Novos critérios para Alzheimer mudam o diagnóstico de milhões de pessoas

Por , em 13.02.2012

Um novo estudo revisou a definição de uma condição cerebral chamada “deficiência cognitiva suave”. Essa deficiência agora é vista pelos médicos como o primeiro sinal da doença de Alzheimer. E muito mais pessoas podem ser diagnosticadas com a doença.

“Há muita controvérsia sobre a classificação da deficiência cognitiva suave”, comenta Peter Whitehouse, neurologista geriátrico da Universidade de Cleveland, que não esteve envolvido no estudo. “A maior questão, desde o começo, foi definir seus limites. Inventar uma definição como essa gera confusão”, afirma.

A deficiência era originalmente diagnosticada em pessoas com problemas de memória, mas sem dificuldades em outras habilidades, como pensar e racionalizar, ou em atividades diárias.

Mas essa definição se modificou com o tempo para incluir mais pessoas. Em recomendações recentes do Instituo Nacional do Envelhecimento e da Associação do Alzheimer americanos, o campo foi estendido para abarcar até aqueles com problemas para exercer tarefas cotidianas.

Esses problemas funcionais eram tradicionalmente parte do diagnóstico para a doença de Alzheimer. John Morris, autor do novo estudo, afirma que há tanta confusão porque a maioria dos casos de deficiência cognitiva suave é o começo dos sinais do Alzheimer.

Ele comenta que outros problemas cognitivos poderiam ser causados por um derrame, certos medicamentos ou problemas de tireoide, coisas que os médicos poderiam encontrar explicações e não necessitam de um diagnóstico ou categoria à parte.

Morris examinou dados de mais de 17 mil acompanhamentos de pessoas com a doença de Alzheimer em 33 centros diferentes entre 2005 e 2011, incluindo 6 mil que foram originalmente diagnosticadas com Alzheimer total ou deficiência suave relacionada a doença. Os avaliados tinham, em média, 75 anos quando foram testados.

Morris determinou que quase todas as pessoas classificadas com a doença de Alzheimer “muito suave” poderiam ser diagnosticadas simplesmente com deficiência cognitiva suave. Esse foi também o caso de mais de 90% das pessoas com Alzheimer “suave”.

Isso poderia levar a uma série de decisões subjetivas por parte dos médicos, quando o assunto é quem tem Alzheimer em estado inicial e quem tem deficiência cognitiva suave.

“Mas, se pensarmos que a causa da deficiência cognitiva é a doença de Alzheimer, oferecer o diagnóstico com a maior precisão permitiria que o paciente e sua família começassem a lidar com a realidade da doença em um estágio onde o paciente ainda possui muita habilidade cognitiva para tomar decisões”, comenta Morris.

Creighton Phelps, do Instituto Nacional do Envelhecimento, afirma que, em certo sentido, a linha entre a deficiência cognitiva suave e a doença de de Alzheimer inicial é tênue, e depende do julgamento individual do médico. Mas ele adiciona que muitos pesquisadores ainda pensam que há um ponto entre o pensamento e o funcionamento normal e os problemas do Alzheimer que merece uma categoria própria.

“Na deficiência cognitiva suave você enxerga algumas mudanças com antecedência. As pessoas não têm que parar de trabalhar; ela não interfere na vida, mas é visível. E não é suficiente para colocá-la na categoria de demência”, afirma.

Whitehouse comenta que todas as divisões entre deficiência cognitiva suave, normal, e Alzheimer perdem o ponto mais importante: que todos, conforme envelhecem, deveriam tomar atitudes para manter a mente saudável. Isso inclui se manter ativo, comer bem e socializar. [Reuters, Foto]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

15 comentários

  • maximo pereira dos santos:

    ”walter”Deus o Soberano,ele esta em todo lugar, ea palavra dele precisa estar em todo lugar.se vc fiser sua casa no inferno, lá ele esta,se vc podesse morar no mais profundo mar,ele ali esta ti vendo.oví as tuas horrendas palavras contra o criador,o castigo para vc vai ser pior do que o de caim,pois brasfemou contra a sua palavra.e eu só queria te avisar que,o inferno é lugar tenebroso.Jesus disse que ali é pranto e rangir de dentes.e pior,eternamente.arrependa-te em quanto a tempo.

    • Agostico:

      Tinha que vir pregação ,e vamos que vamos irmão ,deixa eu quieto com minhas convicções ,e fique com tuas crenças falou irmão do universo ..Aliluia

    • Walter:

      E tinha que vir pregação ,.Porque que todo crente quer impor na amarra na intimidação ,pranto e ranger de dentes acontece quando algum medrosos vai extrair um ou mais dentes ,cidadão fica na tua viu e deixe meus conceitos de livre pensador fluir ,crenças em deidades é bom pra ti faça bom proveito e não venha fazer proselitismo de religião que comigo não funciona falou mermão aliluia

  • marize:

    A minha torcida é que os cientistas encontrem a cura e que ela seja acessível a todos, são seja apenas um privilégio para poucos.

  • maximo pereira dos santos:

    isaías,cap.14 verss.12 a 22.

  • Gina Carvalho:

    A natureza ñ se levanta contra ninguém, as leis divinas, como a de causa e efeito, foram criadas um dia, e estão agindo o tempo todo, o ser humano é q precisa aprender a ñ infringir as leis naturais. Quando isto acontecer, se dará a harmonia entre o ser humano e as leis universais. Muita Luz!

  • hedemil gomes felipe:

    AOS 70 ANOS DE IDADE, RECEBI DUAS NOTICIAS, A PRIMEIRA QUE SERIA BISABO, MARAVILHOSA NOTICIA. A SEGUNDA É QUE EU FUI PEGO PELO ALZHAIMER. NUNCA FUI SEDENTÁRIO, LEIO MUITO DESDE JOVEM, PROCURO ESTAR EM ATIVIDADE O MAIOR TEMPO POSSÍVEL. HOJE, ESTOU COM 72. A DOENÇA FOI DIAGNOSTICADA EM
    1908. ACREDITO QUE E O AVANÇO NA MEDICINA NO COMBATE A ESSE
    MAL É MUITO LENTO. MEU BISNETO GABRIEL DIZ; ” O BISO É FELIZ”

  • maximo pereira dos santos:

    o homem pode achar a cura do alzheimer.mas não consegue deter a morte.pouco adianta.e além disso,não consegue ver o Deus que fez o céu a terra,o mar e tudo que nele existe.só crê na natureza,a natureza vai se levantar contra o ser humano.isto é, já esta se levantando.

    • brum:

      Por favor, moderador!! Não me obrigue a ter que ler essas abobrinhas infantiloides desses cleptocrentes em uma página científica. Eu jamais defenderia o que penso em um site de evangélicos e penso que eles deveriam respeitar um espaço que ignora suas ideias toscas. Por favor, apague essas baboseiras que eles teimam em bostejar. É censura mesmo!! Algo que eles são mestres.

    • Walter:

      É isto ai Brum de fato não entendo porque de crentes querem se impor num espaço em que se discute Ciência virem com pregações citando versículos e tais ,eu também sinto que isto é lesivo aos participantes do tema ,como se certos assuntos certos tipos ou classes não deveriam nem se expor com comments ,apenas lerem e usufruírem um pouco mais de conhecimento,total apoio a sua revindicação.Abraços…

    • Margô:

      Só uma perguntinha pro Máximo, ele já teve o pai ou a mãe com alzheimer? tenho impressão que não, pois se teve ele teria outra visão. Há vida sem memória? sem direito de expressar seus sentimentos, emoções, dores? Como eu, ele deveria rezar para que Deus ilumine a mente dos cientistas que estudam o assunto a fim de que tenham sucesso nas pesquisas.

  • Tomas antonio andriotti:

    Muito importante fazer o diagnostico o quanto antes ! Logo vira uma medicação muito boa para estágios iniciais …

  • jose luiz bittencourt capelari:

    Estas conclusoes sao contribuitivas, uma vez que o metodo cientifico repousa basicamente na observaçao; entretanto, o mais importante e’ que se busque terapias definitivas(!!!), de cura e reintegraçao do individuo a vida(sentido amplo). Nao vejo outro caminho, atualmante, que nao seja o da engenharia genetica(e reengenharia) extendida a farmacologia nanotecnologica. A incipiencia neste ramos e’ fato, porem, o objetivo maior que e’ a cura deve ser perseguido com afinco e grandes investimentos !!!

  • João Cabral:

    Ótima nota, parabéns. Apenas o nome “deficiência cognitiva suave” não é usual em português para o Mild Cognitive Impairment. A nomenclatura mais usada é Transtorno Cognitivo Leve.

  • Walter:

    Bem eu acho valida a pesquisa mas,acho que pessoas idosas com sedentarismo acentuado contribuem para acelerar os sintomas,tenho setenta e la vai pedradas de idade ,e acho que também parar no tempo sem exercitar os neurônios ,a ai uma progressão para a doença se instalar é um passo,vamos la velharada cérebro é igual músculo se não alongar atrofia…

Deixe seu comentário!