Executivo do Facebook diz que jejuar durante 15 horas por dia mudou sua vida

Por , em 12.12.2016

Dan Zigmond, diretor de análises do Facebook, perdeu mais de 9 quilos em 2014, em menos de um ano. O mais interessante é a forma como ele conseguiu isso: não precisou monitorar suas refeições, nem contar calorias. Em vez disso, apenas desistiu de comer 15 horas por dia.

“Eu não penso nisso como um ‘jejum’ por si só. Há um período de tempo no qual eu como, e há um período de tempo no qual não como”, disse ao portal Business Insider. “A vida é sobre equilíbrio”.

Jejum intermitente

Zigmond, um budista praticante, adotou uma dieta chamada de jejum intermitente, que envolve ficar sem comida por cerca de 14 horas por vários dias.

A ciência ainda não chegou a um consenso sobre o jejum intermitente. A maioria dos estudos feitos foram com roedores e insetos, ao invés de seres humanos ou pelo menos outros primatas, de forma que temos poucas informações sobre seus efeitos de saúde.

Uma pesquisa do Instituto Salk para Estudos Biológicos foi o que convenceu Zigmond a tentar esse estilo de alimentação. O texto sugeria que quando você come pode importar tanto quanto o que você come.

Ratos com alimentação limitada a certas horas do dia tornaram-se mais magros do que ratos que foram alimentados a qualquer hora, de acordo com a pesquisa. Zigmond lembrou-se de seu tempo vivendo em um templo budista na Tailândia, onde os monges seguiam uma rotina semelhante, e decidiu que queria experimentá-la.

A dieta

A rotina de Zigmond envolve comer durante uma janela de nove horas por dia. Sua primeira refeição é normalmente às 9h00: uma tigela de aveia com iogurte grego, às vezes misturada com granola, mirtilos ou bananas.

No trabalho, Zigmond tenta se manter hidratado bebendo chá gelado sem açúcar. No almoço, em torno do meio-dia, ele se alimenta do que estiver com vontade. “Eu sou muito flexível sobre o que como no almoço – não há regras”, explica. “Ontem eu comi pizza. A minha comida favorita é a indiana, mas eu tenho que andar de bicicleta para o outro campus [do Facebook] para isso, então só como talvez uma vez por semana”.

À tarde, por volta das 15h00, ele toma um suco. Quando chega 17h30, é o momento da última refeição do dia, o jantar, que tende a ser sua menor refeição. “Muitas vezes como um sanduíche, que é o que fiz ontem, outras vezes como uma tigela de arroz e curry”, conta.

Enquanto o executivo para de comer no fim da tarde, ele ainda pode beber chá depois desse horário, bem como antes do café da manhã, algo que faz com frequência. Além disso, Zigmond costuma se exercitar, por exemplo, ele gosta de correr ao acordar.

Livro

Caso você tenha se interessado pela história de Zigmond, ele é coautor do livro “Buddha’s Diet: The Ancient Art of Losing Weight Without Losing Your Mind” (em português, algo como “Dieta de Buda: A arte antiga de perder peso sem perder a cabeça”), no qual fala sobre sua experiência. [BusinessInsider]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,75 de 5)

3 comentários

  • Jóquei de Pégasus:

    O que é bem diferente de jejuar 15 horas e continuar jejuando porque não se tenha renda pra fazer uma refeição, faquir por acaso.

  • EvandroJGC:

    Exato! Fechar a boca é o segredo. Simples assim.

  • Cristiano Costa Brandao:

    Boa tarde : O equilíbrio é um consenso de fato – sem isso tendem-se ao fracasso

Deixe seu comentário!