Seu corpo pode estar interpretando o que você come da pior maneira possível

Por , em 16.01.2018

Segundo um novo estudo da Universidade de Bonn, na Alemanha, nosso sistema imunológico pode responder a uma dieta ruim, recheada de fast food, da mesma maneira que reage a uma infecção bacteriana.

Os resultados foram descobertos em experiências com ratos, e ainda precisam ser confirmados em seres humanos, mas já levantam interessantes hipóteses sobre as desvantagens que vemos na nossa saúde quando nos alimentamos mal.

O estudo

Na pesquisa, os ratos que comeram o equivalente a uma “dieta ocidental” – ou seja, uma dieta rica em gorduras saturadas, açúcar e sal, sem frutas, vegetais ou fibras – durante um mês mostraram maior número de células imunes no sangue, como se tivessem sido atingidos por uma infecção microbiana.

O aumento inesperado foi especialmente visto em granulócitos e monócitos, glóbulos brancos que apontaram os cientistas na direção de certos genes ativados pela má alimentação nos ratos – genes que contêm células progenitoras, responsáveis por acionar um exército de células imunes.

Essa “trilha genética” importa, porque estudos anteriores determinaram que essas células progenitoras possuem uma espécie de “memória” dos ataques biológicos.

Isso significa que o estado de “alarme” no corpo desencadeado pela má dieta pode se manter a longo prazo.

Consequências duradouras

Em outras palavras, uma vez que o corpo começa a reagir contra uma dieta de fast food, retornar a um regime alimentar saudável pode não ser suficiente para desfazer completamente as implicações para a nossa saúde.

De fato, quando os ratos voltaram para uma dieta regular mais saudável, após um mês, a inflamação desapareceu, mas a reprogramação genética permaneceu, e isso manteve os ratos mais sensíveis a um “ataque futuro”.

“Recentemente, descobriu-se que o sistema imunológico tem uma espécie de memória. Após uma infecção, as defesas do corpo permanecem em um tipo de estado de alarme, para que possam responder mais rapidamente a um novo ataque”, explicou um dos pesquisadores do estudo, Eicke Latz.

É normalmente uma infecção que produz tal resposta, mas nesse experimento foi a dieta de fast food. Isso significa que uma inflamação futura pode ser mais facilmente desencadeada.

Comer melhor

Se o mesmo tipo de reação vista nos ratos acontecer dentro de nossos corpos, é mais uma evidência do vínculo entre uma dieta pouco saudável e problemas de saúde, como diabetes tipo II, obesidade e condições cardíacas.

Os cientistas também identificaram um “sensor de má alimentação” dentro das células imunológicas dos ratos. Um sistema de sinalização chamado inflamassoma NLRP3 parece ser o “fiscal” que atenta para este tipo de mudança na dieta, embora os pesquisadores ainda não entendam como isso funciona.

De acordo com os cientistas, as novas descobertas são muito relevantes para a sociedade. “Os fundamentos de uma dieta saudável precisam se tornar uma parte muito mais importante da educação do que são atualmente. Devemos capacitar as crianças a tomar decisões conscientes sobre seus hábitos alimentares”, advoga Latz.

A pesquisa foi publicada na revista científica Cell. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,91 de 5)

Deixe seu comentário!