O amor por pizza está destruindo a qualidade do ar de São Paulo

Por , em 20.06.2016

Moradores da cidade de São Paulo devem estar orgulhosos de que a megacidade paulista é a única a usar biocombustível para carros em todo o mundo. Ou talvez não, considerando que este avanço ambiental é desfeito porque todo mundo lá ama pizza.

Um novo estudo publicado na revista Atmospheric Environment afirma que o meio ambiente de São Paulo ainda está sendo destruído pelas emissões provenientes das 1.800 pizzas feitas diariamente em fornos à lenha na cidade. Outra culpada pelas emissões é a grande quantidade de churrascarias da cidade. Assim, mesmo que São Paulo tenha menos poluição proveniente de veículos do que antes, os paulistanos ainda precisam lidar com as preocupações a respeito da qualidade do ar.

O principal autor do estudo, Prashant Kumar, fala sério sobre soar o alarme. O professor de engenharia civil diz que mais de 7,5 hectares (cerca de 19 acres) de floresta de eucalipto são queimados a cada mês por esses restaurantes. “Isso é significativo o suficiente como uma ameaça para ser de preocupação real sobre o ambiente, negando o efeito positivo sobre o meio ambiente que a política de biocombustíveis tem”, diz ele.

A professora Maria de Fátima, coautora do estudo, da Universidade de São Paulo, acrescenta: “Apesar do grande número de veículos de passageiros e caminhões a diesel serem o contribuinte dominante nas emissões de partículas, pelo menos nós entendemos o impacto que eles têm sobre o meio ambiente e isso pode ser um fator nas soluções. As importantes contribuições para as emissões de partículas obtidas com a queima de madeira e da queima sazonal de plantações de cana precisam ser contabilizadas em estudos futuros, uma vez que também são contribuintes significativos como poluentes”.

Obviamente, isso não significa que as iniciativas de biocombustível são inúteis. As coisas seriam piores se todos estivessem usando gasolina e comendo pizza. E considerando que pesquisadores da Universidade de Columbia, nos EUA, dizem que a maior fonte de poluição em todo o mundo não são os carros, a notícia de que a mudança para biocombustíveis possivelmente não tem tanto impacto quanto o esperado não é surpreendente.

Não há nenhuma solução clara, no entanto. 1.800 pizzas por dia em uma cidade com 11 milhões de pessoas não soa como um número tão alto. E não está claro se os problemas da pizza de São Paulo estão presentes em outras cidades ao redor do mundo.

Proibir a gasolina? Lógico, tanto faz. Proibir pizza feita em fornos à lenha? Aí temos um problema. [Gizmodo, Phys.org]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

35 comentários

  • JuniOo Cost:

    O que ta ferrando são paulo e outros lugares é os milhares de veiculos .principalmente caminhoes ,sem condiçoes minimas de trafegar

    • Cesar Grossmann:

      JuniOo, você pode garantir que as pizzarias e churrascarias não causam dano algum?

  • Ivanna Fabiani:

    Os principais produtores de Eucalipto no Brasil, vao muito bem e obrigado, trabalhando com todo o potencial exemplo grupo orsa.

  • Tiago Moura Evangelista:

    Nunca vi tanta besteira junta… Pra começar… 1800 pizzas por dia? Vocês esta falando de São Paulo ou de algum bairro de periferia?

    • Tiago Moura Evangelista:

      São Paulo produz mais de Um Milhão de pizzas por dia, só dai ja da pra desconfiarmos da fiabilidade deste estudo.

    • Cesar Grossmann:

      Todas elas em forno a lenha? BTW, de onde saiu o “um milhão de pizzas”? O trabalho tem uma bibliografia onde a origem do número é apontada…

    • Cesar Grossmann:

      1.800 pizzas feitas em forno a lenha. Todas as pizzas de Sampa são feitas em forno a lenha?

    • Tiago Moura Evangelista:

      As pizzarias usam madeira de reflorestamento, que inclusive sai mais barato, portanto essa historia de desmatamento é outra falácia.

    • Cesar Grossmann:

      Que desmatamento? Onde fala de desmatamento?

    • Tiago Moura Evangelista:

      Uma pizzaria nem um pouco famosa que eu conheço aqui solta entre 200 e 250 pizzas num dia, na lenha … 1800 pra cidade inteira?

    • Cesar Grossmann:

      O número de pizzas é por estabelecimento, contando as pizzas que são vendidas na pizzaria e as que são enviadas por tele-entrega, o número de estabelecimento é de cerca de 8.000, dos quais cerca de 80% usa forno a lenha. Não sei de onde o PhysOrg tirou o número de pizzas diárias.

      https://www.researchgate.net/publication/303633441_New_Directions_From_biofuels_to_wood_stoves_the_modern_and_ancient_air_quality_challenges_in_the_megacity_of_Sao_Paulo

    • Tiago Moura Evangelista:

      Sorry: um indiano, na Inglaterra, pesquisando a lenha das pizzarias de São Paulo? No minimo a amostragem que ele usou esta totalmete errada.

    • Cesar Grossmann:

      Tiago, não é assim que se critica um trabalho científico… Dizer que o cara é indiano e por isto não sabe nada sobre as pizzarias de São Paulo é uma falácia “ad hominem”, você está desqualificando o trabalho baseado numa característica pessoal do cara que liderou o trabalho. Mas ele não é o único pesquisador envolvido, tem duas pesquisadoras brasileira da USP, além de outros…

      https://www.researchgate.net/publication/303633441_New_Directions_From_biofuels_to_wood_stoves_the_modern_and_ancient_air_quality_challenges_in_the_megacity_of_Sao_Paulo

    • Tiago Moura Evangelista:

      Desmate: link do G1 que eu postei aqui e não foi autorizado.
      1800 pizzas dia: mentira, amostragem errada, fizeram a pesquisa errada e ponto

    • Cesar Grossmann:

      Não, Tiago, o número de pizzas por dia não faz diferença, as pizzarias e churrascarias que queimam lenha continuam poluindo…

    • Tiago Moura Evangelista:

      Não estou criticando ele ser indiano, estou falando de cultura, da realidade dele ser diferente da nossa, da distancia do objeto de estudo.

    • Cesar Grossmann:

      Tiago, poluição é poluição, a “realidade” dele não importa se ele está falando da poluição de São Paulo. Ele pode ser chinês ou paulista, e ainda assim as pizzarias que usam forno a lenha vão continuar poluindo…

    • Tiago Moura Evangelista:

      Desmatamento: no link do G1 que eu postei aqui e NÃO FOI AUTORIZADO fala.

    • Cesar Grossmann:

      Então você está reclamando aqui de uma coisa que não foi escrita aqui…

    • Tiago Moura Evangelista:

      1800 pizzas/dia:mentira,amostragem errada, método equivocado. Pesquisa errada na base, na hora de colher dados. Como confiar nos resultados?

    • Cesar Grossmann:

      Tiago, o dá uma olhada no trabalho. A propósito, qual a diferença, tem as churrascarias também, e um monte de outros negócios que enchem o ar de particulados e outros produtos que causam câncer.

    • Tiago Moura Evangelista:

      1800 pizzas/dia: mentira, erro de amostragem, método equivocado. Como confiar nos resultados de uma pesquisa que errou na base, na coleta ?

    • Cesar Grossmann:

      Tiago, eles não fizeram a amostragem, mas usaram outros dados, vindo de empresas como o IBGE, a Prefeitura e por aí vai. Mas que diferença isto faz?

    • Tiago Moura Evangelista:

      E por ultimo: meio ambiente DESTRUIDO por 8 MIL pizzarias numa cidade com 7 MILHÕES de carros? Faça-me o favor…

    • Cesar Grossmann:

      Quem falou em meio ambiente destruído? O trabalho quer justamente alertar para o fato que existem mais fontes de poluição além de carros e motos, e enquanto carros e motos são controlados e aferidos, ninguém regulamenta a poluição causada por pizzarias e churrascarias.

  • Jadson Brumatti:

    Deixa prá lá. Não consigo enviar mais comentários. Estudo: 10. Matéria (original): 5,5.

    • Cesar Grossmann:

      Muito severo…

  • Jadson Brumatti:

    Sinceramente achei uma leitura muito rasa de uma situação mais complexa. Tenho que ler esse “estudo” pra ver o que foi considerado.

    • Cesar Grossmann:

      Vai firme:

      Prashant Kumar et al. New directions: From biofuels to wood stoves: The modern and ancient air quality challenges in the megacity of São Paulo, Atmospheric Environment (2016). DOI: 10.1016/j.atmosenv.2016.05.059

    • Jadson Brumatti:

      Já tinha baixado via Sci Hub, Cesar. Acabei de ler, o estudo (revisão bibliográfica e análises de dados) é muito bom. Mas…

    • Jadson Brumatti:

      … notícias ruins tem maior impacto. O problema maior que é discutido é sobre o material particulado, e as pizzarias e outros…

    • Jadson Brumatti:

      … estabelecimentos são apenas uma parte. E com certeza dá pra melhorar como o mesmo estudo mostra, em outras metrópoles que estão sendo…

  • Cesar Grossmann:

    Forno elétrico, alguém?

    • Ivanna Fabiani:

      Porque eles nao fazem estudos da poluição que as motos estão causando com metais pesados na atmosfera? Deixa os fornos a lenha..

    • Cesar Grossmann:

      Motociclista tem que aferir a poluição causada pela moto dele a cada quatro anos. Quem é que faz a aferição dos fornos à lenha? E das churrascarias?

Deixe seu comentário!