Quer se sentir mais sexy?

Por , em 21.11.2010

Se você se sente mais poderoso dirigindo um carrão ou usando aqueles sapatos caros, não se preocupe –você não está sozinho. E isso vai além da discussão sobre o consumismo. Cientistas descobriram que, quando compramos um produto, não mudamos apenas a nossa atitude, mas muita vezes nossa personalidade muda para combinar com o novo “investimento”.

Se você quer se sentir mais aventureiro pode comprar uma moto Harley Davidson. Se quer se sentir mais descolado, o novo modelo do All Star. Isso todos sabem. Mas a pesquisa feita na Universidade de Minnesota não analisou apenas o comportamento que temos, mas sim nossa auto-imagem. Se você comprar uma Harley vai realmente acreditar que é mais aventureiro?

Para isso, os pesquisadores recrutaram 100 voluntárias – todas mulheres, com idades entre 18 e 34 anos. Elas deveriam escolher uma sacola de uma loja para carregar por um shopping: ou uma sacola da famosa loja de lingerie Victoria’s Secret ou uma sacola de uma loja de departamentos comum. Todas as participantes, sem exceção, escolheram a sacola da loja de lingerie.

Depois de passarem uma hora passeando pelo shopping com a sacola da Victoria’s Secret, as participantes fizeram um teste de personalidade e o resultado mostrou que elas se sentiam mais confiantes, mais femininas e mais sexy.

Outro experimento fez com que voluntários escrevessem ou com uma caneta normal ou com uma caneta com a logomarca do MIT (famosa Universidade de tecnologia dos EUA). A caneta do MIT fez com que alguns se sentissem mais inteligentes.

Segundo os cientistas não é apenas o consumo que importa, mas o que a marca significa para você. Se você pensa que uma lingerie da Victoria’s Secret irá te deixar mais feminina e sexy, então ela realmente irá fazer isso. Mas se você é uma pessoa que não liga para marcas, o mesmo efeito não será observado – pelo menos não nesse tipo de relação causa-efeito.

De acordo com os pesquisadores, essa descoberta pode fazer com que os consumidores percebam como as marcas realmente os afetam. “Emprestar” uma sacola de uma loja chique é a dica que eles dão para quem quer se sentir bem e está com o dinheiro mais curto. Só cuidado para ninguém olhar dentro da sua sacola! [The Body Odd]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

25 comentários

  • miqueias charles:

    As pessoas não se valorizam pelo que são,mas pelo rótulo de marcas que usam a imagem sempre de vencedores,uma tradicional marca de cigarros passou essa imagem na década de 80 e o ator mais tarde morreu de cancer por usar o produto,coincidencia ou não nem sempre as grandes grifes acertam nos seus produtos… O ser humano é mais importante que as etiquetas de produtos.

  • Rafael Bezerra:

    Puro fetichismo! Marx já prevera tudo isso, no século XIX, bem antes que as próprias marcas existissem como são hoje…

  • Kelly:

    É FATO! “DÊ PODER AO HOMEM E PODEREMOS CONHECER O SEU CARACTER”. QUANDO ESTAMOS NO “TOPO” QUEREMOS ALGO DE IGUAL PRA IGUAL E AUTOMATICAMENTE NOS SENTIMOS “OS MELHORES”, SELECIONAMOS MAIS… E QUANDO NAO TEMOS CERTO PODER, FICAMOS MAIS HUMILDE, SABENDO EXATAMENTE ONDE PISAR. SÓ QUEM JA TEVE CERTO PODER PODE DIZER EXATAMENTE COMO É, E EU DIGO “PODER MESMO”! UM TRABALHO DIGNO, COM A CONTA RECHEADA, UMA PORSHE NA CARAGEM, COMPRAS COM CARTAO SEM LIMITE, UM AMOR QUE SEMPRE QUIS E TEVE! E POR AI VAI… POSSO DIZER QUE UM DESSES EU TIVE O PRAZER DE TER, E POSSO DIZER QUE O SENTIMENTO É DE … EU POSSO TUDO!!!

  • claudemir da silva:

    realmente influência

  • ANILSON MARTINS:

    Na verdade se percebe que existem pessoas que vivem só de aparências , o grande problema é na hora do “vamo ve”.

  • Danilo:

    Discordo do efeito placebo. Quem é melhor atendido em uma loja que o vendedor ganha comissão, quem está usando grife ou o cara de camiseta de propaganda política? Isso não é placebo, é poder aquisitivo, na sociedade, quanto mais simbolos de status você tiver, melhor será atendido e agradado, quem não se sentiria melhor? é o capitalismo e a discriminação social.

  • clarice:

    é realmente tem gente que precisa de uma “pena” mágica pra “voar” né!.

  • serginho:

    Um dia destes estava de ferias, estive em uma revenda de motos, de uma marca muito conceituada, mas como eu trajava camiseta, bermuda e havaiana me trataram pior que um “bicho” Esse deve ser um “coitado” pensaram os vendedores, só pelo maneira como fui atendido . Resultado,comprei outra marca e avista hehehe…

  • luciana:

    Pôoo pessoal, isso já aconteceu comigo. Fiquei com vergonha de entrar no shopping com sacola de supermercado. Mas superei, to pouco me lixando se acham que sou pobre ou rica.

  • Gabriel Zambon:

    Senhores, como o Guilherme já definiu, estamos falando aqui de efeito placebo.
    A questão é que nós subjugamos o efeito e para a maioria das pessoas não passa de enganar a si mesmo.

    Seja um remédio, uma roupa ou um carrão, nós achamos que dor passou, que as coisas melhoraram ou que estamos mais poderosos só por estar naquela condição.

    Mas a verdade é que nosso humor e nossa expectativa alteram a forma como percebemos a realidade, tanto para melhor quanto para pior.

    Uma pessoas dita “de bem com a vida” é uma pessoa que aprendeu a controlar a percepção da realidade e ver o lado bom das coisas, de certa forma ela está se enganando, mas para melhor.

    O placebo é uma forma de você ter um auxilio externo, uma âncora, para controlar sua percepção da realidade, para ver as coisas melhores do que elas são.

    Prefiro me enganar um pouco e estar de “bem com a vida” que ser um racionalista mal humorado.

  • Bruna:

    Acho que as pessoas não precisam estar com as coisas mais caras do mundo pra ser feliz, e afinal ninguem tem haver com a vida de ninguem , e cada um faz o que sente bem em fazer e o que tem condiçoes de fazer, ninguem é melhor que ninguem ,e todos precisam de todos, por exemplo:
    o presidente precisa de toda população pra ser o que é, ele tem que dar valor nisso e não desvalorizar ou tentar humilhar depois que esta no topo! A vida é cheia de reviras voltas, ao mesmo tempo que uma pessoa tem uma economia baixa, ele pode conseguir um emprego bom e subir na vida, nem precisar humilhar ninguem , em vez de humilhar ajude ! isso é o MELHOR @ pra quem leu , pesso consciência de pensar em tudo *-* bjoos!
    Ass: Bruna Martins!

  • Larissa – Engenheira Ambiental:

    A verdade é que tudo nos influencia….marcas…mídia….etc.
    Na neurolinguística se estuda o cérebro. E a neurolinguística diz que o pensamento é poderoso! Se eu pensar que estou arrasando e focar nisto ( por conta de estar usando uma sacola chique ou não)….estarei arrasando….mas apenas pra mim….talvez não pros outros. Mas por uma parte isto é bom, pois me deixará feliz e aumentará meu auto estima. Mesmo que os outros não percebem. Tudo que pensamos nós atraímos….é que nem um exemplo que o profissionais dão no curso de neurolinguística. Se eu ficar pensando que estou gorda…..sempre ficarei gorda….agora se eu focar na palavra emagrecer aí sim a força do pensamento entra em ação. Esta matéria está correta…
    Max não concordo com vc, existem pesquisadores para tudo hoje em dia.. se essa matéria é inútil ou não, é interessante e tem gente estudando a mente humana….e isso é fascinanate e não inutil…
    Gostei muito do seu comentário Kimy….
    As pessoas deviam pensar mais em si do que nos outros.
    Quero ser feliz pra mim…não pros outros! =)
    Quero me sentir bem…se andar com uma sacola me deixa feliz..
    Poxa deixa eu ser feliz então!

  • :S:

    Ontem eu estava com uma pólo da Ralph Lauren e até o diretor mais chato me comprimentou, estranho não?

  • Balacobaco:

    Andava de fusca e tinha vergonha, hoje tenho um chevete e sou feliz, pego geral…

  • Guilherme:

    @Nancy
    E vai me dizer que você não acredita em efeito placebo também?

    De fato, ainda mais pra uma pessoa que não está acostumada a usar produtos “de marca”, o efeito placebo acontece. Esse é o motivo muitas vezes pras pessoas gastarem o que não tem só pra comprar um óculos da Oakley ou uma moto 600cc. As pessoas querem se sentir poderosas e tendo isso acham que são porque os outros também acham que ter isso o torna poderoso.

    É como Traição… Tem gente que trai porque tem gente que “pega”.

  • MAX:

    Mas q besteira gastar tempo com este tipo de pesquisa!!!!Com tanta coisa melhor e necessaria para pesquisar os caras me vem com essa…
    PS:Materia inutil.

  • Gilberto:

    Concordo com Kimy, normalmente o ser humano quer impressionar as pessoas apenas para alterar seu status diante delas, na minha cidade há pessoas que tem carros mas não tem nem onde morar e o carro vai pagar daqui 60 meses … e assim vai.

    Muitos querem ser o que não são apenas para impressionar pois são pressionados indiretamente a serem igual ou melhor aos que estão a sua volta.

    Acho que o ser humano produto deveria ser mais conteúdo que embalagem.

  • nóis é rico!:

    quem pode, pode, quem não pode inveja a gente! nois gasta porque nois tá na condição! $$$$$$

  • Antonio Tacito de Souza e Silva:

    Em um modo geral, é isso mesmo que acontece, porém nunca devemos por o chapéu onde o braço não alcança.
    Hoje podemos nos vestir bem e barato…a moda nos dá condições
    para isso.
    Me sinto bem assim, mas entendo que muitas pessoas gostam de
    gastar bastante, principalmente na aparência…cada um na sua.

  • Kimy:

    Definição de Status: Querer impressionar gente da qual você não gosta, comprando coisas caras das quais não precisa, com um dinheiro que você não tem.

  • Nanci Valladão de Mello:

    Será que é tudo isso?A impressão que me dá é que os cientistas fizeram esta pesquisa em favor das empresas de produtos para ser vendidos!Mudança de personalidade(que perigo!)
    Acreidto que vez ou outra comprar algo para si faz bem a auto-estima, porém no mais, achei um certo exagero,como ficam os que tem um poder aquisitivo abaixo da linha da pobreza?
    Quanto a ter uma sacola de marca, efeito placebo?Os cientistas acreditam nisso?

  • Moreti:

    Acredito nesta mudança das pessoas ao sentir que o “bem” adquirido faça diferença em seu corpo, mudando também seu estado de espírito.
    Aos amigos que possuem uma maior facilidade de obter os objetos e por isso não estão felizes, isso é porque felicidade não se compra em nenhum shopping por ai.
    Não é o “ter” que irá recompensá-lo.

    Um forte abraço

  • haha:

    Pura realidade. Só tenho vestuário de marca no meu guarda roupa, ganhei até puxas-saco e várias novinhas. Além de se sentir bem, a pessoa começa a “roubar a cena” em diversos lugares, afinal, gostar de quem tem é fácil, difícil é gostar do humilde. Mas, mudar a personalidade eu discordo, pois sempre fui a mesma pessoa, humilde, honesto e generoso, nunca me senti membro da alta sociedade, esnobe, egoísta.

  • anonimo:

    … na verdade muitas vezes qremos é mostrar isso q. acontece…eu estou num país e tenho condiçoe de comprar oq. qzer acredite e muitas vezes e tudo q,. compro é a vista… e isso nao me satisfaz… parece q. qndo as coisas sao dificeis de se conseguir q. causa seu interesse .. apartir do momneto q. aqlo vem com facilidade tudo parece banal…e tmbém a cultura a sociedade e o competitismo as vezes nos atrai para esse tipo de esbanjamento q. muitas q. no fundo nao nos agrada . ou seja estou falando por mim…abço o se vestir bem. cheirar bem,,,vai alem de todas essas medilcridades… e competividades…o prazer em comprar o prazer em mostrar…

  • Yoshi:

    Acho que a dica de pedir uma sacola emprestada não funciona muito bem. Seria o mesmo que tentar fazer cocegas em si mesmo. Ou seja, você não consegue enganar o próprio corpo. Afinal, o prazer de comprar também está relacionado ao esforço para se adquirir o bem tão desejado.

Deixe seu comentário!