Remédios que diminuem inflamação podem ajudar na redução de sintomas de depressão

Por , em 29.10.2019

Aspirina, paracetamol, antibiótico e outros agentes anti-inflamatórios podem diminuir de forma segura sintomas de depressão clássica, conclui uma análise publicada no Journal of Neurology Neurosurgery & Psychiatry.

Os resultados também mostram que os efeitos são melhores quando esses agentes são associados ao tratamento padrão com antidepressivos.

Cada vez mais evidências sugerem que a inflamação contribui para o desenvolvimento da depressão. Os pesquisadores revisaram evidências disponíveis e reuniram os dados para ver se agentes anti-inflamatórios funcionavam melhor do que placebo em tratamentos com ou sem acompanhamento de antidepressivos.

Esses agentes incluíram: drogas anti-inflamatórias não-esteroides (aspirina, ibuprofeno, paracetamol, etc); ácidos graxos ômega 3; drogas que inibem a produção de substâncias inflamatórias; estatinas; corticoides, antibióticos; minociclinas; um remédio usado para distúrbios de sono (modafinil); e N-acetilcisteína.

Os pesquisadores analisaram bancos de dados e encontraram 30 estudos relevantes publicados até janeiro de 2019 que envolviam 1610 pessoas.

7 mudanças alimentares que podem ajudar na depressão

Resultados, efeitos colaterais e conclusão

Os dados reunidos sugerem que agentes anti-inflamatórios funcionaram melhor do que o placebo e melhoraram os efeitos do tratamento com antidepressivo.

Esses agentes foram 52% mais eficientes ao reduzir a severidade de sintomas em geral, e 79% mais eficientes do que o placebo ao eliminar sintomas. A análise mostrou que as drogas anti-inflamatórias não-esteroides, ácidos graxos ômega 3, estatinas e minociclinas foram os mais eficientes ao reduzir sintomas da depressão clássica em comparação com placebo.

Nenhum grande efeito colateral ficou evidente, apesar de alguns sintomas estomacais terem sido identificados em quem usou estatina e N-acetilcisteína. Os testes duraram entre 4 a 12 semanas apenas, então não foi possível observar efeitos de longo prazo.

Esta análise tem alguns pontos falhos: nem todos os estudos acompanharam mudanças nos escores de depressão durante o estudo todo. As escalas de depressão utilizadas nos estudos também foram diferentes, e os estudos que envolveram estatinas e minociclinas tiveram um número de participantes bastante reduzido.

Mesmo assim, eles concluem: “Os resultados desta revisão sistemática sugerem que os agentes anti-inflamatórios desempenham um papel antidepressivo em pacientes com transtorno depressivo maior e são razoavelmente seguros”. [Medicalxpress]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,89 de 5)

Deixe seu comentário!