Por que esfregar um machucado diminui a dor?

Por , em 23.09.2010

Você bate o joelho na quina da mesa. Qual é a sua primeira reação (além de mandar um xingão, claro)? Esfregar o machucado! Mas por que fazemos isso?

Novas descobertas mostram que a maneira com que a mente “vê” o nosso corpo influi na nossa percepção de dores agudas. Sendo assim, tocar o machucado ajuda o cérebro a “ver” melhor a área e diminui a dor.

Usando um método chamado “ilusão da grelha térmica” cientistas pediram a voluntários que mergulhassem os dedos indicador e anular de ambas as mãos em água aquecida a 43 graus Celsius. Ao mesmo tempo eles deveriam colocar os dedos médios dentro de água a 14 graus Celsius.

Isso cria uma ilusão de que os dedos médios estão machucados e sentimos grandes dores (tente fazer isso em casa, se duvida, só não queime os dedos e nos culpe depois). Tudo porque o cérebro cria a ilusão de que o dedo do meio está sendo queimado, misturando os sinais vindos de cada dedo.

Depois de tocarem os dedos, os participantes disseram que a dor foi reduzida em até 64%. Em outras palavras, quando tocamos um machucado, o cérebro reconhece melhor a área e a dor diminui.

Antes de fazer parte dos procedimentos da medicina, no entanto, esse método precisa ser mais testado. Mas agora temos uma resposta para os nossos instintos e, cada vez que você der uma topada com o dedo do pé e sentir vontade de passar a mão pelo machucado, vai lembrar dessa pesquisa. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • EU:

    sistema de comportas medulares

  • Rodrigo Paim:

    Ok, só não passem se a mão estiver muito suja…

    Antes dor por algum tempo do que uma dessas infecções

  • Jose Renan:

    esse machucado na foto tá virando uma necrose :S

  • Marcelo Augusto:

    É verdade Thiago…
    E também se o cara não tiver olhos ou visão ou até não saiba ler ??? Como será que ele vai saber da matéria sem ler pra decidir se quer participar de uma pesquisa né ??? (Aliás não ví nada relacionado à procura de voluntários para pesquisas.

    Acho que a falta de cérebro é mais séria ainda…

    Desculpem mas não me contive a um comentário desses…

  • Thiago dos Reis:

    Excelente. E se o cara não tiver dedos como ele participa da pesquisa?

Deixe seu comentário!