Será possível a existência de planetas inteligentes?

Por , em 10.04.2012

Você lembra do planeta “vivo” de Avatar, que conversava com seus habitantes através de estranhas ligações? Será que um planeta assim, consciente, com todos os seres conectados, um planeta vivo e inteligente, existe?

Até agora, a ideia de um planeta inteligente parece ser um pouco utópica. Os cientistas dizem que, baseado na química e no comportamento das coisas vivas e não vivas – que conhecemos, claro – você não deve apostar em um Pandora, por exemplo.

“Do modo como a evolução funciona, não vejo isso acontecendo”, afirma o cientista Peter Ward, da Universidade de Washington, EUA.

Megafauna

Os planetas são formados com a junção do gás e poeira cósmicos que sobram da formação estelar. Do que já conhecemos dos planetas, rochas, líquidos e gases aglomerados, não há como um planeta desenvolver algum tipo de consciência.

O único caso planetário que chegou um pouco mais perto disso foi a Terra, que eventualmente foi povoada por moléculas que se autorreplicavam e carregavam informações.

“Nós temos que usar a história da Terra como guia”, afirma Ward. E com isso a ideia de um superorganismo gigante cai por terra.

Drenagem cerebral

São necessários um cérebro muito grande e um sistema nervoso muito desenvolvido para que certa inteligência seja exibida.

E para isso é preciso muita energia. Nosso cérebro corresponde a 3% do nosso corpo, mas consome 20% da nossa energia. Poucas criaturas desenvolvem mais inteligência do que as pressões evolucionárias exigem.

Se pensarmos em algum tipo de massa viva que cobriria a terra inteira, tornando o planeta inteligente, sua necessidade parece ser muito pequena.

A competição entre as espécies, pelos recursos naturais, é outro ponto que impede a ideia de um planeta inteligente. Não apenas as espécies competem entre si, mas tentam se aproveitar e passar por cima das outras.

No fim, as criaturas não são programadas para começar a cooperar e fluir como um corpo único. “Com a seleção natural, alguns vivem e alguns morrem”, afirma Ward.

Consciência coletiva

Existem poucas exceções para essa regra. Colônias de insetos, por exemplo, são compostas por milhares de indivíduos, que agem em conjunto para garantir a sobrevivência. “Sociedades como as das abelhas e formigas são o máximo do altruísmo”, diz Ward.

Por isso não fica totalmente fora de questão uma série de seres, em uma colônia única gigante, que agissem como uma mente apenas, até que os recursos acabassem.

Essa noção, entretanto, traz um problema: comunicação. Formigas usam feromônios para se comunicar, e nossos corpos usam nervos. Mas imagine um organismo do tamanho da Terra.

“Se o pensamento for de certa maneira distribuído (em um planeta inteligente), ele será mais lento do qualquer coisa que você possui em casa”, afirma o astrônomo Seth Shostak.

Gaia?

Apesar de todas essas considerações, alguns cientistas defendem o argumento de que a Terra deveria ser pensada com um organismo gigante.

A “hipótese Gaia” propõe que a vida na Terra funciona em conjunto, para manter o habitat sustentável. Dessa maneira, a salinidade e o pH dos oceanos, por exemplo, seriam ideais porque a vida fez dessa maneira.

A hipótese é muito controversa, já que temos muitos casos em que a ideia da Terra tomando ações para defender a vida parece não se sustentar. “A vida já se sabota muito sem estar conectada através da inteligência”, comenta Ward.

Shostak também não acredita muito nisso. “Após bilhões de anos aqui, nós não vemos muito a flora e fauna fazendo isso. Tudo é interdependente, mas poucos se comportam como um único organismo”.

Pelo jeito, no momento, a hipótese Gaia fica no campo da ficção. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 3,75 de 5)

22 comentários

  • Francisco Assis Gurgel Gurgel:

    Estou convencido com a maioria dos cientistas, vida inteligente pelo que conhecemos não existe, a vida na terra e um fato raro em toda imensidão do universo, agora que existe vida pelo qual não conhecemos isto sim um grande mistério não cabe a nos jamais penetrou em coração humano o segredo daquilo que é eterno e da existência de Deus.

  • alcantara:

    Vamos considerar o fato que existe vida inteligente alem da nossa,na vastidão desse universo,vamos considerar que exista outro planeta habitado,em algum lugar do universo.Então vamos considerar que nosso planeta é inteligente,e,que outros que existam tambem possam ser inteligentes

  • Gustavo:

    Tem outro filme, além de Avatar, que trata desse assunto: Final Fantasy Spirits Within.

  • D1:

    Meu caro a biblia fala que mil anos p nos é como 1 dia p Deus, entao pare vc, de insistir que a biblia fala em dias literais, neste caso.

  • António Oliveira:

    Não sou adepto da ficção sensacionalista, fantástica, e muito menos das exageradas especulações que os cientistas fazem, aliás penso que eles o fazem por interesse, pois vemos os canais de TV de documentários cheios de programas deste tipo, e não passa disso, especulações e mais especulações, mas certezas está muito aquém da realidade e sabedoria, porque simplesmente nós, espécie humana, estamos muito atrasados e longe de ter uma pequena ideia do que é o universo e o que pode existir nele.

  • Herberti:

    Esta postagem me fez lembrar o livro e o filme ‘Solaris” de Stanislaw Lem, onde é descrito um planeta coberto por um oceano que é na verdade um grande cérebro planetário. Vale lembrar também um conto do saudoso Arthur C. Clarke intitulado “A Cruzada” onde, em um planeta perdido nas profundezas do espaço intergalático, impera o zero absoluto. Assim, a eletricidade pode fluir livremente e ao longo dos milênios se torna um computador do tamanho de um planeta. Muito interessante!

    • Rafael Andrette:

      Asimov também fez sua versão do conto, em “Nêmesis” uma Lua de uma planeta Gigante em uma estrela vizinha nunca detectada, tem uma única forma simples de vida unicelular. com o tempo descobrem que essa forma se comunica como neurônios no cérebro, formando um planeta inteligente e consciente.

      Em sua saga “Fundação”, (no livro Fundação e a Edge), ele também retrata “Gaia”, um planeta em que todas as consciência são conectadas telepaticamente, por uma evolução direcionada nesse sentido pelos humanos ali presentes. De humanos a animais, até objetos inanimados, todos compartilhavam de um planeta vivo-consciente.

  • Chicxulub:

    É muito difícil saber se tal planeta existe, mal conhecemos o nosso, mas é prematuro descartar uma possibilidade como esta, baseando-se apenas nos modelos da Química, Física e Biologia que conhecemos, levando-se em conta a vastidão do Cosmos… mas seria muito bom se nosso planeta fosse como Pandora, talvez o homem não cometesse crimes e barbaridades contra a própria espécie, contra seus companheiros de jornada (outros seres vivos) e contra sua própria “casa”, já que estaria conectado à uma consciência coletiva, e não viveria no egoísmo individualista/especista que vive hoje. Seria muito melhor do que qualquer religião ou legislação jamais sonhou.

  • Gilberto M.:

    Desde o começo do séc. passado raras experiências foram feitas com algumas plantas. Conectou-se sensores de eletroencefalograma em algumas folhas e alternando atitudes de carinho e de agressão registrou-se, por incrível que pareça, oscilações no aparelho quando as plantas foram ameaçadas, mas não tocadas. Existem muitos preconceitos científicos em relação a essas experiências, e nunca se comprovou o que realmente aconteceu. As plantas, ou algumas espécies de plantas, podem perceber quando são ameaçadas? É claro que existem alguns casos comprovados de defesa desenvolvidas por certas plantas, quando, por exemplo, um pé de tabaco é atacado por formigas saúvas. Mas nessas experiências não houve contato físico com as plantas, somente palavras agressivas. Infelizmente os preconceitos impedem que a comunidade científica faça uma pesquisa completa sobre o tema.

  • Diego:

    Primeiro defina inteligência, consciência e vida.

  • Matheus:

    star craft : zergs

    • Renys Kenys:

      Ou os Prottos, quem sabe.

  • Cesar:

    Se existir vai ser a coisa mais fantástica do Universo. Uma forma de vida que não surgiu por seleção natural e mutação, mas que simplesmente passou a existir quando os elementos se conectaram…

    Se bem que tem uma outra hipótese estendida da ideia das colmeias e formigueiros: uma entidade coletiva como os Borgs. Ou seja, um planeta que começou como um planeta normal, mas no qual uma espécie desenvolveu inteligência e acabou por integrar-se globalmente, criando uma superentidade única, um multi-organismo.

  • william santos de jesus:

    nos ainda não mandamos nem um homem de verdade a marte, apenas robôs e ele esta bem próximo de nos. O que podemos afirmar no universo se sequer o conhecemos fora de nosso pequeno planeta.

  • Garrete Reis:

    “A competição entre as espécies, pelos recursos naturais, é outro ponto que impede a ideia de um planeta inteligente.”: Acredito q isso seja errôneo, considerando o Gene Egoísta, de Dawkins.
    Em certas circunstâncias, é mais viável para o egoísta trabalhar coletivamente.

  • Sergio Cambara:

    Se de fato o universo é infinito, infinitas são as possibilidades, nesse caso deve existir em algum confim do universo algum planeta ou mesmo sistema solar dotado de inteligência.

  • Jonatas:

    E porque considerar que só formas animais e sistemas neurais possam formar um sistema inteligente?
    O Maior ser vivo da Terra foi achado em 1996: um fungo que cresce sob o solo da Floresta Nacional de Malheur, no Estado do Oregon, Estados Unidos. Ele é um Armillaria Ostoyae, um cogumelo do mel, ocupa uma área de 880 hectares e pesa uma massa de 600 toneladas. Ele regula a própria floresta acima dele, decidindo qual árvore vive e qual árvore morre, e ele ainda cresce, cerca de um metro por ano, e sua idade pode ser superior à dois milênios. Dizer que é inteligente seria exagero, mas em algum momento precisamos definir melhor o que é inteligência.
    A vida se formou de concentrações químicas isoladas na Terra, mananciais ou poças, não podemos tomar a Terra como um padrão obrigatório só porque é o único modelo que conhecemos. Um planeta quimicamente muito saturado poderia formar um organismo de proporções planetárias, um ser filamentoso como esse fungo americano não seria descartável. Inteligência, habilidade cognitiva, é mais raro, mas não descartável, já ouvi falar de estudos que de um determinado paradigma chegaram a detectar habilidade cognitiva em plantas, sem a necessidade de um sistema neural. Uma inteligência também pode ser coletiva, como um formigueiro, por exemplo, não entendo a citação do texto reportado ao dizer que existem poucas exceções para essa regra, sendo que a biomassa das formigas é bem maior que a biomassa de humanos nesse planeta, e elas não são as únicas a formarem colônias coletivas.
    Eu acredito que esse Universo nos revela muitas surpresas, e planetas vivos e pensantes podem estar entre elas.

    • Khajiit:

      Eu acredito que se um planeta “pensase,” ele nao seria um planeta, mas sim… Uma forma de vida. Por exemplo, teria uma coisa dessa em algum lugar, que formas de vida vivem nela, como Pandora, e as criaturas se comunicam com o “planeta,” entrando em contato com seu sistema neurologico, entao o tal “planeta” nao seria um planeta, mas um tipo de alien, que pratica simbiose com as criaturam nela, por isso acho essa ideia meio bizarra, entede?

    • Marcelo II:

      Caro Jonatas,

      quer dizer que pode haver lugar para Deus em nosso desconhecimento?

    • Jonatas:

      Não é preciso o desconhecimento para acreditar em Deus, muitos acreditam cada vez mais na mesma intensidade em que aprendem mais. Deus é um termo muito primordial, ele pode se encaixar em qualquer concepção, seja evolucionismo ou criacionismo, por exemplo. Acreditar é escolha, o fato dele existir ou não existir não depende em nada de nossas convicções ou concepções.

  • Chuck Norris®:

    Bom, neste universo desconhecido, nada pode ser descartado. Não conhecemos nem nossos planetas vizinhos.
    Eu acredito que seja possível a existência de planetas inteligentes.

    • ira:

      TIRO CERTEIRO

Deixe seu comentário!