Quer parar de fumar? A luta é entre você e seu cérebro

Por , em 4.08.2010

Uma pesquisa liderada pela Universidade Yale (Connecticut, EUA) afirma que o fator psicológico, no combate ao vício do tabaco, tem uma influência maior do que imaginamos. Tudo se resume, segundo eles, em saber quais áreas do cérebro trabalhar para atingir o objetivo de largar o cigarro.

Os cientistas observaram os cérebros de fumantes a partir de Ressonância Magnética. Enquanto estavam sob o exame, os participantes eram expostos a imagens de cigarro e comida. Quando os pacientes tentavam resistir ao seu objeto de desejo, o cérebro mostrava intensa atividade em certas áreas e parava em outras, ou seja, é possível criar atividades para atacar o problema na raiz.

Já existe, na psicologia, uma técnica cerebral para ajudar os fumantes a combater o vício. Chamada de Terapia Cognitivo-comportamental, ela obtinha relativo sucesso no tratamento dos pacientes, mas com um problema: eles não sabiam qual era a área do cérebro responsável pelas mudanças no vício, apenas combatiam o problema. Agora, a “receita cerebral” para o fim do vício foi descoberta: o Lobo Frontal aumenta a atividade, o Corpo Estriado diminui na mesma proporção, e então o desejo se apaga.

Isso foi descoberto da seguinte maneira: os investigadores apresentaram, a 21 fumantes, imagens de cigarros e alimentos, e orientaram os pacientes a pensar nas consequências negativas de seus vícios em longo prazo, e que fizessem força mental para resistir às suas vontades. A todas as reações, as áreas do cérebro eram mapeadas ao mesmo tempo.

Os fumantes tinham desejo pelo cigarro mais forte do que aos alimentos, mas o trabalho mental que eles fizeram reduziu ambos os desejos na mesma proporção: cerca de um terço. Essa foi a redução mostrada no Corpo Estriado, o setor do cérebro responsável pelos vícios.

O Corpo Estriado, localizado na parte inferior do cérebro, próximo ao tálamo, é um dos núcleos (ou gânglios) da base cerebral, e está conectado com as demais áreas. Ele está relacionado, grosso modo, às reações de “se acostumar” com as coisas, inclusive às coisas ruins, como o vício em cigarro.

Assim que os participantes resistiam com sucesso à tentação do cigarro, aumentava o fluxo sanguíneo e a atividade no Lobo Frontal. Essa área é estimulada em situações de resistência, de negação a algo que o corpo demanda. O desafio dos psiquiatras, agora, é trabalhar em atividades mentais que facilitem esse caminho para os viciados: ativação do Lobo Frontal combinada à inatividade do Corpo Estriado. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,33 de 5)

12 comentários

  • vicente:

    cara isso é igual os jogos online que eu jogava, pra eu parar de jogar eu sempre tive que fazer uma loucura, a ultima delas foi joga todos os meus itens do lineage 2 no chao aopsdkopasodpk toda hora que eu entrava eu achava chato todo um trabalho perdido dai eu abusei

  • Marco:

    As pessoas que não fumam se acham superiores, pois não sabem o que é o vício preste atenção em alguém que esta parando de fumar e veja suas reações é terrivel este vício.

  • Rita B.:

    Cada caso é um caso, tem pessoas como o João e outras que simplesmente estarão morrendo e pedindo um cigarro como ultimo desejo da sua vida (conheci uma pessoa que pediu um cigarro nos ultimos momentos de vida), vicio lamentável e triste como tantos outros.

  • adrielle:

    ISSO SERVE PARA UMA SERTA PESSOA AQUI DE CASA

  • thiago:

    O que define a parada é nada mais do que a vontade do indivíduo. Decidir parar, jogar o cigarro fora, ter vergonha de ter sido fraco para ter começado algo, e mais vergonha ainda de nunca ter parado por não se achar capaz pra isso.

    Pensamentos negativos levam a ações negativas. “Mens sana in corpore sano”, “uma mente sã num corpo são”.

  • Tony:

    Mas talvez seja bom demais pra ser verdade, pode não ser tão simples assim.

  • Tony:

    Ótimo artigo esse.
    Pelo que pude entender, tais “técnicas” quando devidamente desenvolvidas, podem inclusive ser estendidas para eliminar outras fraquezas como alcolismo, jogo, e outras condutas negativas ou/e autodestrutivas em geral

  • João:

    Olá pessoal,

    Eu fumei por muito tempo(+ de 30 anos) e a única arma que usei para largar o vício foi a vontade de parar.
    Faz 6 anos que parei, que apaguei o último cigarro. Desde o primeiro dia que resolvi parar de fumar, pouco sou incomodado pela fumaça e cheiro do cigarro.
    A receita é: Concientizar-se que o cigarro faz mal e é melhor parar de fumar. VocÊ inicia uma coleta de informações negativas sobre o cigarro que irão ajudá-lo de forma determinante a parar de fumar.
    Com essa determinação você juntará forças e determinará quando parar. Levei 2 anos até apagar o cigarro e dizer que iria parar de fumar. Nunca mais a vontade de fumar prevaleceu ao meu desejo de parar de fumar. Um tempo de pois, talvez 6 meses a 1 anos a vontade era mínima. Hoje já não me lembro do gosto, e convivo normalmente com fumantes. Até pego cigarro dos outros para brincar. O policiamento da vontade que ainda existe é muito pequeno, algo como uma lembrança de infância.

  • chico:

    Quer parar de fumar, beber e usar outros tipos de drogas aceite JESUS em suas vidas, se entreguem a Ele que o resto Ele fas por voces. Mas tem que querer ser curado.

    • replay:

      Trocar uma doença por outra não resolve!! fanatismo religioso faz tão ou mais mal que o cigarro!! Espero que um dia os crentes parem com esse papo de aceitar Jesus, o cara morreu faz mais de 2000 anos e era só mais um pastor picareta e malfadado!!!!!

  • Ana Elisa:

    Eu concordo com você Eduardo, em partes. Há três meses eu venho tentando parar de fumar… meu namorado não fuma, moramos juntos e mesmo assim eu ainda tenho recaídas constantes.
    Acredito que meu psicológico esteja realmente fraco, mas não é tão fácil assim… na verdade me falta atitude e determinação… mas vamos ver o que dá né? Sorte pra mim, e perseverança… claro!

  • eduardo:

    Eu fumei durante dois anos… eram em média 3 maços de cigarro por dia… eu fumava muito mesmo… fiz exame pulmonar e foi constatado q eu era realmente viciado…
    Qnd conheci minha atual mulher, q nunca fumou, eu decidi parar de fumar… eu simplesmente parei (já são 6 anos sem fumar)… resisti bravamente… todas as noites eu sonhava q estava fumando… e até hj sinto vontade de dar uma tragada…
    Acho q a força de vontade é crucial pra kem ker parar definitivamente… acho q não há outra saída… tem q ser realmente forte e resistir à tentação…
    Só não pára de fumar kem é fraco psicologicamente…

Deixe seu comentário!