Japão cria foguetes artificialmente inteligentes

Por , em 5.04.2011

A Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa está desenvolvendo foguetes artificialmente inteligentes que podem realizar auto-diagnósticos e auto-reparações.

A maioria das naves espaciais já tem recursos inteligentes, como o auto-ajuste de suas trajetórias, a avaliação da sua situação e o poder de decisão de realizar tarefas, como colocar-se em modo de segurança quando algo inesperado acontece.

Entretanto, até agora, os foguetes não eram nada melhores do que apenas automáticos. Eles podem notificar os engenheiros quando algo está errado, mas não podem fazer nada sobre isso.

A maioria dos projetos ainda utiliza tecnologia de décadas atrás que, como tal, é cheia de deficiências. Os novos foguetes seriam capazes de se verificar, descobrir o que causou um problema e, em alguns casos, se consertar.

Por exemplo, um caso que envolva as correntes elétricas que controlam a orientação do propulsor de foguetes, que por sua vez controla sua direção. Foguetes inteligentes poderiam se proteger contra picos de energia elétrica, ou corrigi-los para se certificar de que não saia do percurso.

Segundo os engenheiros, os novos foguetes inteligentes podem reduzir ainda mais o custo dos lançamentos espaciais futuros, além de já serem mais baratos e simples de usar. A primeira missão do protótipo japonês será 25% mais barata do que o lançamento de um foguete comparável. [POPSCI]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

3 comentários

  • ZEUS:

    Porque não usam o conhecimento pra controlar o vazamento radioativo de Fukushima????Ainda nem controlaram uma catástrofe e já tão querendo provocar outra…Ô POVINHO TEIMOSO…!!!!!!

  • IvanRW:

    Sobre o comentário do Cesar, imagina no meio do percurso o piloto do ônibus espacial recebendo uma tela azul do windows, kkkk.

  • Cesar:

    O problema da atualização da tecnologia de informática é o ambiente espacial. Para um computador ser aprovado para uso no espaço, ele tem que passar por vários testes, por que a presença de prótons com alta energia tem um efeito terrível na informática: a radiação cósmica pode alterar os dados que estão em uso no computador, o que é um 0 pode virar 1 sem aviso algum, e isto pode significar coisas como “comando para despressurização de emergência da cabine, passe de 0 para 1 para abrir”, e aí já viu…

    Os computadores usados nos ônibus espaciais, até onde eu sei, são velhos 286, e são usados justamente por que são feitos para suportar o ambiente espacial, e tem salvaguardas contra este tipo de coisa.

    Outra coisa, os programas que rodam nestes computadores são todos dedicados. Você não verá um computador destes usando Windows ou Linux, apenas sistemas “proprietários” e dedicados, escritos pelos engenheiros de software da NASA ou das empresas de software contratadas pela NASA. Nada de mouse e teclado QWERTY, tudo na base do botão de comando.

Deixe seu comentário!