Foto: o raro trânsito de Vênus

Por , em 6.06.2012

Você sabe o que é o “trânsito de Vênus”? Esse fenômeno natural é parecido com um eclipse solar ou lunar.

O trânsito de Vênus ocorre quando esse planeta passa diante do sol na frente da Terra, ocultando uma parte do disco solar.
Isso só acontece quando os três objetos espaciais estão alinhados, e, portanto, é muito raro. Com a imensidão do universo, isso só acontece de vez em quando, em média duas vezes por século.

Ou seja, eles ocorrem em pares separados por oito anos e depois não voltam a ocorrer em menos de 100 anos. O último foi terça-feira (05/06/2012), ontem, às 19h09 no horário de Brasília.

O fenômeno foi descoberto em 1627, pelo astrônomo alemão Johannes Kepler (1571-1630). Ele percebeu que planetas interiores como Mercúrio e Vênus iam cruzar o disco solar, e chegou até a prever que o caminho de Vênus passaria pela Terra dali a quatro anos, em 1631.

Essa foi a primeira vez que observamos o fenômeno, mas Kepler não chegou a vê-lo, pois faleceu em dezembro de 1630. Depois do trânsito de 1631, ocorreram mais seis. O último tinha sido em 2004, e, com o desse ano, outro trânsito de Vênus não é esperado até 2117.

A terça de Vênus

O fenômeno foi visível em quase todo o mundo, mas aqui no Brasil não foi um espetáculo tão grande.

Vênus passou pela América do Norte (em todos os Estados Unidos, no centro e no leste do Canadá), em toda a América Central e no Caribe, e no norte da América do Sul (na parte central e norte do Peru, Equador, Colônia e Venezuela). Também foi visto no leste da Ásia e na região do Pacífico Ocidental. O final do fenômeno, que durou 7 horas, foi observado na Europa, Oriente Médio e no sul da Ásia.

A maior parte da América do Sul e o oeste e o sudoeste da África não conseguiram observar o fenômeno. No Brasil, a maior parte não viu o trânsito porque o sol já havia se posto, mas quem vive no extremo noroeste do país, em alguns pontos do Acre, Amazonas e Roraima, pode ter observado alguma coisa.

Mesmo quem teve visão boa não viu nada muito “grande”. Não que o evento não seja maravilhoso em sua raridade, o problema é que Vênus, mesmo sendo quatro vezes maior que a lua, por exemplo, aparece bem menor durante o trânsito devido à maior distância que está da Terra. Entre 1h32 e 1h50 da madrugada de hoje, no horário de Brasília, o fenômeno chegou ao seu fim.

Trânsito visto de Hong Kong Trânsito visto da Cidade do México

A NASA documentou o trânsito, e vídeos podem ser vistos aqui. Os cientistas acreditam que o fenômeno é uma oportunidade de estudar movimentos ondulares, forças gravitacionais, densidade e outros temas. Os dados recolhidos devem começar a ser analisados em breve.[Uol, G1, Abril, Folha, Danilo Pivato]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • João da Cruz Vieira Leite:

    Bastante apovorante, com um colosal imenso de energia que tem o sol sobre venus, como não engoliu aquele inseto, como parecia Venuz, imprecionante!!!!!pena que nã vimos Mercurio que fica bem pertinho em nenhum âmglo, seria mais coviniente tambem ter visto pelo menos uma sombrinha do mercurio, *Sáráaa que é mesmo VÊNÙUUsss?????

  • John jones:

    sacanagem!!!!!!! só em 2117!!!!!!

Deixe seu comentário!