Objeto de Hoag é uma galáxia dentro de uma galáxia dentro de uma galáxia (e ninguém sabe por quê)

Por , em 3.12.2019

Existem muitas galáxias bizarras no universo – somente este artigo do Hype aponta 15 delas -, mas o objeto de Hoag pode facilmente encabeçar a lista.

Ele leva esse nome porque foi descoberto pelo astrônomo Arthur Hoag em 1950, e até hoje espanta cientistas em todo o mundo. Isso porque compreende uma galáxia dentro de uma galáxia dentro de uma galáxia.

O bizarro objeto

O objeto de Hoag é uma estrutura rara em forma de anel com 100.000 anos-luz de comprimento (ou seja, um pouco maior do que a nossa Via Láctea). Ele fica a 600 milhões de anos-luz de distância da Terra.

Recentemente, o Telescópio Espacial Hubble fez novas imagens da galáxia, e o que os pesquisadores foi intrigante: um anel brilhante com bilhões de estrelas azuis formando um círculo envolta de uma esfera menor e mais densa de estrelas avermelhadas.

No vão escuro entre elas, outra galáxia anelar despontava, só que muito (muito mesmo) mais distante de nós.

O que está acontecendo aqui?

Os astrônomos não sabem explicar por que o objeto de Hoag é como é.

Na verdade, galáxias em forma de anel já são bastante raras – elas representam menos de 0,1% das galáxias conhecidas do universo.

Depois, estas são estruturas notavelmente difíceis de se estudar.

Hipóteses

O que fez o objeto de Hoag se dividir em duas galáxias (sendo que a terceira é mera coadjuvante posicionada no lugar certo na hora certa)?

O próprio Hoag criou uma teoria na época da descoberta do objeto, que mais tarde foi provada errônea. Ele pensava que a formação peculiar poderia ser apenas uma ilusão de ótica criada pelo efeito de lente gravitacional – um efeito ilusório que ocorre quando um objeto maciço, como um aglomerado de galáxias, está posicionado entre um observador e uma fonte de luz distante, criando uma curvatura no espaço-tempo.

Outra teoria sugeriu que o objeto era inicialmente uma galáxia mais comum, em forma de disco, que sofreu uma colisão com uma vizinha galáctica criando um “furo” em sua barriga. Se tal choque tivesse ocorrido nos últimos três bilhões de anos, os astrônomos poderiam ver seus resquícios usando telescópios de rádio. Eles não descobriram nada, no entanto.

Essa hipótese não pode ser totalmente descartada, porém, uma vez que a colisão ainda pode ter acontecido muito tempo atrás, sem ter deixado evidências para nós as encontrarmos.

Dito isso, é provável que o objeto de Hoag permaneça um mistério para sempre. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (30 votos, média: 4,87 de 5)

Deixe seu comentário!