Meu cabelo me odeia – cientistas explicam o curso do cabelo

Por , em 19.09.2011

Você acordou e a primeira coisa que notou foi um tufo de cabelo rebele que está estragando to-tal-men-te seu visual. Acontece nas melhores famílias.

Segundo especialistas, o cabelo em sua cabeça precisa de ir em três direções – alguns fios têm necessidade de ir para a frente, alguns para trás, e alguns para os lados.

“Em um mundo perfeito, haveria uma linha para os cabelos saberem para onde ir”, diz o dermatologista Orr Barak. O “topete” é a resposta do corpo a essa “confusão”, por ter um local centralizado em seu couro cabeludo – um ponto de passagem para o cabelo crescer e se deitar em diferentes direções.

Mas um “topete rebelde” muitas vezes escolhe seu próprio caminho – e aparece para cima – ou escolhe um ângulo em desacordo com o seu estilo preferido. É quando a frustração e aborrecimento surgem.

Quem não tem um “redemoinho” que atire a primeira pedra!

O padrão de espiral é provavelmente causado porque o cabelo fica confuso sobre se precisa ir para a frente, para trás ou para o lado, e alguns cabelos são “apanhados” nisso e criam um espiral característico.

Praticamente todo mundo tem um redemoinho ou dois, com o mais visível encontrando-se no alto da cabeça e um segundo menos óbvio, talvez no pescoço ou no couro cabeludo.

Eles se formam muito cedo na vida – no útero – e depois de ter um, você está preso a ele a não ser que perca seu cabelo. Tanto homens como mulheres são igualmente afetados por eles, apesar de não parecer assim, uma vez que são mais visíveis nos caras, que geralmente têm cabelo mais curto.

Estilos mais longos muitas vezes camuflam um redemoinho porque o peso do cabelo o cobre. E eles são mais óbvios em cabelos lisos do que encaracolados.

De acordo com Barak, há algumas associações interessantes entre redemoinhos e seus padrões de giro em sua cabeça. O geneticista Amar Klar encontrou uma ligação entre lateralidade e direção de espirais no cabelo.

Em pessoas destras, pelo menos 90% dos redemoinhos têm uma rotação no sentido horário, enquanto cerca de 10% vão num sentido anti-horário. Os canhotos são mais propensos a ter um redemoinho anti-horário.

Em um experimento, ele descobriu que 50% das pessoas que são canhotas ou ambidestras têm um padrão espiral no sentido anti-horário, sugerindo que a preferência da mão e a rotação do cabelo podem desenvolver a partir de um mecanismo genético comum.

Curiosamente, em um estudo publicado em 2004 com cerca de 600 homens, Klar descobriu que cerca de 30% dos homens homossexuais tinham uma rotação anti-horária em seu redemoinho no cabelo, em comparação com apenas 9% na população em geral.

Não importa para onde vai seu cabelo rebelde, a maioria das pessoas ficaria feliz em saber como domá-lo. Alguns experts recomendam manter o seu cabelo longo ou na direção do redemoinho. E, é claro, os produtos certos, e o corte e estilo certo, também podem ajudar.[MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Mly:

    De tanto falar em redemoinho, espiral… Lembrei de um mangá muito louco: Uzumaki.
    Sobre espirais com teorias bizarras!

    • Diego Uchiha Doppler:

      E pelo que me lembro, os redemoinhos no cabelo não foram citados lá. (Os cachos sim…)

  • wellington goncalves:

    Eu sou canhoto, e nunca preocupei qual o lado é o redemoinho….
    oras

  • Cesar:

    “Curse” é “maldição”, não “curso”…

    • Hugo:

      Pois é. E no original é “curse of the cowlick”. Curse não é curso e cowlick não é cabelo, o certo seria “maldição dos redemoinhos no cabelo”.

Deixe seu comentário!