Quer melhorar a memória? Esqueça as coisas

Por , em 25.10.2011

Problemas de memória? O melhor a se fazer, para poder se lembrar, é esquecer. Sim; cientistas descobriram que, quanto melhor você é em esquecer, melhor você é em lembrar.

Como isso funciona: para se lembrar de fatos que são importantes na sua vida hoje, você tem que ser capaz de abrir mão de informações que você não precisa mais.

Por exemplo, se alguém lhe perguntar quem é o presidente atual do Brasil, você pode se lembrar de Fernando Henrique Cardoso, ou Lula. Claro, isso está incorreto. Então você tem que arrumar uma maneira de não pensar sobre FHC ou Lula, para poder se lembrar de que a presidente atual do Brasil é a Dilma Rousseff.

Claro, você não precisa se esquecer pra sempre dos outros presidentes do Brasil. Seu cérebro está cheio de informações, e para que você tenha informações importantes ao seu alcance – na ponta da língua -, tem que se esquecer de fatos que não são imediatamente necessários.

É como os seus pertences: coisas importantes que você pode armazenar em sua mesa. Coisas menos importantes, você coloca numa gaveta. Outras, você deixa ao alcance de sua mão. Se você realmente precisar do que estiver na gaveta, é só buscar o que você precisa, mas é mais difícil o acesso a ela.

Para ter uma noção de como o cérebro se esquece, a fim de se lembrar, pesquisadores realizaram algumas experiências.

Em uma delas, os voluntários receberam uma lista de seis palavras relacionadas; uma lista de seis frutas, por exemplo.

Em seguida, os voluntários tiveram que fazer um teste simples em que a categoria foi listada junto com a primeira letra de três itens, seguidos por um espaço em branco a ser preenchido. Por exemplo, categoria “frutas” seguido por um “L” de laranja, ou “M” de maçã.

Depois disso, os voluntários fizeram o mesmo teste, mas desta vez com letras iniciais para todos os seis itens. Os voluntários facilmente se lembraram dos três itens que estavam no outro teste. Os outros três foram muito mais difíceis de lembrar. Suas memórias desses itens haviam sido “perdidas”.

O experimento explica o que acontece quando trocamos de número de telefone, por exemplo. Uma vez que você aprendeu o novo número, é quase impossível recordar o antigo. E isso faz sentido, pois seria muito difícil para nós se lembrar de cada número de telefone que já tivemos.

Os pesquisadores afirmaram que algumas pessoas são melhores em “esquecer para lembrar” do que outras. Essas pessoas tendem a ser melhores em resolução de problemas, o que tem a ver com a maneira como seus cérebros organizam a informação, que as ajuda a pensar.

E você? É melhor em lembrar, ou esquecer?[MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 3,00 de 5)

29 comentários

  • Rafael:

    aff vo formata meu HD e vo colocar o windows 7 ultimate no meu cerebro. como eu foirmatei eu nao vou ter nada na minha cabeça depois se eu ver algo que nao quero escluo 😀 hehe.
    quando eu tive na escola eu pesquiso no google >:| e vo tranmitir via bluetooth as resposta da prova pos meu colegas hehe…. puxa euq eura ser assim 😀

    • Henrique Martins:

      kkkkkkkkkkk ri muito .

  • rene alfredo:

    E bom saber disto

  • joão:

    quando eu finalmente consigo “lembrar” o ano em que estamos, já estamos no final dele, e o processo se repete no ano seguinte. ‘-‘

    • Henrique:

      esquecer o ano essa é boa.
      As vezes esqueço o mês mas o ano kkkkkkkkkkkkkkkk.

  • levy:

    se for assim eu ja sou um aistain da memoria

    • Nando:

      Ainstain foi de doer…

    • Henrique:

      ainsten kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      É Einstein

    • Mané:

      Eureka! Um cientista morfológico n este espaço!

    • Gabriel Costa:

      Não! Você acabou de esquecer o português.

  • ALX:

    Talves um teste com fotos de pessoas do passado, como amigos de escola ou que passou pelo dia a dia e ficou pra tras, historias de acontecimentos do passado tmbm seria um bom teste

  • Márcio M:

    Eu acredito que a questão de se ter boa memória é a de exercitá-la. Essa informação da matéria é útil e não é novidade, acredito que pode ajudar realmente, mas não creio que seja o ideal. Assim como o corpo, o cérebro precisa de exercícios. Por exemplo: não é a toa que jogadores de xadrez adquirem cada vez mais habilidades e novas jogadas em virtude de análise e assimilação das jogadas.

    • Ezio José:

      Quando se abre muitos programas no PC, ele começa não responder. Devemos fechar os programas e/ou reiniciá-lo. Os computadores são semelhante a nós.
      Os jogadores de xadrez dão uma pausa longa durante o jogo, tomam um cafèzinho e voltam com nsvas estratégias. Eles exercitam, porém, necessitam de uma pausa vez por outra, esquecendo o jogo.
      Exercitar a memória não significa sobre carregá-la. Mas, é interessanteseu comentário.

  • Milena Karla:

    É por isso que eu acho que não deveríamos estudar tanto história,todo mundo sabe que não usamos pra nada no futuro.
    A matéria história só é útil para sabermos a história do nosso país. No lugar de tanta História deveria ter outra matéria como uma aula de raciocínio lógico,algo pra treinar o cérebro,aula de leitura ou coisa assim.É mais construtivo.

  • Ezio José:

    A Meditação é uma forma utilizada há séculos e funciona como um instrumento ideal para memorizar ou lembrar de algo que encontra-se recôndito de nosso cérebro.
    Os meus avós me ensinavam, inconscientemente dos efeitos, que se quisesse encontrar algo que havia esquecido onde poderia estar, bastava fazer um pedido à São Longuinho, dar tres pulinhos e esquecer, parando de procurar, que logo sem querer achava.
    Sempre funcionava até que não precisei mais do tal São Longuinho.

    • Flor de Lis:

      Caro, Ezio…

      Obrigada pelas dicas que vc me deu em resposta ao meu comentário abaixo. Vejo que não é mesmo à toa que vc se candidatou a meu noivo na matéria sobre as 5 maneiras de saber quando é hora de se casar…rsrs. Beijos.

  • Cebolinha:

    Então não escreva nada.

  • dinossaurofilosofo:

    Se eu me esquecer de onde guardei as memórias menos importantes, como me lembrarei quando precisar delas?

    • Anderea:

      dizem que tenho super memoria sempre gosto de esqueçer umas coisas para se lembrar de outras com mais facilidade mais no final das contas as memorias menos importantes acabam infelizmente no mundo real tendo uma importancia e ai no final das contas vc nem vai perceber que tenho uma memoria boa…

  • enejonas:

    isso eu já sabia……(o que eu já sabia????-bricadeira)kkkkk.

  • Elefante:

    Por vezes a memória imediata falha, mas lembro-me de números antigos e até sonhos de anos atrás. Seja como for, sou bom a resolver problemas complexos, pois absorvo muita informação e a resposta aos problemas aparecem em forma de pequenos retalhos de muitas informações. Normalmente as respostas vêm quando não penso no problema.

    • EltonPaes:

      Também com um cérebro desse tamanho né senhor elefante, era pra lembrar até do tapa na bunda, quando nasceu…

    • Ezio José:

      Pior que nas proporções corporais o elefante não é tão lá grandes coisas.
      CÉREBRO DE ELEFANTE = 6.000 gramas; CÉREBRO DE HUMANOS adulto = 1,300-1,400 gramas; Cérebro de macacos (Rheasus) = 97 gramas; Cérebro de cachorros = 72 gramas; Cérebro de gato = 30 gramas; Cérebro de coelho = 10 gramas; cérebro de coruja = 2,2 gramas.

    • EltonPaes:

      Eu tinha uma vaga certeza de que ao fazer este comentário, viria alguém fazendo este tipo de comparação.
      Po, assim deixa a piada sem graça…

  • EltonPaes:

    “Quer melhorar a memória? Esqueça as coisas”

    Pooha! Eu acho que sou o cara mais esquecido dessa face da terra, por isso acho que não tenho boa memória…

    • Flor de Lis:

      Pois é,, Elton… eu sempre fui uma pessoa com uma boa memória. Tinha boa parte dos números da agenda de telefones de minha casa guardadinhos na cabeça, e mais uma série de informações, como datas de aniversários, senhas e etc. Mas de uns tempos pra cá ando com a memória falha, e digo isso justamente porque ando esquecendo as coisas…

    • Acacio:

      Mas será que esse problema não é por absolver muita informação via internet, por exemplo? Eu digo isso por experiência própria e não por causa do artigo em si, apesar do mesmo relatar o que de fato acontece: Muita informação desnecessária faz mal. E como venho lhe acompanhando, Flor de Lis (belo nick ;), concordo com sua frase: …[…] xii, eu me esqueci! (Sem sarcasmo, rs, eu sou muito esquecido mesmo, tenho que parar com o vicio do computador… Mas com certeza você e todos que já viram comentários seus sabem do que estou falando, na qual você comenta sobre o equilíbrio, em que “tudo que é demais faz mal”… ;]

    • Flor de Lis:

      Realmente, Acácio, vc tem me acompanhado mesmo… falo muito sobre o equilíbrio realmente. Porém como estudei a vida toda (e ainda estudo), tenho hábito de ver programas educativos, ler artigos dos mais diversos e conservo o vício da leitura, acabei superlotando minha mente com informações…rsrs. Agora ta ruim pra “deletar algumas coisas do meu HD mental”…mas dá pra levar. Ah, e obrigada pelo elogio ao meu nickname e por acompanhar meus comentários aqui no Hype. Beijo.

    • Ezio José:

      Flor de Lis;
      Tá na hora de fazer um back-up e em seguida desfragmatizar o HD! (rs)Aumentar a memória RAM com ingestão de Zinco, Potássio e comer bastante amendim (vitamina E.
      As coisas fúteis, porém necessárias, quando reiniciamos a máquina humana são “apagadas”.

Deixe seu comentário!