Nova “desimpressora” a laser permite reutilização de papel

Por , em 19.03.2012

Engenheiros da Universidade de Cambridge criaram uma “desimpressora” que permite reutilizar o papel que já estava com tinta.

O método envolve o uso de rápidas aplicações de laser para apagar as palavras e imagens, aquecendo o material impresso até o ponto que ele vaporiza. Os pesquisadores dizem que o aparelho funciona com papeis e tintas comuns, e acaba sendo mais ecológico do que a reciclagem.

Porém, mais pesquisa ainda é necessária para que o produto seja disponibilizado no mercado. “Quando você usa o laser, ele atinge a fina camada de tinta e aquece até o ponto que ela vaporiza”, afirma o líder do estudo, David Leal-Ayala.

A Toshiba já vende uma impressora que apaga a tinta, mas a máquina depende de sua própria tinta especial para funcionar.

Pulsos verdes

Os engenheiros testaram uma série de lasers ultravioletas, infravermelhos e visíveis, com velocidades diferentes. No fim, o melhor foi o laser verde, com uma duração de quatro bilionésimos de segundo.

De acordo com eles, o papel ficou sem nenhum dano e “comparável a um em branco, novo”. Um sistema de extração de gases foi usado para capturar nanopartículas e gases que poderiam prejudicar o processo.

Substituindo a reciclagem

Os pesquisadores acreditam que a reciclagem ainda vai ser um processo mais barato, mas o preço do equipamento deve diminuir conforme a produção aumentar.

“Quando você recicla o papel, usa muitas fontes”, afirma Leal-Ayala. “Você usa eletricidade, água e químicos, e o único motivo pelo qual você não reutiliza o papel é porque a tinta está nele”.

Se o papel continua em boas condições, porque utilizar um processo tão longo como a reciclagem? [BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

9 comentários

  • Rochester:

    Será que essas nanopartículas liberadas não nos fariam mal?

  • Luanna Lyma:

    Ótima ideia!! Realmente é um meio muito melhor de reciclagem, pois é prático, e se for vendido, vai ser também acessível.

  • alx:

    É BEM PENSADO ISSO DOS ESPERTINHOS, JA IMAGINOU PEGAR UMA NOTA DE 1 REAL APAGAR E COLOCAR NELA A DE 100? KKKKKKKKKKKKKKKKK

  • alx:

    Se funcionar, otima ideia, pois assim ira preservar MILHÕES DE ARVORES!

  • André Luis:

    Ideia interessante! Realmente trará muita economia, mas realmente se deve tomar cuidado para que pessoas mal intencionadas não se aproveitem!

  • Andhros:

    A DESIMPRESSORA??? Engenheiros da Universidade de Cambridge o escambau, é evidente que veio de Alice no País das Maravilhas!

    • ThiagoSperandio:

      O problema é que vai ter muito espertinho apagando textos de contratos e deixando as assinaturas, para colocar outros textos no lugar… tem jeito?

    • Andhros:

      Não sei se digo “Que mente perspicaz!” ou “Que mente maléfica!” ou os dois!

      Mas vamos ver, eles disseram que “o papel ficou comparável a um em branco, novo”. Numa suposta “escala de equivalência”, o “comparável” indicaria que existem alguns pontos de semelhança, que tornam possível fazer comparações. É mais do que “nada a vê” e menos do que “idêntico”. Mas quer dizer que o processo deixa rastros! Rastros certamente capazes de possibilitar sua identificação. Além disso, você tem sua via, presumivelmente não escrita com tinta invisível e com a assinatura de todas as partes envolvidas, para que você tenha uma evidência real para iniciar seu processo/protesto/rebelião seja lá o que for fazer.
      Mas será suficiente?

    • SOULROCKROCHA:

      Pior que é ! ! ! A turma da “safadeza” logo vai dar um jeitinho. Mas a ideia é ecologicamente louvavel. Trabalho no serviço publico e fico revoltado com o desperdicio de papel. Se só no setor que trabalho é assim, que dirá em todo serviço publico e privado do país.

Deixe seu comentário!