O que a ciência nos diz sobre os relacionamentos mais bem-sucedidos

Por , em 1.04.2014

Todos que já estiveram em um relacionamento amoroso adulto (ou quem já assistiu muitos filmes de comédia romântica) sabe que não existe “fórmula secreta” para fazer uma relação dar certo. No entanto, muitos estudos científicos têm se debruçado sobre o tema em busca de quais fatores são essenciais para o sucesso dos casais. Claro que cada relacionamento possui suas particularidades, mas a ciência nos ensinou algumas coisas que comprovadamente funcionam.

Embora o segredo de como construir um relacionamento perfeito possa estar além do alcance da ciência, estudo sobre o que faz um relacionamento bem sucedido é o que não falta. Confira cinco dicas descobertas neles:

5. Ter uma atitude positiva é essencial

5
Não é de se estranhar que as pessoas mais positivas têm mais probabilidade de serem felizes em seus relacionamentos. O que é mais interessante aqui é quão importante é essa positividade.

Em um estudo realizado na Universidade de Chicago, Estados Unidos, os pesquisadores descobriram que, quando o marido apresenta um alto nível de positividade, há menos conflito em seu relacionamento. Da mesma forma, a maneira como os cônjuges reagem a uma boa notícia do parceiro também se mostrou importante. Em um estudo publicado na revista científica “The Journal of Personality and Social Psychology”, os pesquisadores descobriram que a forma como as pessoas reagem a uma novidade positiva contada pelo cônjuge – seja com entusiasmo, orgulho ou indiferença – é fundamental na formação de uma forte ligação.

Uma matéria publicada no jornal norte-americano “The New York Times” conta que no laboratório, assim como na vida, o apoio construtivo é geralmente melhor para um relacionamento do que o desapego, como muitas pessoas aprenderam da maneira mais difícil. Segundo os estudos, os casais que costumam lançar mão de sarcasmo e comentários maldosos em suas discussões estão rumando a uma inevitável separação.

No entanto, por meio da análise dos estilos de resposta, os cientistas constataram que era a reação às vitórias dos parceiros, fossem elas grandes ou pequenas, que melhor indicava a verdadeira força dos relacionamentos. Quatro dos casais analisados tinham se separado depois de dois meses de relacionamentos, e as mulheres destas relações avaliaram as respostas habituais de seus parceiros para uma boa notícia como “tediosas”.

“Quando algo de bom acontece com o seu parceiro, esta é uma ótima oportunidade para estreitar o relacionamento – é isto o que este estudo realmente diz”, resume Art Aron, psicólogo social da Universidade Stony Brook, em Nova York, EUA, que não participou do estudo.

Claro, pensamentos positivos são ótimos para a sua vida como um todo, e não apenas para seus relacionamentos, e você também não precisa de uma positividade extraordinária. Apenas se certifique de mostrar uma genuína felicidade quando o seu parceiro alcançar algum feito, de qualquer magnitude.

4. Comunique-se corretamente com seu cônjuge

4
Outro tópico que não deve causar muita surpresa por aparecer aqui é este, sobre a importância de uma comunicação clara entre os parceiros, sem espaço para mal-entendidos e interpretações dúbias. Os estudos nesta área mostram que os conflitos sobre dinheiro e uma comunicação deficiente resultam em casais infelizes mais do que quase qualquer outra coisa. Infelizmente, lidar com esses tipos de problemas nem sempre é fácil.

Os erros comuns de comunicação que quase todos os casais têm incluem desde as questões mais óbvias – como desconsiderar o ponto de vista do outro ou perder muito tempo com discussões pouco importantes – até situações mais complexas, como sempre concordar com o parceiro e deixar de dizer o que você realmente pensa ou achar que quanto mais o casal se comunica, melhor (isso costuma ser verdade para a maioria das mulheres, mas para apenas a minoria dos homens).

Como contornar estes erros comuns? Comece aprendendo a argumentar melhor. O propósito de qualquer discussão é (ou pelo menos deveria ser) chegar a uma solução para um problema qualquer – e não apenas tirar um momento para gritar sobre todo e qualquer assunto. Reconhecer que existem duas adversidades (a situação em si e os seus sentimentos sobre ela) e lidar com estas emoções antes de discutir com o parceiro é um bom começo.

Além disso, você provavelmente também precisa parar de brigar por causa de dinheiro. Como já mencionamos acima, a grana é um dos assuntos mais delicados numa relação – e um dos que mais causa desentendimentos. E assim como outras questões controversas, o melhor é olhar para o problema em conjunto e buscar uma solução que envolva as duas partes do casal, seja criar um plano financeiro ou analisar as economias do casal juntos de tempos em tempos.

Uma boa comunicação exige esforço, é difícil e nem sempre as coisas correm tão bem quanto o esperado. Por outro lado, quando você deixa pequenas coisas se acumularem, grandes problemas surgem. Os estudos sobre isso mostram que normalmente é o dinheiro que cumpre esse papel de anti-herói nos relacionamentos, mas todo casal possui seu próprio conjunto de questões que precisam ser trabalhadas.

3. Mantenha amizades fortes fora do seu relacionamento

3
Quando se está em um relacionamento, é muitas vezes fácil, cômodo e até natural confiar no cônjuge para tudo. Isso é ótimo, mas é também de extrema importância manter amizades fora da relação. Diversas pesquisas sobre o tema já comprovaram que casais felizes possuem amizades e hobbies fora do relacionamento. Por mais que você a ame, você não quer passar seu tempo inteiro com a mesma única pessoa e você também precisa de outras pessoas com quem conversar para não depender de seu parceiro para tudo.

A escritora Tara Parker-Pope trata do assunto em seu livro “For Better: How the Surprising Science of Happy Couples Can Help Your Marriage Succeed” (“Na Alegria: Como a Surpreendente Ciência dos Casais Felizes Pode Ajudar o Seu Casamento a Ser Bem-Sucedido”, em tradução livre). Nele, Parker-Pope defende que a maneira de fortalecer o casamento é colocar menos exigências emocionais no cônjuge. “Isso não significa perder a intimidade emocional com o seu marido ou esposa. Significa apenas que os casais têm muito a ganhar com a participação de familiares e amigos em suas vidas”, conta. Segundo ela, os casais mais felizes são aqueles que possuem interesses e apoio em lugares além da própria relação.

Todos nós sabemos que amizades também são relacionamentos que precisam de paciência e carinho para darem certo. No entanto, o interessante é que o esforço para manter essas relações fortes também pode ajudar a fazer com que a sua relação amorosa dure mais e tenha mais qualidade.

2. Experimente constantemente coisas novas com sua cara-metade

2
Assim como na maioria dos aspectos da vida, temos a tendência de acomodação em relação aos nossos hábitos em um relacionamento. Quando isso acontece, as coisas começam a ficar um pouco chatas. A solução? Quebrar essa monotonia com atividades diferentes e inéditas.

Estudos mostram que os casais que tentam coisas novas frequentemente são os mais felizes, segundo publicado no jornal “The New York Times”. Em uma série de experimentos, alguns casais participantes receberam tarefas simples que envolvia simplesmente andar para trás e para frente em um cômodo. Outros casais, no entanto, tiveram de fazer um exercício mais desafiador: seus pulsos e tornozelos foram amarrados juntos e eles tiveram de rastejar para frente e para trás empurrando uma bola.

Antes e após o exercício, os casais responderam a perguntas como “Quão entediado você está com o seu relacionamento atual?”. Os casais que participaram da atividade mais desafiadora e inovadora apresentaram aumentos maiores na percepção de amor e nos índices de satisfação, enquanto os casais que realizaram a tarefa simples não apresentaram mudanças significativas.

Isto também significa que apenas uma prática divertida compartilhada entre o casal já é suficiente para melhorar a relação. Uma pesquisa da Universidade de Denver, nos Estados Unidos, evidencia que os pares que encontram um tempinho para realizar atividades divertidas tendem a ficar juntos por mais tempo. “Quanto mais você investir em diversão e amizade e apoiar seu parceiro, mais feliz o relacionamento vai ser ao longo do tempo”, resume Howard Markman, psicólogo do Centro de Estudos Familiares e Conjugais da Universidade de Denver. “A correlação entre diversão e felicidade conjugal é alta e significativa”, completa.

1. O sexo é mais importante do que você pensa

1

Uma série de estudos comprova que casais que fazem sexo pelo menos de duas a três vezes por semana são mais felizes com o relacionamento. Analisando friamente, independentemente da idade, quanto mais sexo você faz com seu cônjuge, maior é o seu nível de satisfação com o relacionamento. Mas manter o ritmo sexual no nível desejado é um grande desafio.

Uma grande pesquisa australiana interrogou 3.240 homens e 3.304 mulheres heterossexuais que eram casados, viviam com um parceiro ou estavam um relacionamento, pedindo-lhes sua opinião sobre a satisfação com suas próprias vidas sexuais. De acordo com o relatório, a maioria dos homens (54%) e quase o mesmo número de mulheres (42%) disseram que estavam insatisfeitos com a frequência das relações sexuais.

“A verdadeira questão aqui é que os casais não estão encontrando tempo suficiente para o sexo”, considera Anthony Smith, professor de saúde pública e diretor do Centro Australiano de Pesquisa em Sexo, Saúde e Sociedade, da Universidade La Trobe, em Melbourne, Austrália. “Não é possível termos mais e mais atividades em nossas vidas e ainda esperar que tenhamos o tempo necessário para fazermos sexo, ainda mais sexo de boa qualidade”, opina.

Anthony Lyons, um dos autores do estudo de La Trobe, considera que a principal lição do estudo é que os casais precisam aprender a se comunicar sobre suas necessidades sexuais ou as razões pelas quais um dos cônjuges (ou ambos) não quer fazer sexo. “Os casais precisam conversar sobre a frequência das relações sexuais. Falar abertamente sobre sexo e encontrar um meio termo em relação à frequência parece ser muito importante para a satisfação sexual e do relacionamento em geral”, diz.

Pode parecer bobagem “agendar” um momento para a intimidade, mas é importante para abrir o diálogo sobre sua vida sexual para dedicar algum tempo para estar apenas um com o outro. [Life Hacker, NY Times, Life Hacker, NY Times, Life Hacker]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!