NASA fotografa redemoinho em Marte

Por , em 12.03.2012

A NASA fotografou, em 16 de fevereiro, um redemoinho rasgando em Marte. O twister marciano se ergueu em uma enorme coluna de poeira com mais de 800 metros de altura.

O redemoinho de 30 metros, ligeiramente curvo, foi desencadeado por um vento a oeste do planeta. Faixas de furacões anteriores também são visíveis na imagem, aparecendo como manchas na superfície de Marte. A sombra do redemoinho também pode ser claramente vista na foto.

Redemoinhos ocorrem tanto na Terra quanto em Marte. Os fenômenos são colunas de ar girando, que ficam visíveis pela sujeira que sugam do chão.

Ao contrário dos tornados, redemoinhos geralmente se formam em dias claros, quando o solo absorve uma grande quantidade de calor do sol. Se as condições forem adequadas, o ar aquecido próximo à superfície pode começar a girar à medida que sobe através de pequenos bolsões de ar mais frios logo acima dele.

Assim como na Terra, os ventos marcianos são alimentados por aquecimento solar. Embora Marte esteja próximo ao afélio, época do ano marciano em que o planeta fica mais distante do sol, ainda recebe energia solar suficiente para conduzir redemoinhos em sua superfície.

A nave da NASA que fez as imagens, Mars Reconnaissance Orbiter, analisa Marte com seis instrumentos científicos desde a sua chegada ao planeta, em março de 2006. A nave continua a fornecer informações valiosas sobre o meio ambiente antigo do planeta, e como os processos tais como o vento, impactos de meteoritos e geadas sazonais ainda afetam a superfície de Marte até hoje.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

35 comentários

  • Melo:

    Alguem sabe quando será a primeir missão tripulada a marte???

  • Walrus:

    Achei engraçado o questionamento sobre formações de tornados e furacões não serem formados por encontro entre massas de ar frio e quente, pois esquece que existem formações cíclicas de correntes de ar em escalas menores (como pequenos redemoinhos sobre o asfalto quente, sem presença de fantasmas elétricos de alta energia).
    É muito chato quando as coisas mais simples são questionadas em prol de uma “teoria do tudo” ideológica, pois perde-se o rumo do conhecimento e tudo é olhado com desconfiança e desmentido sob especulações de velharia científica.
    Um passo adiante na crença é o fanatismo. É melhor não perder as rédeas. Pois a ciência não é assim tão “blá blá blá”

  • Caio:

    Legal! Um dia, creio que poderemos empinar uma pipa em Marte!

  • André Luis:

    Redemoinho forte em Marte! Sempre quando vejo uma foto da Nasa fico com o pé atrás!

  • saverio vaz:

    Jonatas: essa teoria tua tá razoável, nesse caso a sombra é apenas do centro do redemoinho próximo ao solo e não da nuvem de poeira ok, mas cadê a sombra da coluna de poeira? essa sombra está muito estranha pelo menos para o meu ponto de vista.

  • ira:

    A fraude deste século é ver um redemoinho de poeira BRANCA em um planeta de solo VERMELHO.
    A NASA ACABA DE PASSAR UM ATESTADO DE LIDER DE MANADA.

  • Roberto:

    Não! Ou foi um acidente espacial, ou foi sinal de fumaça de algum índio americano. Até a sombra não corresponde.

    • Jonatas:

      Você tem que levar em conta que a Nuvem é um objeto tridimensional, estamos vendo ela de cima e não sabemos em que posição do céu está o Sol.

    • Jonatas:

      Acho que matei a charada, a sombra corresponde sim, mas está extremamente alongada, provavelmente a inclinação do Sol está como no entardecer. Nota que ela fica mais rala até o fim da imagem? A imagem não mostra a sombra até o fim. O que vemos dela é só a primeira parte, correspondente apenas à primeira parte da curva da nuvem, mas alongada, por isso creia que o Sol esteja baixo no horizonte.

    • Renata Corollins:

      Muito bom o seu ponto de vista! Sempre quis estudar sobre ciencia, sistema solar e tudo e mais um pouco.
      Acho interessante tudo que pode acontecer. Há coisas muito estranha no Universo, pois ele é infinito.
      Beijos
      Estudante de ciencia
      em Caçapava/SP fica no Vale do Paraiba

    • Marcos-DF:

      Olá Roberto !
      A sombra corresponde sim. Faça um prolongamento dela e vai ver que bate direitinho …
      Abraços

  • vanio:

    Se Marte tem uma atmosfera rarefeita, como a Nasa tenta passar para nós, simples humanos, como se explica ventos de 350 km por hora e tornados e redemoinhos gigantes em sua superfície ????

  • Tião Carrero:

    6 são tapados mesmo, é um saci marciano do gorro verde.

    • Glauco:

      Claro!

  • Jonatas:

    Da pra ver claramente que isso é um daqueles girinos gasosos que vivem em Marte procurando comida no deserto. Não perceberam que a “cabeça” está tocando o chão?

    *brincadeira

  • saverio vaz:

    A nasa q me desculpe mas não entendi como q a coluna de poeira está de uma maneira e sua sombra diferente;
    Da metade da coluna para a esquerda a sombra da coluna de poeira está acima, da sua metade para a direita sua sombra está abaixo sendo um mesmo sol iluminando-a.
    porque sua sombra não tem o mesmo desenho da coluna?

    • Khajiit:

      ??Como assim diferente??
      Fica na frente de um abajur, e deixe ele no chao, no nível dos seus pés, voce verá que a sombra está maior e mais fina, agora levante ele e coloque por exemplo, na cama ou em uma cadeira, a sombra vai ficar mais grossa e menor em relacao a anterior.

      Eu sei que isso nao é novidade, mas acho que um por-do-sol desses (http://postmania.org/wp-content/uploads/2008/06/por-do-sol-em-marte.jpg) seria suficiente para causar o efeita a essa sombra

    • Glauco:

      Né? parece um fantasminha…

    • Jonatas:

      Olha, eu achei parecido com um espermatozoide…

    • Jonatas:

      Acho que porque essa foto foi tirada de cima, e essa nuvem não tem essa forma física, apenas aparece assim vista de cima, de Marte a veríamos totalmente diferente. Pela foto, não da pra saber sua verdadeira forma nem posição ou inclinação. Talvez a sombra seja o melhor indicador de sua verdadeira aparência.

    • João:

      O ângulo da luz é bastante baixo, a sombra está cortada, aparecendo apenas o equivalente ao primeiro terço do redemoinho. Se a imagem fosse mais afastada poderíamos ver os outros dois terços com a curvatura equivalente.

  • Roni:

    Estes redemoinhos são comuns em Marte. Só não sei porque não filmam eles. Ao Jonatas : já viu este documentario?
    http://www.youtube.com/watch?v=aoJT16iCUzQ&list=UUgGkAczATOW5zVmNMln-zPA&index=35&feature=plcp
    Abraço.

    • Jonatas:

      Bem bacana, obrigado.

  • Glauco:

    A velha história de que ventos quentes misturados com ventos frios causam furacões ou tornados. Se essas duas massas se encontrassem iriam se neutralizar antes de formar um vórtice, afinal eles são fenômenos energéticos desordenadas sem foco energético.

    Furacões e tornados são fenômenos altamente energéticos, focados e concentrados. Como a Segunda Lei da Termodinâmica deixa bem claro que fenômenos energéticos organizados não podem surgir de fenômenos não-organizados, fica claro que eventos ciclônicos tanto na Terra como em qualquer outra parte do Universo precisam de uma fonte energética muito maior do que massas de ventos frios e quentes se chocando: a origem energética desses fenômenos é externa aos planetas e é elétrica!

    • Jonatas:

      Legal, ajudaria a entender melhor como se formam aqueles mega-relâmpagos na na estratosfera e na ionosfera?

    • Jonatas:

      Detalhe, mega-relâmpagos me refiro aqui na Terra, na estratosfera e na ionosfera. São os red sprites, os jatos Azuis, os Elvis.

    • Glauco:

      Claro, trago até a página do livro “Principia Metereologia” hj à noite onde o McCanney explica a formação desses relâmpagos, dos sprites e dos orbs elétricos que se formam em grandes altitudes!

    • Thiago:

      Glauco, tornados e furacões surgem sim pelo encontro de massa de ar quente e ar frio. Funciona da seguinte forma, as nuvens ou supercelulas contem grande quantidade de vapor e ar frio, logo abaixo da nuvem encontrasse uma superficie com ar quente, e como o ar frio é mais pesado que o ar quente, o ar frio automaticamente desce e o ar quente sobe, nisso se forma o funil que fica girando, existe também as trombas da água que são identicas aos tornados, porem ocorrem no mar. Com o furacão é a mesma coisa, porém este tem centenas de quilometros de diametro, e só ocorrem no mar. Tb é a mesma coisa com aqueles redemoinhos que acontecem em lagos e no mar, existe uma troca de energia termica, a água que está em cima esta mais fria que a água que está em baixo.

    • Glauco:

      Bla bla bla. Conheço isso de cor e salteado. Volte para a matéria da Segunda Lei da Termodinâmica.

    • Thiago:

      Os tornados só ocorrem em locais que propiciam tal efeito, não é em todo lugar do mundo, existem exceções, a mudança de temperatura tem que vir ligeiramente, um superficie muito quente e um ar muito frio, por isso tornados ocorrem mais nos Estados Unidos no corredor dos tornados fica exatamento no meio do caminho entre as massas de ar gelado do polo norte e de ar quente que vem do sul. Por isso a segunda lei da termodinamica não cabe nesse caso.

    • Thiago:

      Por isso tornados e furacões/ciclone raramente ocorrem em paises quentes tais como o Brasil, pq aqui a diferença de temperatura para as massas de ar frio são muito poucas aqui as massas ja chegam mais quente do que por exemplo na argentina, la existe com mais frequencia tornados e ciclones, ar gelado vem do polo sul com mais força e mais gelado, mas tb existe outros fatores que influenciam, como altitude. Aqui no Brasil a temperatura estabiliza antes de ocorrer esses fenomenos. Enfim, aqui obedece a segunda lei.

    • Thiago:

      Os tornados e furacões são um efeito para estabilizar a temperatura certamente, conforme a segunda lei, porem estes só ocorrem em locais onde as diferenças de temperaturas são mais drasticas, quando não, a temperatura tende a estabilizar sem tais efeitos devastadores, que é como aqui no Brasil, a maioria das vezes é um pouco de vento e tal, mas tudo acaba numa boa. Pronto acho que isso deve explicar as suas duvidas e questionamentos! =D

    • Glauco:

      Não tenho nenhuma dúvida ou questionamento sobre esse assunto que você possa responder, e essas suas palavras chupinhadas da wikipedia só me dão desgosto.

    • Thiago:

      Então vá buscar a resposta no sobrenatural, acho que essa deva ser a sua praia! Pois vc não quer entender as evidencias e logicas cientificas envolvidas neste fenomeno climatico, que já é comprovado cientificamente, não a mais o que se questionar quanto a isso, é um fenomeno simples e totalmente explicado cientificamente!

  • Jonatas:

    Mas é normal ver formações meio isoladas no ar marciano, que é duzentas vezes mais rarefeito que o da Terra.

Deixe seu comentário!