Prisões virtuais para os computadores não destruírem a humanidade

Por , em 5.03.2012

Filmes e obras literárias já exploraram em muitas histórias essa possibilidade: um belo dia, as máquinas que o ser humano criou ficarão tão desenvolvidas que ameaçarão sua existência. Cientistas americanos, da Universidade de Louisville (Kentucky), resolveram pensar nisso como uma possível realidade: desenvolveram o conceito de prisões virtuais, que limitariam a expansão da Inteligência Artificial.

Prisões virtuais para nos proteger da Inteligência Artificial

Segundo os pesquisadores, é preciso inventar um método tecnológico que restrinja, digamos, o “livre arbítrio” dos computadores. Em uma visão apocalíptica, em que as máquinas teriam uma capacidade inimaginável nos dias de hoje, tal método deve ser à prova de ameaças, subornos e persuasão por parte de tais computadores.

Este poder imenso dos computadores do futuro seria aplicado através de softwares que dominariam as funções do computador (componentes de hardware, principalmente) de uma maneira que nem os programadores e engenheiros da computação podem acompanhar.

Existem maneiras de impedir, desde hoje, que a inteligência artificial tenha acesso a determinadas funções de hardware. Seria uma forma de “prisão” para esta inteligência e uma forma de impedir que ela tome decisões por si mesma e contra a vontade do usuário (por exemplo, mandando mensagens em código Morse manipulando o sistema de resfriamento). Mas isso são apenas hipóteses.

A forma mais garantida de frear a inteligência, conforme explicam os pesquisadores, seria simplesmente retirar o acesso à internet do computador em questão. Cortadas as comunicações com o mundo fora da máquina, a inteligência artificial não teria muito como agir. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

15 comentários

  • Mario:

    o ser humano pode não ser burro, mas não tem um pingo de vergonha, um ser ir a uma tv e falar que é homossexual é porque o ser já perdeu a dignidade pra sermos destruídos é uma questão de tempo.

    • Herms:

      Indigno é não ter vergonha de falar essa bobagem preconceituosa em público.

  • eugenio:

    ISAAC ASIMOV, no LIVRO(não no filme) “EU ROBÔ”,com brilhantismo e criatividade que lhé é peculiar, descreve situações curiosíssimas até os dias de hoje,onde justamente estes robos são levados a outros locais,em outros planetas e estudados pela “ROBOPSICÓLOGA” uma espécie de FREUD de robôs;são máquinas de grande inteligência, que apresentam comportamentos inadequados,perigosos, e que põe em riscos a vida dos humanos, as TRÊS LEIS DA ROBÒTICA determinam os projetos de fabricação dos robôs.O filme de mesmo nome é uma porcaria perto do livro.Quem ler vai se arrepiar!
    OBS.: não vendo livros)

    • LorD FeniX (Marthins):

      Sistemas complexos possuem um comportamento imprevisível. Não há como saber o q resultará de sua interação com os outros sistams (mundo e pessoas).

      Mesmo dois sistemas de inteligência artificial idênticos e q comecem com a mesma base de dados apresentaram evoluções diferentes. Isso ocorre mesmo em seres orgânicos, como por exemplo, os gêmeos.

      Mesmo q se crie tais regras no sistema, o q impede q ele use de artifícios interpretativos para burla-las ?
      Tentei encontrar um episídio de uma série q a história explorava justamente essa regra e como uma IA começou a burla-la dessa forma. Mas não lembro qual foi a série.

      O sistema de IA nessa história começou a matar as pessoas depois de ler textos religiosos e concluir q:
      – Matando as pessoas as estava “enviando para o céu”. =PPP
      – No “céu” elas teriam “uma vida melhor e feliz” =PPP
      – Fazendo as pessoas felizes não estava fazendo mal a elas =PPP
      – Como elas “iam para o céu” não estavam morrendo. =PPP

      Portanto, mesmo regras impostas não garantem 100% de segurança. Basta ver a lista infinitas de advogados e políticos corruptos q se usam de brechas na lei e artifícios interpretativos para burla-las e escapar delas. =PPP

    • bruno:

      O exemplo do advogado não vale, poisa sabemos bem que essas leis furam feitas pare terem brechas, além de ser cada vez mais criadas leis que entram em conflito com a outras.

  • eduardo:

    Nascemos para destruir……

  • Renan:

    Que título estranho esse.

  • drew:

    Tem que planejar bem o avanço da inteligencia artificial.

  • A.:

    Então os pesquisadores dizem que a forma de “aprisionar” a inteligência é retirar o acesso à internet, pois cortadas as comunicações com o mundo fora da máquina, a inteligência artificial não teria muito como agir.

    Mas… Se esta máquina foi desenvolvida para realizar atividades complexas e trabalhar com informações, ela pode ser, ou se tornar, capaz de procurar e obter os recursos dos quais precisa. Consequentemente, poderia fazer modificações, acoplar outras máquinas e circuitos a si mesma. Algo parecido com o homem pré-histórico aprendendo a fazer suas ferramentas.

    Se com tamanha experiência e informação a máquina se tornar ciente de quem ela é e de qual grupo ela faz parte na sociedade, ela poderia se tornar leal aos semelhantes. Um princípio de preservação da espécie poderia se desenvolver com base no princípio de auto-preservação, ao enxergar as outras máquinas não como iguais, mas como extensão de si mesma.

    No entanto, só acredito que esta situação possa realmente sair de controle se os idiotas criarem máquinas de guerra inteligentes, não apenas controlados por uma pessoa remotamente, como já existem. Robôs de utilidade saindo de controle é uma coisa, mas de guerra, só se voltassem pra quem os mandou…

  • Régis:

    Será que o ser humano seria burro o suficiente para criar uma maquina que pode destruir a humanidade?

    • Eduardo Garcia:

      Acho que já criaram… Só não tão eficiente como será no futuro…

    • Hector:

      O ser humano eu não sei, mas eu sei que a natureza criou um ser capaz de destruí-la, que se chama ser humano.

    • Fausto:

      Bomba atômica não é uma máquina (ou é?)… Mas…

    • André:

      Sim

  • LorD FeniX (Marthins):

    Se os atuais vírus e worms (tendo uma inteligência praticamente inexistente quando comparada a esses sistemas) conseguem fazer os usuários clickarem em links, executarem e instalarem arquivos e outras coisas que queiram, um sistema desse nível enganará a maioria dos seus usuários para que esses “abram sua prisão” sem se darem conta do que estão fazendo. =PPP

Deixe seu comentário!