Humanidade já influencia mudanças climáticas há 8 mil anos

Por , em 31.03.2011

Se você culpa a Revolução Industrial (nascida na Inglaterra em 1750 e desenvolvida em sua forma moderna cem anos depois), com suas consequências nos séculos seguintes, por todos os males causados ao meio ambiente, talvez seja hora de rever esse conceito. Uma pesquisa publicada no último dia 25 sugere que o ser humano prejudica a natureza há mais de 8 mil anos.

O estudo foi feito por uma instituição científica em Lausanne, na Suíça. Eles partiram do princípio que a humanidade tem o hábito de limpar terrenos e arrancar árvores desde a Pré-História (calculada, neste caso, como tendo começado seis mil anos antes de Cristo). Um cálculo simples foi baseado no fato de que toda árvore arrancada deixou de absorver uma quantidade de Carbono. Assim, cada árvore retirada foi computada como Carbono a mais que o homem lança na atmosfera.

O resultado obtido é que foram liberados 350 bilhões de toneladas de toneladas de Carbono até 1850, quase somente pelo desmatamento vegetal. De lá para cá, “apenas” 440 bilhões de toneladas foram adicionadas. Isso significa a quantidade de carbono liberada em oito mil anos de desmatamento representa 80% do que nos últimos 150 anos de queima de combustíveis fósseis e outras agressões à limpeza do ar.

O líder da pesquisa, Jed Kaplan, afirma que isso serve para “combater a ideia de que o planeta Terra era virgem e intocado até a Revolução Industrial”. Ele cita que no começo das civilizações organizadas, que dependiam das cheias de rios (no chamado crescente fértil), já existia o hábito de limpar terrenos de sua cobertura vegetal original.

O grande catalisador das emissões de Carbono, antes de 1850, aconteceu com o aumento populacional da Terra. Proporcionalmente, mais áreas tiveram que ser desmatadas com o passar dos séculos, até que as técnicas modernas de agricultura (como irrigação mais eficiente, fertilizantes, etc.) revertessem esse quadro. Como resultado dessa pesquisa, os pesquisadroes produziram um vídeo onde se pode ver quanto a Terra foi desmatada desde o início da ocupação humana. O cálculo de 350 bilhões de toneladas de Carbono é proveniente das estimativas deste vídeo. [ScienceNews]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

7 comentários

  • tico:

    é o homem já destrui o planeta,mas se não fosse a revolução industrial o processo ia ser mais lento,e já esta na hora de ocorrer a segunda revolução industrial,por que as fabricas tem que usar energia nuclear se nos temos uma grande bola brilhante nos dando energia durante bilhões de anos sem parar.

  • Elizabeth:

    Está certo que há 8 mil anos o homem influencia as mudanças climáticas. Acontece que tudo tem seu limite. Se você ficar inflando um balão de gás aos poucos, chega um dia que ele explode. Nosso planeta parece estar chegando no seu limite.

    Ao invés de desculpar as indústrias, o desmatamento, a poluição e os maus tratos ao planeta, dizendo que não é de hoje que poluem, por que não fazer campanha para, pelo menos, freiar isso?

  • eduardo:

    Esse lance de aquecimento global nada mais é que um ciclo natural… depois esfria, vcs verão… ou não…. kkkkkkkkk

  • Rodrigo Paim:

    Atualmente quase 30% dos gases estufas lançados no ar “pelo homem” vem da agropecuária ( incluindo desmatamento pra limpar o terreno e as queimadas, prática primitiva muito utilizada em países sub-desenvolvidos como o nosso )

    Por mais que o consumismo pare, não adiantará nada enquanto a população humana continuar crescendo tanto.

    Lembrando que ironicamente as maiores taxas de natalidade estão nos países mais pobres, onde a população mal consegue se alimentar e mesmo assim tem 7 ou mais filhos …

  • Alter ego: Historiador:

    Mas o momento que começamos a poluir de forma pesada foi a partir da Revolução Industrial. Quando se convenceram que os recursos naturais eram ilimitados, hoje sabemos que não é bem assim.

  • Broke:

    O aumento populacional é a causa da maioria dos problemas da humanidade.

  • EP:

    Últimamente tenho visto vários erros de escrita/digitação nas notícias do HypeScience. Adoro este site e não deixarei de visitá-lo por estes erros, mas seria melhor sem eles.

Deixe seu comentário!