Neurocientista explica como não dormir o suficiente está nos matando

Por , em 26.04.2019

Dormir é mais importante do que parece. No fundo, todos nós sabemos disso, mas costumamos esquecer durante a correria do dia a dia. Por isso, o mundo inteiro parece estar exausto, e, segundo os especialistas, isso está nos matando. Em um texto publicado no portal Wired, a jornalista Emily Dreyfuss faz um relato de sua própria experiência durante uma semana exaustiva, durante a qual pôde acompanhar um Ted Talk do neurocientista Matthew Walker que falava justamente sobre os problemas causados pela privação do sono. Leia o relato dela abaixo e pense bem quando for colocar o alarme para despertar essa noite:

‘O mundo inteiro está exausto. E isso está nos matando.

Mas particularmente eu. Enquanto escrevo isso, estou no TED 2019 em Vancouver, que é uma maratona de uma semana de palestras e workshops e reuniões em cafés e experiências e demonstrações e concursos de trivialidades e networking, networking, networking. Enquanto isso, eu estou doente como um cão com um vírus que peguei do meu filho de 3 anos, estou no fim do prazo para o que parece ser um bilhão de histórias, e eu estou grávida, o que significa que eu preciso de café, mas não posso tomar muito, e preciso dormir, mas só posso deitar do meu lado esquerdo, e não posso respirar sem sentar apoiada em um travesseiro de qualquer maneira, já que eu não posso seguramente tomar qualquer medicação para o resfriado.

A técnica para cair no sono em 2 minutos ou menos

De acordo com o neurocientista Matthew Walker, estou causando sérios danos à minha saúde e à minha vida, pois não durmo o suficiente.

“A dizimação do sono em todas as nações industrializadas está tendo um impacto catastrófico em nossa saúde, nosso bem-estar e até na segurança e educação de nossos filhos. É uma epidemia silenciosa de perda de sono. Está rapidamente se tornando um dos maiores desafios que enfrentamos no século 21”, disse Walker, especialista em sono na Universidade da Califórnia em Berkeley e autor do livro best-seller Why We Sleep (Por que nós dormimos, em tradução livre), para uma audiência extensa do TED na quinta-feira.

Depois de uma manhã de conversas desanimadoras sobre as mudanças climáticas e os malefícios da desinformação viral online – pontuada por exclamações frequentes de “bem, isso foi alarmante” pelo curador de ciência David Biello e por escapadas para olhar o Twitter em busca de atualizações sobre o relatório Mueller e de acontecimentos no mundo exterior – a palestra de Walker parecia uma sacudida de cafeína para um sistema cansado. (Uma comparação que Walker pode odiar. Ele adverte, nos termos mais fortes possíveis, sobre os danos deste estimulante em particular).

Ele percorreu todos os caminhos em que a privação do sono prejudica as pessoas: ela torna-nos mais burros, mais esquecidos, incapazes de aprender coisas novas, mais vulneráveis à demência, mais propensos a morrer de ataque cardíaco, torna o sistema imunológico menos capaz de nos defender de uma doença forte, nos deixa mais propensos a ter câncer, e faz nosso corpo literalmente doer mais. A falta de sono distorce seus genes e aumenta o risco de morte em geral, disse ele. (A privação do sono) interrompe a criação de hormônios sexuais, como estrogênio e testosterona, e leva ao envelhecimento prematuro. Aparentemente, os homens que dormem apenas cinco horas por noite têm testículos nitidamente menores do que os homens que dormem mais de sete.

Por que você está sempre cansado mesmo dormindo o suficiente

“A perda do sono vai vazar para todos os cantos da sua fisiologia”, disse ele. “Dormir, infelizmente, não é um luxo de estilo de vida opcional. O sono é uma necessidade biológica não negociável. É o seu sistema de suporte de vida”.

De todas as palestras do TED que eu ouvi esta semana, esta foi direcionada para mim. Para o meu coração. E para meu hipocampo ressequido e sobrecarregado, a caixa de entrada do meu cérebro, como Walker chama. Para os meus olhos inchados e com olheiras. Sim, OK, talvez seja porque estou tão cansada e tão preparada para ouvir isso. Mas eu não estava sozinha.

Todo mundo está obcecado com o sono. E eles sabem que não estão recebendo o suficiente – daí a crescente demanda por pílulas para dormir, o surgimento de dispositivos de rastreamento do sono (Walker usa um Oura Ring para rastrear o seu), leitos inteligentes, integrações Alexa para colocá-lo para dormir e aplicativos de sono mindfulness. Arianna Huffington sabidamente deixou o jornalismo para fundar uma empresa dedicada ao sono e bem-estar.

Depois da palestra de Walker, ele foi assediado por acólitos no centro de conferências desesperados para dizer a ele quanto seu livro – que cobre o mesmo assunto de sua palestra no TED – mudou suas vidas, como eles desistiram de cafeína e álcool e pararam de se sentir mal por deixar as festas cedo para dormir ou por recusarem-se a ver os e-mails de trabalho na cama. Quando a próxima sessão de palestras do TED estava começando, Walker continuava tentando escapar para que pudesse assistir, mas as pessoas não o deixavam passar. Eles queriam saber o que comer, quando dormir, como sonhar.

Suas respostas? Não beba cafeína ou álcool. Vá para a cama na mesma hora todas as noites e acorde à mesma hora todas as manhãs (mesmo nos fins de semana). Durma em um quarto fresco. Se você está acordado na cama, ouvindo a litania de preocupações que seu cérebro está passando, levante-se, vá para uma sala diferente, faça uma atividade e volte para a cama quando estiver pronto. “Você não se sentaria à mesa esperando a fome, então por que ficar na cama esperando para se cansar”, disse ele a um participante do TED que pediu conselhos. Medite para acalmar seu sistema nervoso e sua mente. Não se acostume com pílulas para dormir, que são “instrumentos bruscos que não produzem sono natural”, disse ele. Eventualmente, ele disse, ele pode ser capaz de oferecer um dispositivo estimulante do cérebro “acessível e portátil” que usaria a estimulação transcraniana de corrente direta para ajudar as pessoas a terem um sono mais profundo. (Walker acaba de iniciar uma empresa chamada Stim Science, com o apoio da Khosla Ventures, para fabricar esse produto, disse ele à WIRED.)

A importância do sono: quanto menos você dorme, mais seu cérebro envelhece

As pessoas ouviam com atenção. Elas tomaram notas durante a sua palestra (o que é incomum no TED, para minha surpresa) e quando ele falou com a multidão depois.

Sua mensagem veio como uma repreensão da ideia de que a privação do sono e o sucesso de alguma maneira andam de mãos dadas. Tim Cook supostamente acorda às 3h45 para começar o trabalho. Barack Obama disse que só dorme cerca de 5 horas. Ele é um “cara da noite”. Donald Trump e Elon Musk disseram que dormem apenas algumas horas por noite. Mas Musk também admitiu ao The New York Times que seu horário de trabalho estava prejudicando sua saúde mental e toda a sua vida. Walker argumentou que é hora de parar de pensar que precisar dormir é sinal de fraqueza ou preguiça. Na verdade, é o oposto.

O sono nos faz melhores em tudo. “A interrupção do sono profundo está contribuindo para o declínio cognitivo”, diz Walker – em pacientes idosos em risco ou já experimentando demência, e até mesmo em pessoas saudáveis. “Você precisa dormir depois de aprender, para essencialmente clicar no botão salvar nessas novas memórias para não esquecê-las. Mas recentemente descobrimos que você também precisa dormir antes de aprender. Quase como uma esponja seca para sugar novas informações. Sem dormir, o cérebro fica essencialmente aquático”.

Isso parece certo. Ontem ouvi aproximadamente 18 palestras diferentes do TED. Mas eu mal tinha dormido na noite anterior e mal dormi a noite passada. Quando perguntada esta manhã qual a conversa tinha sido a minha favorita do dia anterior, levei 30 segundos para lembrar de uma.

Estou determinada a lembrar disso. Na verdade, eu recuei para um dos “quartos de dormir” do TED e tentei tirar um cochilo de cinco minutos antes de escrever este artigo, em um esforço para colocar a conversa na memória. Coloquei uma máscara de dormir e deixei a máquina de ruído branco e um difusor de óleo essencial puro me acalmar em um momento de calma. No silêncio misterioso desta zona zen manufaturada dentro de um centro de conferências gigante no sopé das Montanhas North Shore, eu quase me esqueci do ciclo de notícias, sobre o meu resfriado, sobre o relatório Mueller.

Mas então me lembrei do prazo, fiquei de pé, desliguei o difusor, liguei meu computador e digitei essas palavras. Espero que elas ajudem você e eu a dormir um pouco esta noite.’ [Wired]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (38 votos, média: 4,74 de 5)

Deixe seu comentário!