Lua de Júpiter possui “oceano de magma”

Por , em 24.05.2011

A lua de Júpiter, Io, é o local mais vulcânico do sistema solar. Agora, os cientistas acreditam que descobriram por que.

Io derrama cerca de 100 vezes mais lava sobre a sua superfície do que a Terra, por ano. A distribuição dos vulcões em Io também é muito diferente do que na Terra. Os vulcões estão por toda parte, enquanto no nosso planeta eles tendem a ficar nos limites das placas tectônicas.

Dados da NASA sugerem toda esta atividade está sendo alimentada por um gigantesco oceano de magma sob a crosta da lua. Os pesquisadores dizem que o reservatório quente tem provavelmente cerca de 50 quilômetros de espessura (e esse número é mínimo; poderia ser muito, muito mais espesso).

Quando os cientistas descobriram a Io nos anos 70, a lua pareceu bastante estranha ao que eles conheciam. Imediatamente, os cientistas questionaram por que havia vulcões em toda a superfície. Agora, o estudo diz que é porque existe um aquífero de magma gigante logo abaixo da crosta.

O vulcanismo de Io é movido pelo seu planeta-mãe, Júpiter. O planeta produz marés colossais sobre a lua que “esmagam” e “forçam” seu corpo, derretendo suas rochas.

Leituras do instrumento magnetômetro da NASA indicaram a lua estava distorcendo dramaticamente o campo magnético de Júpiter, mas o motivo para isso não ficou claro. Levou vários anos para que os cientistas identificassem o problema, que é a natureza das rochas na lua e como elas se comportam quando derretem.

Mais tarde, experimentos de física mineral descobriram que quando as rochas ultramáficas (muito ricas em magnésio e ferro) são derretidas, a sua condutividade aumenta por ordens de magnitude. A condutividade muito alta pode criar o tipo de sinais que a NASA detectou.

Testes mostraram que os sinais são consistentes com uma rocha como lherzolito, uma rocha ígnea rica em silicatos de magnésio e ferro encontrada, por exemplo, na Escandinávia.

A camada de oceano de magma de Io tem, pelo menos, 50 km de espessura e, provavelmente, corresponde a pelo menos 10% do manto da lua, em volume. Sua temperatura provavelmente excede 1.200° Celsius.

O aquífero fica abaixo da crosta, cerca de 50 km para baixo. O manto da lua (camada interior) provavelmente se estende por mais de 700 a 800 km. Medições de gravidade sugerem que o centro de Io é feito de ferro e, possivelmente, líquido – muito parecido com a Terra.

Io tem apenas cerca de um quadragésimo do volume da Terra e um sexagésimo da massa. Mas, por causa da enorme quantidade de calor gerado pelas marés de Júpiter nesta lua muito pequena, sua estrutura interna é muito semelhante à da Terra.[BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

6 comentários

  • Twisted:

    Imagine se esta fosse a Terra e conseguíssemos sobreviver, uma bebida de congelar seria em uma temperatura de 1000ºC!

  • ronaldo:

    concordo com o marte

  • FelipeBleichvel:

    o titulo da matéria deveria ser:
    cientistas descobrem localização exata do inferno!

  • Fernando Henrique:

    É verdade pose ser que tenha algum tipo de vida, se existe bacteria que resiste a acido.

  • Marte:

    Apesar do inferno de Io, ela é suspeita de abrigar algum tipo de vida (tem água líquida, atmosfera – precária – e energia). Mas com uma temperatura superior a 1.600° Celsius, se existir, deve ser bem diferente do que estamos acostumados a chamar de ser vivo.

    • Sr. Omar:

      Mas, se a temperatura está acima de 1.600° C a água não será líquida né…

Deixe seu comentário!