Recursos gastos em arsenais nucleares poderiam erradicar doenças

Por , em 3.05.2010

Com uma ínfima fração do dinheiro investido em armamentos nucleares, os 11 países que detém essa tecnologia poderiam eliminar as principais doenças de suas populações. É o que aponta uma pesquisa da George Washington University, na capital americana.

Segundo o estudo, já foram gastos no mínimo US$ 10 trilhões com armas nucleares. O custo estimado para controle, pesquisa e desenvolvimento relacionados às epidemias mundiais estaria perto de US$ 1 bilhão, ou seja, dez mil vezes menos.

A população dos países asiáticos, em especial, sofre com as prioridades de seus governos. Nações que investem pesado em tecnologia nuclear mostram números alarmantes em algumas epidemias. No caso da ascaridíase, a Índia lidera o ranking mundial com 140 milhões de habitantes infectados. Se todos eles formassem um país separado, seriam a décima maior população do mundo. Atrás dos indianos, a ascaridíase também é presente na China (86 milhões de pessoas), Coreia do Norte (8 milhões), Paquistão (7 milhões) e Irã (5 milhões). São todos países que se concentraram, nas últimas décadas, em dominar a produção de armamentos nucleares.

Há mais números alarmantes. Metade das 60 milhões de pessoas com Tracoma (doença contagiosa que pode levar à cegueira), que se transmite por bactérias, se encontram nessas mesmas nações. A Índia responde por um quarto dos 120 milhões de casos registrados em Filariose Linfática (doença transmitida pelo parasita da Elefantíase), uma infecção grave.

Essas três doenças têm algo em comum. É a facilidade de contágio em lugares poluídos, com ausência de saneamento básico, más condições de moradia e total falta de estrutura e higiene pessoal para a população.

Os investimentos no setor nuclear são divulgados como agentes na disuasão da guerra, e portanto, na promoção da paz. As más condições de vida no planeta, contudo, promovem conflitos civis e aumentam as tensões internacionais. Uma parte do recurso usado nos armamentos poderia ser revertido para controlar as epidemias, ajudando a estabilizar as nações. Seria um passo em direção ao cumprimento dos Objetivos do Milênio.
[Scientific Blogging]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

13 comentários

  • Cesar:

    Rodrigo

    No caso de algumas doenças não é necessário descobrir uma cura, basta investir na prevenção, e geralmente a prevenção passa por duas coisas: saneamento básico e educação da população. Se todo mundo tiver esgoto e água tratados à disposição, e aprender medidas profiláticas, a incidência de um monte destas doenças cai a números insignificantes. Claro que isto não vale para o câncer, mas vale para a áscaris, para o cólera, e mais um monte de outras doenças.

  • Rodrigo Paim:

    Totalmente errado o texto.

    1º São mais de 1 Trilhão, não 1 bilhão como a matéria disse.

    2º Curas de doenças não são problemas financeiros, a verba hoje para a cura de doenças como AIDS, Câncer, e outras, é bem grande. A questão é que demanda tempo e tecnologia para chegar a tratamentos eficientes. Podiamos dar todo o dinheiro do mundo para as instituições de pesquisa, mas não adiantaria em quase nada.

    Enfim, infelizmente achei essa matéria muito ingenua.

    PS: Desculpem qualquer erro de português, estou com pressa

  • Marcos:

    De tudo o que foi dito, se me permitem, podemos resumir na frase:

    Definitavamente, a experiência humana na Terra não deu certo !!!

    Abraços

  • Naaliel:

    É…O homem gastou demais em armas nucleares com o propósito de não usá-las. E dizem: “Não, isso é só uma necessicade estratégica”, Isso é uma enorme estupidez. Se a Rússia e EUA usarem cada 30 bombas nucleares em 60 pricipais cidades inimigas, toda a civilização estaria exterminada. Quem não morressem da radiação nuclear, morreriam de fome e desordem. Com esse valor, que eu já ouvi que são bem maiores, dariam pra aliminar a fome de toda a população mundial. “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” Mateus 24.12

  • Wanderson:

    @Cezar

    Realmente há muitas coisas inúteis que se gasta com milhões de dólares como por exemplo,gasta-se milhões para um craque de futebol chutar uma bola ou uma modelo que nem é tão bonita assim desfilar numa passarela enquanto milhões passam fome.

    Pois é Cezar esses são apenas algumas das bizarrices do Capitalismo.

  • Fernando Sávio:

    É simples…
    Eles não estão focados em acabar com a doença do mundo..
    As famílias deles estão saudáveis, eles estão saudáveis, os amigos deles também estão… Enfim, pra que perder tempo fazendo o que foram eleitos para fazer se eles podem “aumentar” seu poder construindo e pesquisando novas armas??
    E tem mais também, na minha opinião o Brasil tinha que fazer um controle de natalidade rigoroso, acabaria com metade dos problemas do nosso país!!
    Sobraria mais empregos, menos consumo de nossos recursos sobrando mais para exportação, etc etc etc… Sobrando muito mais dinheiro para prevenir e remediar muitas doenças para menos pessoas!!

  • guilherme:

    tem alguns seres humanos loucos porque como que 11 países gastam 10 trilhões em materiais nucleares e não querem gastar nada em saúde e educação

  • Zé:

    Estranho esse valor de um bilhão de dolares… Bill Gates por exemplo doou 20 bilhoes para a caridade e saúde… por que nao erradicou as epidemias gastando apenas 5% do que foi doado? Realmente um valor estranho…

  • Cesar:

    Além do investimento em arsenal nuclear, poderíamos rever os investimentos gastos em cosméticos: será que é realmente necessário que as mulheres tenham à sua disposição 104,5 cores de cabelos diferentes, 302,5413 cores diferentes para as unhas, e mais outros milhares de tons de cores diferentes para a cútis, para os olhos, etc? Será que meia-dúzia não é um número suficiente? Ou uma dúzia?

    E tem mais, um filme custa o mesmo que uma missão interplanetária, com a diferença que uma missão interplanetária aumenta nosso conhecimento sobre o sistema solar, sobre os outros planetas, e permite uma nova olhada sobre o nosso próprio planeta, uma nova compreensão sobre a nossa casa e vizinhança planetária. E um filme? Alguns poucos filmes porporcionam uma nova compreensão, uma nova olhada sobre problemas humanos, sobre a própria humanidade, mas são raros, a maioria é sexo e violência, e só.

  • Wanderson:

    Só com um terço do que se gasta com isso daria pra acabar com o problema de saneamento básico no mundo todo.
    @Lucas,a recíproca é verdadeira.

  • Andhora:

    Concordo contigo Lucas… A ambição humana pelo poder ultrapassa as noções de bom senso e cuidado com a própria espécie humana. Esse tipo de pensamento é ilógico e beira ao irracional.

  • Lucas:

    Nossa realmente incrivel como o ser humano prefere gastar infinitamente mais pelo poder de poder matar outro humano que para salva-lo, realmente somos pateticos, sinceramente sinto nojo ao ler quanto gastamos em arma, e o quanto nao gastamos em saude…

  • Marcos Paulo:

    Há uns 4 anos atras eu chamei isso de: “EFEITO PALANQUE”.

Deixe seu comentário!