Governo brasileiro libera construção de barragem em afluente do Amazonas

Por , em 30.08.2010

O governo do Brasil deu o seu aval formal para a construção da terceira maior barragem hidrelétrica do mundo em um afluente do Rio Amazonas. Depois de vários desafios legais, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu assinar o contrato para a barragem de Belo Monte, com o consórcio Energia Norte.

A licitação para o projeto, liderado pela companhia estatal Hidroelétrica do São Francisco, teve que ser interrompida três vezes até que o governo o permitiu.

Os críticos dizem que o projeto irá danificar o ecossistema local e deixar 50 mil pessoas desabrigadas, principalmente indígenas. Mas o governo diz que é crucial para o desenvolvimento e criação de empregos.

Na cerimônia de assinatura do contrato, em Brasília, o presidente Lula disse que ele mesmo havia criticado a barragem, até que aprendeu mais sobre o assunto. Segundo ele, essa é uma vitória para o setor de energia do Brasil. Também afirmou que eles levaram seriamente em conta as questões ambientais e sociais antes de tomar a decisão.

Essa proposta, de construir uma barragem hidroelétrica no rio Xingu, tributário do Amazonas, no estado do Pará, tem sido uma fonte de controvérsias. O projeto inicial foi abandonado na década de 1990 em meio a protestos generalizados, tanto no Brasil e no mundo.

Grupos ambientalistas dizem que a barragem de seis quilômetros de comprimento irá ameaçar a sobrevivência de grupos indígenas, e muitas vidas poderão ser afetadas pelos 500 quilômetros quadrados de terra inundada.

A promessa é de que o consórcio vencedor vai pagar mais de um bilhão de reais para proteger o meio ambiente. A barragem será a terceira maior do mundo, após a das Três Gargantas na China e Itaipu, que é dirigida conjuntamente por Brasil e Paraguai.

Espera-se que custará entre R$ 19 bilhões e R$29 bilhões, e fornecerá eletricidade para 23 milhões de casas.

Como a economia do Brasil continua a mostrar sinais de crescimento, os ministros dizem usinas hidrelétricas são uma forma vital para assegurar o abastecimento de energia na próxima década e, pelo menos 70 barragens estão sendo planejadas para a região amazônica nos próximos anos.

Já os críticos afirmam que a usina Belo Monte será altamente ineficiente, gerando menos de 10% da sua capacidade durante três a quatro meses do ano, quando os níveis de água estão baixos. [BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

18 comentários

  • Paulo:

    As usinas hidrelétricas ainda são o meio mais eficaz de se produzir energia em grande quantidade com prejuízo mínimo do meio ambiente. A polêmica que criaram quanto a construção dessa barragem é de uma idiotice tão grande quanto a cabeça de seus autores. Será que preferem eles a criação de usinas termoelétricas ou, pior, nucleares, à de Belo Monte? Os únicos que defendem a sua não construção são alguns ecologistas xiitas e meia dúzia de “artistas” de tv, que nem sequer sabem onde sua calcinha se encontra no corpo.

    • Charlie Timao Timao:

      O homem chega ja desfaz a natureza muda rio e faz represa e diz q tudo vai mudar, o Sao francisco lá pra cima da bahia diz que dia menos dia vai subir bem devagar e passo a passao vai cumprindo a profecia do beato q dizia,, O SERTAO vai virar mar , dá no coraçao o medo que algum dia o Mar tambem vire sertao.

  • Marcus Vinicius:

    Já que estamos na moda podemos atualizar nosso pensamento, nossas idéias evoluir no desenvolvimento elétrico mostrando que nosso pensamento é de futuro, já possuiu uma quantidade de informações em áreas afins na tecnologia elétrica, temos universidades para desenvolver um gama de informações para dar suporte aos nossos ministros, governadores e presidentes; Mas se é por culpa do poderes financeiros onde vários ganharam obtendo lucros com essa idéia deveram ter um pouco de cuidado com esse problema que esta sendo causado

  • Bacamarte:

    Pelo amor de Deus!
    Abram os olhos!
    Vamos investir em energia solar e eólica, pois a tecnologia e os custos são viáveis…
    Meu Deus o que está acontecendo com as pessoas neste belo país??

  • Alberto Carvalhal Campos:

    “Indios” tambem é gente. É gente que não paga impostos. Se os que pagam impostos foram despejados, como aconteceu em itaipú, porque não os índios. Para o progresso vale tudo. A única maneira de se evitar isso é limitar a população do mundo. Quanto mais se cresce, mais destruiçoes vai acontecer. Estamos acabando com o mundo e nessa balada não tem geito.

  • Hugo:

    Por mim quando se trata de impacto ambiental eu me preocupo bastante, mais quando se falam em tirar seres humanos de um lugar, não acho uma coisa séria, afinal o ser humano pode se “reproduzir” em qualquer lugar, ao contrário de toda a fauna e flora de um ecossistema. Sem falar que irá estimular o crescimento do brasil, novos empregos e poderá ser evitado futuramente apagões (eu acho não tenho certeza ^^) como o do ano passado.

  • Hugo:

    Por mim quando se trata de impacto ambiental eu me preocupo bastante, mais quando se falam em tirar seres humanos de um lugar, não acho uma coisa séria, afinal o ser humano pode se “reproduzir” em qualquer lugar, ao contrário de toda a fauna e flora de um ecossistema.

  • VINICIUS SOUZA:

    APAGÃO ???? KKKK , BOA DESCULPA PARA JUSTIFICAR AS LICITAÇÕES BILHONÁRIAS PARA ENGORDAR OS BOLSOS DOS POLITICOS. PARA OS LEIGOS QUE ACHAM QUE ISSO SERIA UMA BOA SOLUÇÃO É BOM EXPLICAR QUE EXISTEM MUITAS OUTRAS FORMAS DE SE PRODUZIR ENERGIA , MAIS BARATAS E ECOLOGICAS , PORÉM EXISTE UM PEQUENINO PROBLEMA : NÃO DÁ PRA POLITICOS ROUBAREM TANTO . OUTRA GRANDE MENTIRA É O ALCOOL , ALIÁS ,FORAM OS USINEIROS DE ALCOOL QUE FINANCIARAM O LULA . VAMOS PENSAR UM POUCO MELHOR NA PROXIMA VOTAÇÃO .

  • José Gabriel:

    Fico impressionado com a ignorância de uns comentários.
    Não é porque uma usina vai ser construída que vai evitar apagões. Há a dispersão da energia elétrica durante a transmissão, o que, combinado aos problemas ambientais levam esta obra a outro patamar. Se a energia dispersada por itaipu no sistema integrado de energia ao distrito federal abasteceria outro distrito federal; imagine a perda na transmissão para os polos consumidores, como são paulo! O que realmente evitaria seriam fontes próximas aos centros consumidores e de preferencia sustentáveis.

  • Julliana:

    Isso é um completo absurdo, será que não existe outar forma de conseguir todos esses benefícios que o governo tanto quer ? Sim, teremos que desmatar e atrapalhar a ecologia para promovermos mais essa mudança, mas justo na Amazônia onde já estão sendo relatados vários problemas ambientais ? Eu ficaria sem luz, mas não permitiria um absurdo desses.

  • Eddy:

    Para que usar motores magnéticos free energy?
    Para que usar sistemas de pressão obtidos da queima (sem emissões) do lixo?
    Para que usar energia solar com sistema de espelhos?
    Para que usar hidrólises?
    Para que usar geotérmica?
    Para que usar a cabeça se pode usar a b….?
    Bom… porque essas soluções não pagam comissões o afetam interesses.
    Ao menos interesses dos que reclamam pelos seus interesses. Porque a homem comum continua calado e não reclama enquanto entrega os interesses dele ao seu “destino”. O caso é que o “destino” toma decisões por ele. O “destino” têm vontade e n~åo está preso ao tempo. Difícil de entender.
    Usem as assinaturas que unidos sim fazem a diferença.

  • Ze da Feira:

    Olá big bang, se eu puder ajudar eu compro a argamassa.

  • Elizabeth:

    “crucial para o desenvolvimento e criação de empregos”? Será que vale tanto “desenvolvimento” sem condições ambientais para viver? Não me refiro apenas a essa usina mas ao comportamento geral dos homens que destroem o mundo em prol do desenvolvimento, sem pensar que em pouco tempo não terão mais planeta onde viver.

  • Jin:

    Lula aprendeu alguma coisa?!!! Naaaao…

  • Eron:

    Os ecologistas reclamões continuariam reclamando com uma vela na mão se eles chegassem ao intento deles,mas, neste caso por falta de luz, precisamos das hidroelétricas e ponto.

  • CronosTs:

    Como todo assunto da política há controvérsias, no entanto, esse feito foi mais que necessário, não quero passar pelo apagão de novo e alem do mais o amazonas já está sendo degradado pelas queimadas e desmatamentos, não que isso seja necessário para a construção da usina, mas ao menos a usina trará beneficios a comunidade.

  • big bang:

    Gente, se eu fosse o dono do mundo mandava azulejar a amazonia e dava um apito pra cada indio e estava tudo resolvido…

  • Ze da Feira:

    Parabens Brasil por mais essa conquista. até que enfim um pouco de bom senso.

Deixe seu comentário!