Meia idade é a culminação da evolução

Por , em 12.03.2012
George Clooney, 50 anos

De acordo com um novo estudo, as pessoas de meia idade estão no topo da escala evolucionária porque estão perfeitamente adaptadas para servir às necessidades da família e da sociedade.

Segundo o pesquisador David Bainbridge, pessoas em seus quarenta e cinquenta anos podem até lamentar a passagem da infância, mas essas mudanças são a chave para o sucesso da espécie humana.

Ele adiciona que essas pessoas são vitais para a sociedade, preenchendo espaços que os adultos jovens não conseguem.

Apesar de alguns atributos físicos, como a qualidade da pele e a visão, se deteriorarem notavelmente na quinta e sexta década de vida, aspectos mais importantes como o poder cerebral permanecem intactos.

Os humanos são quase únicos entre os animais, já que as mulheres perdem a habilidade de ter crianças aproximadamente na metade de suas vidas, com no mínimo duas décadas de vida saudável após a menopausa. Ao permanecerem fiéis, os homens também acabam perdendo a habilidade de possuir filhos.

Mas somos uma espécie muito complicada, e dos adultos se exige muito mais do simplesmente se reproduzir.

“A meia idade é um processo controlado e pré-programado, não um declínio. Os múltiplos papéis na sociedade são muito complexos, e por isso poderíamos argumentar que aqueles nessa idade são os seres vivos mais impressionantes produzidos pela seleção natural”.

Muitas mulheres de meia idade lamentam a perda da figura jovem, conforme a gordura passa de lugares como os seios para lugares como a cintura, se acumulando. Mas isso acontece porque o corpo não precisa mais produzir filhos, e centralizar a gordura facilita o deslocamento.

Em termos evolucionários, possuir mais gordura também permitiu que nossos ancestrais conseguissem aguentar por mais tempo, deixando mais comida para a sobrevivência das gerações mais jovens.

De acordo com Bainbridge, ao contrário da crença popular, muitos de nossos ancestrais pré-históricos viveram além dos 40 anos, e se desenvolveram por milhares de anos até se tornarem habilidosos e experenciados provedores.

Durante nossa evolução, pessoas de meia idade passaram seus conhecimentos vitais de caça e plantio para as gerações mais novas, assim como as tradições culturais.

Isso ainda acontece em algumas sociedades indígenas, enquanto nas grandes cidades ocidentais as pessoas de meia idade dominam posições maiores nos negócios.

Algumas habilidades mentais, como a velocidade de reação, declinam com a chegada dessa fase da vida, mas nós as compensamos usando nossos cérebros de maneira diferente, focando mais no planejamento de longo termo e na gerência de projetos.

“Todos nós dependemos da cultura pra sobreviver, e a forma principal pela qual ela é passada é através das gerações intermediárias, que a transmitem para as crianças e adultos jovens”, afirma o pesquisador. [Telegraph, Foto]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,20 de 5)

5 comentários

  • Geo Ribeiro:

    Uma meia idade “desse” -.-‘… Não gosto de coroas, mas esse George Clooney é belíssimo!!!

  • Pensamento alemão:

    Existe um pensamento alemão, que ronia á parte, diz:

    “O homem nasce, cresce e vive para aprender a viver.
    E quando ele realmente aprendeu as viver,
    está velho e morre”

    Fui.

  • Flor de Lis:

    Os coroas tem seu charme e dão de 10 a 0 em muito garotão por aí. Os coroas estão com tudo! E quanto ao George Clooney… ô lá em casa! kkkkk

  • Domo:

    é mas tem umas véia aí que quer posar de menininha, mo tranqueira

  • rui da silva:

    eu queria ser igual ao George Clooney, rui Clooney hhehehe!
    kkkkkkkkkkkkk!

Deixe seu comentário!