Matéria escura é finalmente encontrada; está em todos os lugares

Por , em 15.02.2012

Pela primeira foi revelado onde está a matéria escura do espaço. Um grupo de físicos japoneses revelou onde está ela está, mas não o que ela é. Ao que parece, a misteriosa substância está em quase toda parte, espalhada por todo o espaço intergaláctico e forma uma rede abrangente de matéria.

A matéria escura é invisível: ela não interage com a luz, por isso os astrônomos não conseguem vê-la. Até o momento, ela só foi observada indiretamente através da força gravitacional que exerce. Baseados na interação gravitacional, os cientistas têm inferido que a matéria escura constitui 22% da matéria-energia do universo, enquanto a matéria detectável comum constitui apenas 4,5%.

Shogo Masaki e seus colegas usaram simulações de computador para modelar os últimos dados observados de 24 milhões de galáxias. Ao determinar como a luz das galáxias se inclinava um pouco ao passar pelo espaço na rota até a Terra – um efeito conhecido como lente gravitacional – os pesquisadores foram capazes de achar a localização da matéria escura.

Um estudo detalhado sobre o assunto foi publicado no Astrophysical Journal na última sexta-feira, dia 10 de fevereiro. O modelo mostra que a matéria escura se estende de cada galáxia distante para o espaço intergaláctico, sobrepondo-se a matéria escura das galáxias adjacentes para formar uma teia difusa que envolve todo o universo.

Na verdade, “o espaço intergaláctico” é um equívoco. A pesquisa mostra que as galáxias não estão contidas em regiões com margens bem definidas e são separadas umas das outras por milhões de anos-luz. Em vez disso, elas são compostos de um amontoado de massa central, visível e rodeados por uma rede de matéria escura que se estende de forma organizada no meio do caminho até a galáxia vizinha.

Além disso, o que chamamos de “galáxias” são apenas os picos desta distribuição de matéria contínua, explicaram os pesquisadores.

O grupo de pesquisadores mapeou a distribuição da matéria escura sobre uma distância de 100 milhões de anos-luz a partir do centro de cada galáxia. Eles observaram que a distribuição da matéria nunca é aleatória ou uniforme, mas é bem organizada.

Inúmeras pesquisas de matéria escura estão sendo realizadas em todo o mundo. Os cientistas suspeitam que o material consiste em indescritível WIMPs (“partícula massiva que interage fracamente”), partículas que são muitas vezes mais pesadas do que prótons e só interagem através da gravidade e da força nuclear fraca. [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

96 comentários

  • Samara Diamond:

    Talvez, essa descoberta, possa abrir caminho para infinitas possibilidades… Não sei, mas se por acaso eu estiver correta, essa estrutura em forma de rede, possa ser a chave para viagens intergalácticas, uma forma de conseguirmos ir a qualquer ponto do universo ou até do multiverso, se conseguirmos decifrar uma forma de utilizar a tão complexa estrutura que forma a enigmática matéria escura. Poderíamos fazer em pocas horas, viagens que atualmente levariam centenas ou até milhares de anos.

  • Alberto Campos:

    A matéria escura não é matéria e sim uma energia (energia gravitacional do centro do universo), como o buraco negro é o centro gravitacional de uma galáxia. Comparando o universo a uma gigantesca galáxia (a galáxia é composta de estrelas e o universo é composto de galáxias). Assim é possível se explicar a matéria escura.

  • Alexandre:

    Matéria escura é finalmente encontrada; está em todos os lugares
    Menos na Tabela Periódica…

    • Cacio Gazola:

      Não confunda matéria com elemento quimico.

  • Glauco Ramalho:

    Em todos os lugares, menos no nosso Sistema Solar:
    https://hypescience.com/nao-ha-materia-escura-na-nossa-regiao-do-espaco/

    Huhuahuahha, cientistas buhos!!! Dá zero prá eles professor!!

  • Laís:

    Você não é o primeiro que pensa dessa forma. Muitas pessoas que conheço intrigam-se com o fato de nosso cérebro ser parecido e ter ligação com o universo. Só não conseguimos descifrar que ligação é essa (AINDA MUAHAHA). É tão interessante…

    • Rakell:

      Verdade…. Não só tem semelhança com o espaço como também com a natureza…
      A pergunta que não quer calar: /se somos feitos de poeira, então que tipo de energia nos permite viver e ter consciência? O que seria o fôlego de vida? Energia! Mas como explicar tal energia?
      Fazer o que? Se o caminho das descobertas fosse do mesmo tamanho que nossa curiosidade incalável, saberiamos e respeito de exatamente tudo!

    • sergio_panceri:

      particulas menores tendem a se comportar como as maiores 🙂

  • alexkidy:

    Só queria entender, se é isso que expande o universo, como que isso ocorre?

    • Cesar:

      Não é a matéria escura que expande o Universo. É a energia escura, que tem um efeito anti-gravitacional.

      Não sei por que o Universo está em expansão, sei apenas que ele está em expansão. O “por que” do Universo estar em expansão provavelmente será conhecido quando descobrirmos o que causou o Big Bang. Por enquanto, só o que sabemos é que ele está em expansão.

    • alexkidy:

      Obrigado 🙂

  • Luiz Roberto Cobianchi:

    Documento 12
    O Universo dos Universos

    (128.1) 12:0.1 A VASTIDÃO da criação imensa do Pai Universal está totalmente fora do alcance da imaginação finita; a enormidade do universo-mestre assombra até mesmo as noções da minha ordem de seres. À mente mortal, contudo, muito pode ser ensinado sobre o plano e os arranjos dos universos; vós podeis conhecer algo da organização física deles e da sua maravilhosa administração; podeis aprender muito acerca dos vários grupos de seres inteligentes que habitam os sete superuniversos do tempo e o universo central da eternidade.

    (128.2) 12:0.2 Em princípio, quer dizer, em potencial de eternidade, nós concebemos a criação material como sendo infinita, porque o Pai Universal na realidade é infinito; mas, à medida que estudamos e observamos a criação material total, sabemos que em qualquer dado momento no tempo ela é limitada, embora para as vossas mentes finitas ela seja relativamente sem limites, virtualmente sem fronteiras.

    (128.3) 12:0.3 Pelo estudo das leis físicas e pela observação dos reinos estelares, estamos convencidos de que o Criador infinito ainda não está manifestado em finalidade de expressão cósmica e que muito do potencial cósmico do Infinito encontra-se autocontido e não revelado ainda. Para os seres criados, o universo-mestre poderia parecer quase infinito, mas está longe de terminado; há ainda limites físicos à criação material, e a revelação experiencial do propósito eterno ainda está em progresso.

    1. Níveis Espaciais do Universo-mestre

    (128.4) 12:1.1 O universo dos universos não é um plano infinito, ou um cubo sem limites, nem um círculo ilimitado; certamente, tem dimensões. As leis da organização e da administração física provam conclusivamente que toda a vastíssima agregação de energia-força e de potência-matéria funciona, em última instância, como uma unidade de espaço, como um todo organizado e coordenado. O comportamento observável da criação material constitui evidência de um universo físico de limites definidos. A prova final de que o universo tanto é circular, quanto delimitado, é-nos proporcionada pelo fato bem conhecido nosso de que todas as formas de energia básica sempre giram em torno da trajetória curva dos níveis espaciais do universo-mestre, em obediência à atração incessante e absoluta da gravidade do Paraíso.

    (128.5) 12:1.2 Os níveis sucessivos do espaço do universo-mestre constituem as maiores divisões do espaço preenchido — a criação total, organizada e parcialmente habitada, ou ainda a ser organizada e habitada. Se o universo-mestre não fosse uma série de níveis de espaços elípticos, de menor resistência ao movimento, que se alternam com zonas de quiescência relativa, nós conceberíamos que uma parte das energias cósmicas seria disparada, de modo observável, para um alcance infinito, em linha reta no espaço, sem rotas; mas nunca observamos a força, a energia ou a matéria comportando-se assim; elas sempre rodam, girando sempre para frente nas trilhas das grandes órbitas espaciais.

    (129.1) 12:1.3 Partindo do Paraíso para fora, na extensão horizontal do espaço preenchido, o universo-mestre consiste em seis elipses concêntricas; e os níveis de espaço que rodeiam a Ilha Central são:

    (129.2) 12:1.4 1. O universo central — Havona.
    (129.3) 12:1.5 2. Os Sete Superuniversos.
    (129.4) 12:1.6 3. O Primeiro Nível do Espaço Exterior.
    (129.5) 12:1.7 4. O Segundo Nível do Espaço Exterior.
    (129.6) 12:1.8 5. O Terceiro Nível do Espaço Exterior.
    (129.7) 12:1.9 6. O Quarto Nível ou o Nível Mais Exterior do Espaço.

    (129.8) 12:1.10 Havona, o universo central, não é uma criação no tempo; tem uma existência eterna. Este universo, sem começo e sem fim no tempo, consiste em um bilhão de esferas de perfeição sublime e é rodeado de enormes corpos escuros de gravidade. No centro de Havona está a Ilha do Paraíso, estacionária e absolutamente estabilizada, rodeada dos seus vinte e um satélites. Devido às enormes massas dos corpos escuros de gravidade que a rodeiam, no limite do universo central, a quantidade de massa dessa criação central é muito maior do que a massa conhecida de todos os sete setores do grande universo.
    (129.11) 12:1.13 O Grande Universo é a criação atual, já organizada e habitada. Consiste em sete superuniversos, com um potencial evolucionário agregado de cerca de sete trilhões de planetas habitados, sem mencionar as esferas eternas da criação central. Mas essa estimativa experimental não leva em conta as esferas arquitetônicas administrativas, nem inclui os grupos exteriores e remotos de universos não organizados. A fronteira atual irregular do grande universo, a sua periferia desigual e inacabada, juntamente com a condição tremendamente incerta de todo o plano astronômico, sugere aos nossos astrônomos que mesmo os sete superuniversos estejam incompletos ainda. À medida que nos movemos de dentro para fora do centro divino, em qualquer direção, chegamos finalmente aos limites externos da criação organizada e habitada; chegamos aos limites exteriores do grande universo. E é próximo dessa fronteira externa, em um canto afastado dessa criação magnífica, que o vosso universo local tem a sua movimentada existência.
    (142.2) 12:9.7
    [Apresentado por um Perfeccionador da Sabedoria, atuando por mandado dos Anciães dos Dias.]
    Mais informações em O Livro de Urântia* *Terra

    • Vinicius Freitas:

      Oi pessoal sou novo aqui,mas alguém poderia me explicar a teoria das cordas ???

  • Marte:

    Curiosidade: amplie esta foto e veja próximo à sua base, no centro da imagem, uma letra “S” perfeita.

    O que um “S” estaria fazendo perdido no meio do cosmo?

    • Cesar:

      Evidenciando o fenômeno muito comum e natural da pareidolia.

  • Glauco:

    Epa… é impressão minha ou meu comentário foi editado pela redação?? Deve ser impressão…

    • Aloisi:

      Se alguem cria a cura pro cancer nego vai la e abafa a parada pra industria farmaceutica nao perder milhoes com tratamentos. Se vc faz algo que vá melhorar alguma coisa que tem no mundo radicalmente, mas essa descoberta acarretar em danos a poderosos voce vai ser perseguido e morto ou subornado ou esquartejado ou queimado na fogueira como bruxo ou escomungado, porra ja cansei o que eles querem? destruir o mundo??? ja conseguiram, mas assim como uma maquina ela pode funcionar mal ate parar de vez a terra ta indo nesse caminho. é tanta raiva que to nem ai pro portugues nem acentuação, to cansado ja…

    • Glauco:

      Cara, se vc inventar um copo dágua eles vão dar um jeito de fazer arma disso.

    • Aloisi:

      Só me pergunto quando é que vamos ter a força pra fazer essa realidade ser mudada.

    • Aloisi:

      Ah é mesmo já ia me esquecendo. Mandei uma mensagem antes da que você leu. Mas a que eu escrevi antes não foi aceita. Ai mandei a que você leu… Porque não postaram a que eu mandei anteriormente, não disse nada de mais…

    • Glauco:

      Não vai rolar…

    • david:

      tem que ter uma consciÊncia mundial! agora como fazer que o mundo entre em conciÊncia é o dificil.!

      algums implantam a sua própria consiÊncia, se imolando. mais é bem radikal.!rs.

      acho que tocar fogo no congreço seria um bom começo.!

  • Netnature:

    Não é só porque não vemos que não existem, certamente não vemos uma série de microrganismos mas certamente sabemos de sua existência. Não vemos a gravidade mas sabemos que ela existe pois por algum motivo as coisas caem, ela pode ser então detectada por nossas metodologias. O vento também não pode ser visto mas claramente vejo as arvores se moverem.
    Ha quem diga que nada disso pode ser provado, é fácil desconfiar de sistemas científicos como esses, pelo simples fato de que voce pode testa-los em sua casa por exemplo. Mas eu gostaria de ver alguém por em teste a suas convicções de que existe realmente um Deus por exemplo.
    Por mais metafisico que o conceito de multiversos pareça ser ele ainda sim é embasado em uma concepção física, empírica pois seus dados não foram criados arbitrariamente. A velocidade da luz a força da gravidade não tem seus números porque nós o criamos, mas sim porque nos a medimos segundo um sistema metodológico. Não ha sistema metodológico algum que possa medir ou provar que um ser divino metafisico. Parabens ao hypescience por impedir a disseminação da vertente anti-científica e anti-educacional chamada criacionismo. Se hoje esta pseudo-ciência cresce é devido ao péssimo incetivo a ciência, a divugação e jornalismo científico que o nosso país de terceiro mundo tem.

    Visitem meu site para saber mais!!!

    • Jorge:

      Antes de mais nada ,Deus lhe abençoe e ilumine seus caminhos.O que acredito e que a ciência e religião devem se unir para que as respostas que todos queremos venha de forma mais rápida. Idealizo um padre cientista ou um cientista religioso, como se fosse um resgate de um elo perdido.O próprio Jesus Cristo na sua fase de adolescente passou um tempo se instruindo das leis naturais e sobrenaturais, porque assim e a essência de tudo.A fixação em um dos lados nos faz sofrer mais,acreditar só em provas físicas, na auto suficiencia e no materialismo(o qual toda a sociedade poderosa se baseia), não é suficiente para encontrarmos soluções criativas e urgentes que possam salvar a vida no planeta terra.uma coisa é certa que quanto mais nos aprofundamos na ciência mais nos aparece uma existência de coisas mais complexas, e mais longe do nosso alcance tecnológico.Só para encerrar esse breve comentario é que em um belo dia descubramos todas as respostas atraves de metódos cientificos em que constataremos que a substancia primordial do universso seja o Amor de Deus pela humanidade ,o qual herdamos uma pequena parte, e estamos por ai procurando e sem saber o que fazer.

    • Ricardo Costa:

      É um comentário interessante, porém, muito incisivo. Eu não acredito na existência de um Deus moldado e conivente como o Deus comum (Cristão). No entanto, dizer que O Ser primordial não existe ou colocar isso como um fato inquestionável por não se provar isso, é o mesmo que desvirtuar a própria ciência, já que você não abre ponto para questionamento das suas idealizações. Eu penso que a ciência, em si, se põe à prova a todo momento e nunca devemos colocar os estudos num patamar sólido e imutável

  • Gabriel:

    Realmente a imagem parecem ser uma rede neural , já pensou sermos algo dentro do cérebro de algo muito maior , as galáxias os neurônios e todo o resto de um sistema cerebral !!! Meio absurdo e improvável mas seria algo realmente impressionaste que nunca poderemos saber , mesmo que seja só uma brincadeira .É como já foi provado !! nós somos MUITO PEQUENOS !!! GOD WHY ????????

    • Gilberto M.:

      Pode crer. A aparência orgânica de todo o sistema que aparece na imagem é intrigante.

    • david:

      “Poderia estar encerrado em uma casca de noz e me sentir rei de um espaço infinito…”

      Shakespeare, Hamlet.

  • Ozzy Osbourne:

    a imagem parace uma rede neural, oh não, estamos presos dentro do cérebro de um ser superior, Please GOD Help us…

    • Rakell:

      Pelo menos podemos descobrir como esse super cerebro fuinciona, neh…

  • Roberto:

    Não interage com a luz mas foi fotografada…

    • Gabriel:

      Quem disse que foi fotografada?

    • Rakell:

      tecnologia…
      se a WB consegue fazer filmes que parecem ser filmados em outro mundo, então não deve ser muito dificil tirar uma foto dessa… hehehh

    • Gabriel:

      Não é uma foto. Fotografia só é feita com luz visível. A maioria das “fotos” de galáxias, nebulosas e corpos celestes distantes são imagens criadas por computador através de câmeras infravermelhas, radiotelescópios ou observatórios de raios X. Em alguns casos mais extremos são criadas através de cálculos matemáticos do que “deveria estar ali”. Essas imagens são geradas em preto e branco porque não existe “cor” fora do espectro da luz visível, posteriormente elas são coloridas por computador usando critérios como densidade, temperatura ou simplesmente a imaginação de um artista.

  • diogo:

    Mamãe, é Deus. Encontraram Deus mamãe. Está em todos os lugares mamãe.è o poder de Deus mamãe.

    • Glauco:

      é o saci pererê!!

    • Rakell:

      Pior que é Deus mesmo…
      Deus deve ser um cara super inteligente e super evoluido tecnologicamente, tipo um ser do futuro que criou tudo o que existe, ou um ET….

  • Eduardo:

    Quem foi que disse que os cientistas só acreditam no que podem ver? 😀

  • Roni Pensador:

    ao Gilberto: não concordo com a idéia de universos paralelos, mesmo se existissem, a força da gravidade deles não afetaria de forma organizada o nosso( as distâncias e os tamanhos são muito grandes). Confesso que não li profundamente sobre a teoria de ” multiverso e nem assisti documentários. Ao meu ver é uma teoria que tenta simplificar algo complexo ao extremo ( o início do universo) . A afirmação de que a matéria escura é a influência de outros universos, não me parece possível.

    • Gilberto M.:

      Esse assunto de multiverso, mundos-brana e coisas assim são, realmente, muito especulativos, mesmo que alguns nomes de peso da ciência, como Stephen Hawking por exemplo, tratem desses assuntos abertamente em alguns de seus livros e publicações científicas. Só toquei no assunto como mera curiosidade. Penso que essas coisas estejam fora do alcance da ciência atual.

    • Cesar:

      Também sou cético em relação a esta teoria, mas como não sou especialista, não me animo a dizer “está errada” ou “está certa”: eu não tenho conhecimento para sustentar uma posição destas.

      O que eu sei é que existem bases matemáticas para esta hipótese, ou seja, ela tem coerência interna. Mas isto ainda não significa que ela seja verdadeira, principalmente por que a hipótese das cordas não foi testada e ninguém até hoje sabe como testá-la.

      E este é um problema terrível para a cosmologia moderna. A hipótese das cordas tem seu apelo, principalmente pela coerência interna, manifestada pela sua matemática. Só que por enquanto ela não tem como ser testada.

      Este campo de estudos ainda está aberto e quem tiver alguma intuição sobre o mesmo, deveria fazer uma faculdade de física, e especializar-se no assunto: é uma área que ainda vai render muito prêmio Nobel e quebras de paradigmas.

    • Gilberto M.:

      Eu também não sou nenhum especialista, não. Eu gosto muito de ler sobre o assunto e, depois de ler o livro de Marcelo Gleiser “Criação Imperfeita”, fiquei bastante pessimista quanto a Teoria das Cordas. Segundo a opinião do autor, é muito sedutora matematicamente, mas não reflete o que observamos no universo. Esqueça a Teoria M, é um sonho que não poderá ser realizado, conforme o livro que citei. É um tanto melancólico, mas, mesmo assim, a ciência continua sendo muito empolgante.

    • Chuck Norris®:

      Eu também sou cético em relação a esta teoria. Também sou cético em relação a teoria do Big Bang, e todas as outras teorias sobre o universo.

    • Gilberto M.:

      E quanto a possibilidade do Corinthians ser o próximo campeão da libertadores? Você também é cético?

    • Cesar Crash:

      Aqui http://olhandoouniverso.blogspot.com/
      temos uma teoria que elimina a possibilidade, ou pelo menos a necessidade de existência da matéria escura. Na minha mente ignorante sobre o assunto, parece bastante plausível.

    • aguiarubra:

      César Crash

      Eu achei o seguinte nesse blog que vc indicou:

      Último registro: 28/01/2011 n°: 518 – lv. 984 fl. 167

      Este artigo aqui da Hypescience está baseado numa publicação do dia 10 de fevereiro de 2012!!!

      O blogueiro ainda não atualizou a postagem que ele fez, analisando esse “problema” da Matéria Escura.

      Muita água rola em Ciência, no aparentemente curto prazo de um ano.

    • Gilberto M.:

      Aceite sua dica e fui até o blog. Gostei das idéias, mas acho que a primeira coisa que um acadêmico diria é que falta arcabouço matemático para sustentá-la. Mas fora isso, fiquei impressionado com a simplicidade e coerência.

    • Cesar Crash:

      Aguiarubra, eu sei bem que o blog há tempos não é atualizado. O dono do blog disponibiliza o e-mail, é só entrar em contato. O link pra esse blog foi citado por um cidadão em outra matéria. Eu mesmo cheguei a entrar em contato com o autor, depois disso, por essa pesquisa no google, vê-se que ele mesmo tem debatido sobre isso aqui: http://www.google.com.br/#sclient=psy-ab&hl=pt-BR&source=hp&q=olhandoouniverso+hypescience&pbx=1&oq=olhandoouniverso+hypescience&aq=f&aqi=&aql=&gs_sm=3&gs_upl=11523l23372l0l23602l32l24l0l0l0l1l2178l19419l3-1.6-4.5.4.1l15l0&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=d1ea9897df13f0a5&biw=1024&bih=677.
      Mas saber que essa matéria aqui é de 2012, não me parece que muda alguma coisa, pois essa mesma matéria diz “Até o momento, ela só foi observada indiretamente através da força gravitacional que exerce” (ou seja, nõ foi observada) e que os dados contidos na pesquisa são simulações de computador, baseadas praticamente nas mesmas coisas que essa teoria questiona desde janeiro de 2011, ou seja, os argumentos por razões óbvias permanecem os mesmos, pois ninguém encontrou matéria escura nenhuma até agora!!!
      Então, de qual problema da matéria escura você fala? O problema de que alguns cientistas calcularam onde ela precisa estar para que seus cálculos e conclusões estejam corretos? E que fique claro que não estou defendendo essa teoria, apenas a levo em consideração. Eu apenas observo os dados que chegam a mim, e o que tenho visto é que as águas rolaram e rolaram nesse ano, e ninguém chegou a lugar nenhum!

    • aguiarubra:

      César Crash

      Valeu pelo link. Vc me deu um bom material para estudar.

      Meus pontos duvidosos são o seguinte:

      P.: “…,pois ninguém encontrou matéria escura nenhuma até agora!!!

      Então, de qual problema da matéria escura você fala?…”

      Comentário:

      1º problema
      —> a “matéria” escura não é matéria “normal” para ser encontrada, como algo que seja visível aos nossos instrumentos.
      Qualquer “coisa” observável em nossos instrumentos é “matéria” e não é matéria escura.

      2º problema
      —> a matéria “escura” não encontra explicação nas teorias conhecidas, por isso é “escura”: no máximo, foi uma consequencia de certas implicações nas formulações de Einstein, que não foram compreendidas pelo próprio Einstein.

      Por causa disso, necessita-se encontrar outras teorias (como a Teoria M, o Mecanismo de Higgs ou outras mais avançadas) para explicá-la.

      Para satisfazer essas necessidades, precisa-se inventar novos experimentos que “aclarem” esse mistério.

      O LHC é a primeira tentativa de se encontrar tais respostas.

      P.: “…O problema de que alguns cientistas calcularam onde ela precisa estar para que seus cálculos e conclusões estejam corretos?…”

      Comentário:

      Frase —> “…modelar os últimos dados observados de 24 milhões de galáxias…”

      Destaco: “…ÚLTIMOS DADOS OBSERVADOS…”

      Especifico “…OBSERVADOS…”.

      As simulações se deram considerando indícios. Ora, se há os indícios, então há pistas para se seguirem.

      O que tenho lido sobre esse assunto, ora diz sobre ‘impossibilidade’ de indícios, ora fala de ‘equívocos’ sobre os indícios.

      Mas esses comentários eram relativos a INSUFICIÊNCIA de dados OBSERVADOS, insuficiências essas que permitiam dúvidas sobre a interpretação dos indícios.

      Pergunto: agora que foram observadas 24 milhões de galáxias, há outros modelos físico-matemático capazes de refutar as conclusões da equipe de Shogo Masaki?

      Reitero: CAPAZES DE REFUTAR

    • Cesar Crash:

      1º problema: Talvez seja por que ela não existe.
      2º problema: Se nem Einstein entendeu…
      “Por causa disso, necessita-se encontrar outras teorias”. Concordo.
      “Para satisfazer essas necessidades, precisa-se inventar novos experimentos que “aclarem” esse mistério”. Idem.
      “…modelar os últimos dados observados de 24 milhões de galáxias…” Que dados?
      “As simulações se deram considerando indícios. Ora, se há os indícios, então há pistas para se seguirem.” Que podem não levar a lugar algum.
      “Mas esses comentários eram relativos a INSUFICIÊNCIA de dados OBSERVADOS, insuficiências essas que permitiam dúvidas sobre a interpretação dos indícios.” E não permitem mais? Os dados estão aí, eu não os conheço, mas há quem conheça. Se houver várias interpretações possíveis, mas só uma permitir que sua teoria se sustente, é essa interpretação que será seguida. Como já dizia o gato: “Todos os caminhos são certos, depende aonde você quer chegar”.
      “Pergunto: agora que foram observadas 24 milhões de galáxias, há outros modelos físico-matemático capazes de refutar as conclusões da equipe de Shogo Masaki?” Resposta: Não faço a mínima ideia…

    • aguiarubra:

      César Crash

      P. “…1º problema: Talvez seja por que ela não existe…”
      Comentário: então a equipe de Shogo Masaki enganou o Astrophysical Journal publicando erros de interpretação de dados? Acho muito difícil (mas não impossível) acreditar nisso. Fico na espectativa do desmentido oficial dessa pesquisa.

      2º problema: (…)“…modelar os últimos dados observados de 24 milhões de galáxias…”
      Que dados?

      Os dados da equipe de Shogo Masaki

      —> “As simulações se deram considerando indícios. Ora, se há os indícios, então há pistas para se seguirem.”

      Que podem não levar a lugar algum.

      Comentário: agora, com esse artigo do Hypescience, já se chegou a algum lugar.

      —> “Mas esses comentários eram relativos a INSUFICIÊNCIA de dados OBSERVADOS, insuficiências essas que permitiam dúvidas sobre a interpretação dos indícios.”

      E não permitem mais? Os dados estão aí, eu não os conheço, mas há quem conheça. Se houver várias interpretações possíveis, mas só uma permitir que sua teoria se sustente, é essa interpretação que será seguida. Como já dizia o gato: “Todos os caminhos são certos, depende aonde você quer chegar”.

      Comentário: ok, temos que esperar mais pesquisas. No entanto, para mim, não há mais dúvidas, embora eu possa estar muito enganado sobre isso.

      —> “Pergunto: agora que foram observadas 24 milhões de galáxias, há outros modelos físico-matemático capazes de refutar as conclusões da equipe de Shogo Masaki?” Resposta: Não faço a mínima ideia…

      —> Ok.

    • Cesar Crash:

      Aguiarubra,
      “agora, com esse artigo do Hypescience, já se chegou a algum lugar.”
      Bom, o único dado que continuo vendo é “Ao determinar como a luz das galáxias se inclinava um pouco ao passar pelo espaço na rota até a Terra – um efeito conhecido como lente gravitacional – os pesquisadores foram capazes de achar a localização da matéria escura.” Bom, ao que me parece, essa “lente gravitacional”, é o mesma ideia que há muito tenta explicar a gravidade, a curvatura do tempo-espaço que faz Hawking afirmar que embora a Terra “pareça” girar em torno do Sol num ambiente tridimensional, ela na verdade anda em linha reta, no espaço quadridimensional. Ou seja, embora se diga que há dados novos, o único dado descrito é o mesmo de sempre. A novidade, é que foi feita uma simulação em computador de onde a matéria escura precisa estar para justificar a curvatura da luz. Se fazer uma simulção é pra ti chegar a algum lugar, pra mim a sensação de estar perdido continua muito forte pra mim.
      A parte que eu menos entendo é:
      “A pesquisa mostra que as galáxias não estão contidas em regiões com margens bem definidas e são separadas umas das outras por milhões de anos-luz. Em vez disso, elas são compostos de um amontoado de massa central, visível e rodeados por uma rede de matéria escura que se estende de forma organizada no meio do caminho até a galáxia vizinha.”

      comparando com

      “Baseados na interação gravitacional, os cientistas têm inferido que a matéria escura constitui 22% da matéria-energia do universo, enquanto a matéria detectável comum constitui apenas 4,5%.”
      Pxa vida, se o espaço entre uma galáxia e outra é preenchido por matéria escura, e nas galáxias está a matéria comum, onde diabos estão os outros 73,5%!?

    • aguiarubra:

      CÉSAR CRASH

      P.: “…Pxa vida, se o espaço entre uma galáxia e outra é preenchido por matéria escura, e nas galáxias está a matéria comum, onde diabos estão os outros 73,5%!?

      Comentário: Como dizia J.B.S. HALDANE

      “…O universo não é só mais estranho do que supomos, ele é mais estranho do que podemos supor…”

      Os outros 73,5% do Universo é ENERGIA ESCURA.

      Essa “energia” (que não é “energia” como entende a Física do Homo Sapiens) é ainda mais desconhecida e tem caráter (ainda) especulativo, comparável à “constante cosmológica” que Einstein inventou para derrubar a ideia de que o Universo se expandia.

    • Cesar Crash:

      Ah, claro, a energia escura. Quando o texto diz “matéria-energia”, te juro que foi nela que eu pensei, mas ainda arrisquei a pergunta só pra receber mais respostas. Foi falando sobre isso que o cara falou nesse blog Olhando o Universo nesses comentários:
      https://hypescience.com/cacada-pelo-boson-de-higgs-proxima-do-fim/comment-page-1/#comment-142985
      https://hypescience.com/cacada-pelo-boson-de-higgs-proxima-do-fim/comment-page-1/#comment-148539
      Tô vendo que essa matéria aqui: https://hypescience.com/teoria-da-materia-escura-pode-estar-errada/ fala bem sobre isso e lá, inclusive, os caras tavam debatendo sobre o “Olhando o Universo”.

    • aguiarubra:

      CÉSAR CRASH

      Temos de novo um problema com as datas das notícias:

      –> CAÇADA DO BÓSON DE HIGGS PRÓXIMA AO FIM(08.09.2011)

      Obs.: hoje (22.02.2012) sabemos que talvez no fim desse ano se ache o tal bóson, como previsto anteriormente, apesar da melhora na coleta de dados. TALVEZ o Bóson de Higgs explique o que vem a ser a “matéria escura” (já que esse bóson SÓ RESPONDA á teoria da matéria bariônica). Mas será que explicará a Energia Escura?

      –> TEORIA DA MATÉRIA ESCURA PODE ESTAR ERRADA (21.09.2011)
      Obs.: parece que o atual artigo do Hypescience “Matéria escura é finalmente encontrada; está em todos os lugares”, de 15.02.2012, MATOU ESSA CHARADA. Ao menos, resolveu com as “simulações com CDM”, que nem sequer existe, com os resultados da observação de 24 milhões de galáxias, que realmente existem!
      Notou que no artigo de 21/09/11 havia algo sobre o telescópio James Webb ser usado par observar a existência de matéria escura “fria”, mas se houvesse matéria escura “quente” ele não chegaria nem perto de observá-la?

    • Cesar Crash:

      Não, não, dessa vez não citei a matéria como referência contrastando com essa aqui não. Só citei o “Teoria da matéria escura pode estar errada” por que lá fala:
      “A teoria atual afirma que cerca de 4% do universo é composto de matéria normal – o material de estrelas, planetas e pessoas – e cerca de 21% de matéria escura.
      O restante é composto do que é conhecido como energia escura, um componente hipotético do universo muito menos compreendido, que pode explicar a sua expansão cada vez maior.” e isso foi o que você me disse aqui.
      E o outro artigo só citei por que, como eu disse, foi lá que o cara divulgou o “Olhando o Universo”, só por isso.

    • aguiarubra:

      CÉSAR CRASH

      OK, COMPREENDO! Dei uma mancada nessa.

      Acho que tô com “Ansiedade de Informação” (rsrs…) e interpretei mal o que vc escreveu.

      Vide:

      –> “Ansiedade de Informação 2″,de Richard Saul Wurman – Ed. de Cultura, 2005

      –> “A Geração Superficial: o que a Internet está fazendo com nossos cérebros”, de Nicholas Carr, ed. Agir

    • Sérgio:

      Há falhas conceituais. Efeitos relativísticos não foram levados em consideração. Parece mais uma tentativa de recolocar o Homem no centro do Universo.

    • Cesar Crash:

      Como assim, Sérgio? De que forma você vê esse lance de “o homem como centro do universo”?

    • Sérgio:

      Antropocentrismo. O Homem como centro do universo. Giordano Buno, Galileu foram vítimas de idéias equivocadas dos que afirmavam que tudo gira à nossa volta. Falo do geocentrismo de Aristóteles, de Ptolomeu: a Terra ficava no centro e o Sol a Lua e as estrelas giravam ao seu redor. Há muito sabemos que somos criaturas que vivemos num planeta que gira entorno de uma entre bilhões de estrelas, numa região periférica de uma entre bilhões de galáxias no universo. Quando li no texto que você sugeriu que estamos próximos a esse suposto centro de massa do universo não tive como não pensar no ego humano.

  • eduardo:

    Eles vão acabar descobrindo que na verdade é um éter….. kkkkkkkkkkkkkkkk….

    • Alexandre Neuwert:

      Também acho. Só pode ser isso.

  • isis:

    Agora não será mais necessário modificar a teoria da relatividade. Se a matéria escura é tão inerte em comparação à matéria normal que elas se comparam com um balde de água e uma colher de ácido. O ácido faz bem mais diferença na mão de alguém do que o balde de água, mesmo em menor quantidade.

  • nght:

    Tinha que ser japonês…

  • yuri:

    existem coisas que não vemos mas estão por toda parte, a materia escura é uma delas.

    • aguiarubra:

      E a ENERGIA ESCURA é ainda mais misteriosa!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Glauco:

      Essas coisas ao menos podem ser detectadas. A Matéria Escura nem isso pode!

  • Everaldo:

    Já vi esse título muitas vezes… Dessa vez pensei que seria algo mais revelador.

  • Jonatas:

    Esse título é pro.pa.gan.da en.ga.no.sa, porque não encontraram a matéria escura, só mapearam o lugar (o todo) onde ela pode estar e isso não muda quase nada. Vim ler achando que haviam encontrado uma WIMP, isso sim seria significativo. Alarme falso.

    • aguiarubra:

      Jonatas!!!

      PROPAGANDA ENGANOSA????????

      Pairavam dúvidas sobre a existência da Matéria Escura!!! Muitos pesquisadores acreditavam que haviam buracos-negros ou poeira espacial BARIÔNICA, enganando os observadores! Agora, essa ideia já está sendo afastada.

      É estranho que vc não tenha prestado atenção nessas frases:

      —> Um grupo de físicos japoneses revelou onde está ela está, mas não o que ela é.

      —> A matéria escura é invisível: ela não interage com a luz, por isso os astrônomos não conseguem vê-la. Até o momento, ela só foi observada indiretamente através da força gravitacional que exerce. Baseados na interação gravitacional, os cientistas têm inferido que a matéria escura constitui 22% da matéria-energia do universo, enquanto a matéria detectável comum constitui apenas 4,5%.

      Comentário:
      Por acaso, vc está surpreso com a descoberta de “algo” que seja indetectável por nossos instrumentos, mas que tenha massa várias vezes superior a de um próton?

      Se uma WIMP for detectada, não será “matéria escura”!!!

      Toda uma nova instrumentação (apoiada nas conclusões de uma NOVA FÍSICA) terá que surgir para “detectar” uma tal “não-matéria”.

      Uma nova Cosmologia está surgindo.

      A nossa “velha” Cosmologia Relativistica-Quântica está tendo seu Ocaso. Ela só servirá como uma Cosmologia “relativa” a eventos da matéria bariônica.

      Mesmo a Teoria M corre o risco de ficar obsoleta, muito antes de ser comprovada, pois não contém ‘soluções’ para a Matéria Escura ou a Energia Escura, embora seja útil para descobrir que tipo de “coisa” é isso (serão “partículas”? Ou outras coisas?).

      Assustador, não é mesmo?

    • Jonatas:

      Nada do que disseste é novidade pra mim. O título da reportagem é que foi propaganda enganosa. Enquanto não soubermos exatamente do que a Matéria Escura é feita, se existem ou não e como são as WIMPs, não da pra considerar que a matéria escura foi encontrada. Ciência considera apenas fatos a verdade, os indícios ainda permanecem no campo da teoria.

    • aguiarubra:

      Sim, o título é “chamativo”, aguça a curiosidade. Como título, seguiu os macetes de uma propaganda. E, propaganda é, em si mesmo, a arte de enganar o freguês…

      Craig Venter também anunciou que tinha “criado a vida” em laboratório! Seus fregueses ateus automaticamente se sentiram “deuses”!!!

      Ora, Venter bem que tentou, tentou e tentou criar vida. Mas, no final, teve que se utilizar de outros seres vivos (as leveduras) para que seu experimento tivesse sucesso. Isso ele não explicitou em sua “propaganda”…

      Talvez, talvez os WIMPs sejam o “mar dos sargaços” que antecede uma grande descoberta nas ciências, análogo ao de um outro “novo” continente Cosmológico.

      O importante é saber que a Mecânica Celeste que ainda domina a imaginação leiga, não terá tempo de se adaptar à abordagem quântico-relativistico, pois a Matéria Escura já não pode ser refutada na base de falsos alarmes, como vinha ocorrendo até pouco tempo.

    • Jonatas:

      Sim eu também jamais refutaria a mais forte entre as correntes teóricas do “estranho universo”, a Matéria e Energia Escuras, assim como também não refuto o modelo Canneyniano defendido pelo Glauco, mesmo que nossas conversas pareçam um árduo embate, sou eu que nunca faço vista grossa aos comentários dele, como a maioria faz. Vai lá se saber se os dois modelos juntos não desvendaram esse enigma ou o seu desvendar jogue por terra ambas as teorias.
      Tem que primeiro subir na montanha para depois apreciar o horizonte.

    • Cesar Crash:

      “Ciência considera apenas fatos a verdade, os indícios ainda permanecem no campo da teoria”. Gostei muito dessa frase, Jonatas, gostei muito! Muita gente por aqui têm discordado dessa ideia, mas tenho certeza que não vão te questionar, já que, em geral, eles concordam você.

    • Jonatas:

      Capaz, muitos descordam de mim, outros me queimariam vivo na época da Inquisição, que bom que não nasci lá…

    • Cesar Crash:

      Sinceramente, acho que em todos os pontos de vista há muitos que discordam. Aliás, podem discordar, mas disso eu tenho certeza!

    • aguiarubra:

      JONATAS

      P.: “…Tem que primeiro subir na montanha para depois apreciar o horizonte…”

      Comentário: sábias palavras!!!!

    • Edson:

      Não confunda ENCONTRAR com IDENTIFICAR.

    • Glauco:

      Diga isso pro redator da matéria!! Ele quem disse que foi encontrada!!

    • Tzar:

      Eu,já tinha pulado da cadeira com sorriso doloroso no rosto, feliz da vida.
      Depois de ler a matéria,mim bateu uma tristeza,valeu redação sensacionalista.

    • Mateus Santos:

      Gosto dos seus comentários Jonatas e estou de acordo com este também
      Acredito ter entrado na matéria com expectativa parecida a sua
      Uma pena ser apenas isto.

    • Gilberto M.:

      Penso que, mesmo se detectarem uma WIMP, não se poderá provar que a matéria escura seja feita disso.

    • Jonatas:

      Não imediatamente, mas será um modelo de estudo, uma referência crucial. Aí sim o caminho se tornará mais “claro”.

    • Gilberto M.:

      Continuar-se-há a procura dessa partícula hipotética pra sempre? Até quando? Não é possível, alguém já deve ter se perguntado se as WIMPs existem mesmo ou se é apenas um remendo para corrigir uma falha no modelo padrão.

    • Jonatas:

      Todo o modelo atômico previsto até hoje foi descoberto, todas as partículas antes teóricas foram achadas.
      Essas teóricas são de agora, faltam essas últimas para fechar com os cálculos, tenhas fé…

    • Cesar Crash:

      Hehe! E eu já vim pra matéria suspeitando do equívoco.

  • aguiarubra:

    “…indescritível WIMPs (“partícula massiva que interage fracamente”), partículas que são muitas vezes mais pesadas do que prótons e só interagem através da gravidade e da força nuclear fraca…”

    Era uma vez um materialista
    que dizia que o Universo é feito de matéria…

    A “coisa” ficou escura!!! E agora???

  • Gilberto M.:

    Sempre que há referência à matéria escura, tenho a impressão que os cientistas em geral são muito cautelosos (compreensivelmente) em considerar que esse efeito gravitacional seja produzido por matéria bariônica em universos paralelos. A única manifestação que atravessaria as dimensões extras entre os universos paralelos é a gravidade. Todavia, é compreensível que os acadêmicos em geral sejam muito cautelosos em suas propostas, pelo menos aquelas tornadas públicas.

  • AGNELO ÂNGELIS ALVES PEREIRA BARBOSA:

    REALMENTE SOMOS CAPAZES DE GERAR E APREENDER CONHECIMENTO. EU GOSTARIA DE ESTAR VIVO QUANDO O MUNDO DESSE UM SALTO EM MATÉRIA DE CONHECIMENTO,PORÉM COMO DISSE O SÁBIO ”POBRES VOS SEMPRE TEREIS”.

  • Edson:

    Eu já vi figuras parecidas com essa em revistas cientificas, e também num documentário no Discovery channel com a participação de Marcelo Gleisler.
    Talvez a novidade seja a abrangência do estudo, a precisao das medidas ou a quantidade de galáxias estudadas.

  • Glauco:

    Ai meus sais… eles sempre repetem as mesmas coisas, mudam os cientistas, e ainda querem parecer que fazem um bom trabalho!

    “Encontramos a matéria escura! Ela está em toda parte!”

    Mano, se essa matéria estivesse tão bem distribuída – em todas as partes?? -, o lógico é que ela se condesaria com o tempo em determinadas regiões e nós passaríamos a orbitá-la! Quando foi que esses cientistas mataram as aulas básicas de Leis Gravitacionais?? Acordem, a explicação prá essas interações gravitacionais são interações elétricas! Elétricas!!!

    • Einstein:

      Cara, voce esta desperdicado. Deveria escrever um artigo sobre sua hipotese e tentar publicar na Nature e derrubar a teoria desses cientistas fajutos que analisam milhoes de dados e deixam de lado uma ideia tao obvia quanto a que voce levantou…

    • Glauco:

      Ouça o programa de rádio dele e descubra que ele foi inclusive perseguido pelo Carl Sagan quando lecionava Física em Cornell – a Universidade da NASA. A perseguição deu-se devido ao fato do Carl Sagan ter acabado de se tornar um popstar do mundo astronômico por ter conseguido “desbancar” o trabalho publicado pelo Immanuel Velikovsky que recontava com perfeição nossa história e – pasmem – concordava com os textos sagrados de todas as religiões existentes sem precisar nem mesmo de uma deidade, e isso tb não poderia acontecer nunca pois ia totalmente contra a ciência materialista que nos empurram a séculos. A pesquisa do McCanney iria literalmente reverter o jogo e derrubar a imagem simpática que o Sagan fez de si mesmo, e ele não poderia deixar isso acontecer justo de dentro da Universidade em que ele era catedrático de Astronomia.
      O mundo da ciência é controlado de dentro e de fora para que nós não saibamos a verdade sobre nossa história.

    • Glauco:

      Eu não posso, o modelo é do McCanney, e eu nem sou Físico! Mas ele tem tudo publicado em adsabs.harvard.edu, procure pelo nome dele lá! James McCanney!

    • Wagner Y.:

      boa Glauco, estariamos sim orbitando-as!! ou não? pq provavelmente teriamos um universo diferente!

    • Glauco:

      Pode ser, mas a ciência precisa delimitar seu campo de abrangência para poder manter o método científico. Portanto, o melhor a se considerar é que as Leis básicas da Física sempre serão as mesmas.

Deixe seu comentário!