu movimento, como você pode ver no vídeo, faz com que pareça que o oceano trocou de lugar com a atmosfera. Apesar de parecerem assustadoras, elas não representam qualquer tipo de ameaça. Inclusive costumam se dissipar sem provocar tempestades.

Atualmente, acredita-se que as nuvem Asperatus ocorrem com mais frequência na região das Grandes Planícies dos Estados Unidos. Mas o que de fato as causa é uma pergunta que permanece no ar.

5. Onda de gelo


A onda de gelo é geralmente comparada com um “tsuminami” de gelo, mas é algo bem menos severo que um tsunami de fato. Ela acontece quando as correntes oceânicas ou ventos fortes permitem que o gelo parcialmente derretido se acumule na costa, e eventualmente esse gelo começa a avançar para a terra.

Essencialmente, o gelo se desloca através do mesmo mecanismo de um iceberg. Enquanto as fortes correntes marítimas permitem que os icebergs se movam através da água, ventos fortes podem permitir que o gelo vença o atrito do terreno e comece a se mover. Como você pode ver no vídeo, o som se parece com janelas se quebrando. Dá até uma aflição!

Esse é um dos fenômenos naturais que ocorre, obviamente, exclusivamente em regiões muito frias, como no Canadá, por exemplo. Geralmente, causa danos à árvores e casas que ficam muito perto da costa. Fora isso, não representa grandes perigos.

4. Lava azul


Como vários dos fenômenos naturais que você viu até agora, esse também só foi gravado recentemente. Ele foi verificado no vulcão Kawah Ijen volcano, localizado na Indonésia, onde as pessoas notaram um fluxo de lava de uma das crateras com um tom azul brilhante, absolutamente inesperado. Até onde a gente sabe, a lava deveria ser vermelha/alaranjada, não?

A cor azul que podemos ver no vídeo na verdade não é proveniente da lava, e sim do gás sulfúrico que emerge das crateras. Quando esse gás, que lá dentro está altamente pressurizado, se encontra com o ar atmosférico, ele entra em combustão e condensa (se torna líquido), e continua queimando na cor azul enquanto desce pelas encostas, no que parece ser a lava que a gente conhece.

O gás sulfúrico derretido é uma ocorrência comum em torno de formações vulcânicas. Isso porque o ponto de fusão do enxofre é baixo o suficiente para que a temperatura em torno de aberturas vulcânicas muitas vezes provoque temperaturas que o ultrapassem, levando a uma mudança do estado físico para o líquido azul mostrado no vídeo.

3. Efeito de Leidenfrost


A maioria das pessoas sabe que a água evapora quando fica quente, afinal, praticamente todo mundo já teve a experiência de colocar um pouco de água em uma superfície aquecida e vê-la evaporar (como quando um pouco de água espirra em uma frigideira quente). Contudo, a evaporação da água depende de quão quente está essa superfície e da quantidade de água. Quando ela chegar a uma temperatura suficientemente quente, a água vai se “sentar” na superfície em forma de gota e vai levar muito mais tempo para evaporar.

Esse fenômeno é chamado de Efeito Leidenfrost, e também pode fazer com que os líquidos se movimentem para cima, como você pode ver no vídeo. Nas imagens, os físicos da Universidade de Bath, na Inglaterra, usam o efeito de manipular criativamente gotículas de água líquida.

Quando elas entram em contato com uma superfície que está aquecida a uma temperatura muito superior ao seu ponto de ebulição, uma camada isolante de vapor é criado em torno do líquido. Esta camada, então, impede que o líquido toque diretamente na superfície e, portanto, atinja seu ebulição rapidamente. Esse processo é facilitado pelo fato de que o vapor tem baixa condutividade térmica, o que significa que a taxa de transferência de calor entre a superfície quente e uma gota de água diminui drasticamente.

2. Rolinhos de neve


Sabe aqueles filmes de faroeste, antigões, que se passam em regiões desertas dos Estados Unidos? Fora aquele clima de tensão, de um tiroteio que está prestes a acontecer, um outro elemento faz parte do cenário: bolas de feno. Esses rolinhos de neve que você vai ver no vídeo são bem parecidos. A diferença é que, claro, são de neve e são resultado de um dos fenômenos naturais mais intrigantes dessa lista.

Os rolinhos de neve só aparecem em determinadas condições, quando, por exemplo, a neve está com a consistência certa. As regiões montanhosas são mais propícias para o aparecimento dessas estruturas, que são esculpidas pelo vento. Por causa dessas condições necessárias para testemunhar a versão da natureza de uma bola de neve, esse é um fenômeno muito raro. Segundo o Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos, para que esses rolinhos se formem, a neve deve estar em contato direto com o solo e ser firme o suficiente para continuar caindo, mas não grudar e destruir a estrutura. Então, só a combinação certa de neve solta, ventos fortes e terras abertas pode permitir que os rolos de neve se formem. Ou seja: jamais acontecerá na história deste nosso país tropical.

1. Lagos de asfalto


Quando o assunto são “fenômenos naturais bizarros”, esse não poderia ficar de fora. O La Brea Pitch Lake, localizado em Trinidad e Tobago, é um lago de asfalto (piche) e foi descoberto em 1595, de forma que as pessoas imediatamente reconheceram sua utilidade. Mas, surpreendentemente, pouca pesquisa foi feita sobre o lago e sua origem. Alguns cientistas acreditam que ele é a causa de duas falhas na união de placas tectônicas, forçando o óleo das profundezas da Terra a emergir, mas ninguém sabe ao certo.[Listverse]

Por: Gabriela MateosEm: 10.06.2014 | Em Bizarro, Principal  | Tags: , ,  
Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

Uma resposta para “Fenômenos naturais: 10 vídeos impressionantes”

Deixe uma resposta