Redes sociais são tão importantes quanto exercício e dieta

Por , em 6.01.2016

Um novo estudo da Universidade da Carolina do Norte (EUA) afirma que quanto mais laços sociais as pessoas têm em uma idade precoce, melhor sua saúde será durante toda a sua vida.

Esse é o primeiro estudo a vincular definitivamente relações sociais com medidas concretas de bem-estar físico, como obesidade abdominal, inflamação e pressão arterial elevada, todos fatores que podem levar a problemas de saúde a longo prazo, incluindo doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e câncer.

“Com base nestes resultados, deve ser tão importante incentivar adolescentes e adultos jovens a construir relacionamentos sociais amplos e habilidades sociais para interagir com os outros, quanto a comer bem e ser fisicamente ativo”, disse Kathleen Mullan Harris, uma das autoras da nova pesquisa.

As conclusões

A equipe descobriu que o tamanho da rede social de uma pessoa era importante para a sua saúde na idade adulta, tanto no começo quanto no fim dela.

Na adolescência, o isolamento social levou a maior risco de inflamação, a mesma quantidade de risco causada pela inatividade física, enquanto a integração social protegeu contra a obesidade abdominal. Na velhice, isolamento social era até mais prejudicial à saúde do que diabetes, no que dizia respeito ao desenvolvimento e controle da hipertensão.

Na idade adulta média, não era o número de conexões sociais que importava, mas o que essas conexões significavam em termos de apoio ou tensão social. “A relação entre a saúde e o tamanho das redes sociais das pessoas é mais forte no início e no fim da vida, e não é tão importante na vida adulta média, quando a qualidade, não a quantidade, das relações importa”, argumenta Harris.

Amostra grande

Harris e sua equipe analisaram dados de quatro pesquisas nacionalmente representativas da população dos Estados Unidos que, em conjunto, cobriam desde a adolescência até a velhice de diversos participantes. Uma delas foi o “The National Longitudinal Study of Adolescent to Adult Health”, o mais abrangente banco de dados para estudar como relacionamentos sociais, comportamento, meio ambiente e biologia interagem para moldar a saúde na adolescência e ao longo da vida adulta.

Eles avaliaram três dimensões das relações sociais: integração social, suporte social e tensão social. Em seguida, estudaram como as relações sociais dos indivíduos eram associadas com quatro marcadores-chave para o risco de mortalidade: pressão arterial, circunferência abdominal, índice de massa corporal e níveis circulantes de proteína C-reativa, que é uma medida de inflamação sistêmica.

De acordo com os pesquisadores, a análise deixou claro que médicos e outros profissionais de saúde devem redobrar os seus esforços para ajudar o público a entender o quão importante são fortes laços sociais ao longo de todas as nossas vidas. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!