Queda radioativa é o combustível que aquece da Terra

Por , em 20.07.2011

Por que será que o núcleo do nosso planeta é tão quente? Segundo os cientistas, metade do calor elevadíssimo do centro da Terra, que muitas vezes irrompe em uma superfície vulcânica pelos continentes, se deve à radioatividade.

Esta nova descoberta mostra que o planeta ainda mantém uma extraordinária quantidade de calor que tinha desde seus primórdios.

Para entender melhor as fontes de calor da Terra, os cientistas estudaram antineutrinos, partículas que muito raramente interagem com a matéria normal. Usando um detector desses pequeninos corpos localizado sob uma montanha no Japão, eles analisaram geoneutrinos – partículas emitidas por materiais radioativos em decomposição no interior da Terra – ao longo de mais de sete anos.

A energia produzida por uma quantidade de antineutrinos, nas raras ocasiões em que colidem com a matéria normal, pôde dizer aos cientistas qual material é emitido – por exemplo, material radioativo do centro da Terra. Pôde-se também estimar quantos antineutrinos estão sendo gerados e o quanto de energia eles estão carregando.

Os pesquisadores descobriram que a queda dos isótopos radioativos de urânio e tório, juntos, contribuem com 20 trilhões de watts de calor que a Terra irradia para o espaço, energia seis vezes maior da que é consumida nos Estados Unidos, por exemplo.

Mesmo esse valor sendo astronômico, ele representa apenas metade do calor liberado pelo planeta. Os pesquisadores acreditam que o restante do calor vem do resfriamento da Terra desde o seu nascimento.

Para os cientistas, saber quais são as fontes de calor da Terra é uma questão muito importante para a geofísica, já que define de onde vem o aquecimento essencial do planeta e de onde vem o calor que é distribuído nas camadas da crosta e do manto da Terra, que influencia no movimento das placas tectônicas.[OurAmazingPlanet]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • RebeloFernandes:

    O que acontece com a teoria de G variável.
    G aumenta na proporção da expansão do universo.
    Com G a aumentar os corpos celestes se afastam na proporção de G e os potenciais gravíticos em que se encontram continuam constantes.
    O todo (Universo) cresce, a parte cresce na mesma proporção.
    Só que os raios atómicos diminuem, (a massa local encolhe) na proporção inversa.
    É esse fenómeno que faz com que o centro da Terra não tenha arrefecido ao fim de tantos anos.
    Sobre G variável:
    Reparem na afirmação do artigo:
    “Aumentando sua velocidade, o satélite se afasta. A comparação utilizada pelos pesquisadores é a de crianças brincando em um gira-gira: quanto mais veloz, mais forte a sensação de se estar sendo jogado para fora.”
    Aumentar a sua velocidae é aumentar o seu potencial.
    O potencial é tanto maior quanto mais prõximi da Terra.
    U=G*M/D
    U – Potencial (velocidade de translação ao quadrado).
    G – Constante gravítica universal.
    M – Massa da Terra
    Quanto maior é a velocidade maior é o potencial.
    Um potencial maior acontece mais perto da Terra (menor D)
    Como a força gravítica é atrativa então a Terra traria a Lua para essa localização e estaria a aproximar-se.
    Mesmo adimitindo que não, reparem que a dita força das marés é constante. Uma força constante provoca uma aceleração. Então a velocidade de afastamento da Lua em relação à terra aumentaria. Não é o caso, pois desde 1969 (43 annos) que esse valor é constante.
    Se repararem na expressão do potencial, atendendo que as forças gravíticas realizam trabalho nulo, ou seja a Lua orbita a Terra sempre à mesma velocidade, potencial constante, então:
    G = U*D/M
    Como U e M são constantes.
    G=K*D
    G aumenta na proporção de D.
    Por sua vez G = C^2(2*Du)
    Du- Densidade de energia potencial universal no local.
    Du Resulta da radiação de massa de todas as massas universais que atingem o local.
    Como o universo se está a expandir, então Du está a diminuir, logo como se vê na expressão G está a aumentar.
    Para ver qual a minha opinião sobre a formação de passado/fuuro da Lua, consulte:
    http://rebelofernandes.com/pdf/A%20Terra%20e%20a%20Lua.pdf
    Sobre G variável:
    http://rebelofernandes.com/pdf/3_Um_novo_Universo.pdf
    Sobre os raios atómicos estarem a encolher:
    http://rebelofernandes.com/pdf/21_Um_novo_Universo.pdf
    Um abraço.

  • Utilidades Virtuais:

    E a radiação emitida pelo sol que tambem aquece a Terra? Isso nao pode ser desconsiderado. Mas o que precisamos fazer é acchar um meio de aproveitar a maior fonte de calor da terra e transforma-la em energia eletrica. Isso suprirá a demanda de eletricidade que a população está consumindo a cada dia mais.

  • Ze da Feira:

    Acho que o universo vai acabar em ferro pois os elementos menores tendem a se fundir até chegar a ele e os maiores a se decomporem até ele. No final vai todo mundo toma ferro. kakaka

  • Cesar:

    O termo correto é “decaimento radioativo”, e não “queda radioativa”. Decaimento é o processo em que um núcleo instável perde partículas e se transforma em outro elemento, mais estável.

    • Andy – O irônico:

      Droga eu já ia comentar isso… malditos firsts….
      rsrsrs

Deixe seu comentário!