Shinobi Spirit – heróis hipermidiáticos em ação

Por , em 14.09.2014

Shinobi Spirit – uma festa para todos reunir

Concebido em 2008 pela iniciativa de Rogerio Ramos (Nanael) o  Shinobi Spirit surgiu com o intuito de reunir fãs da cultura pop japonesa.

Com o crescente sucesso, o evento passou a abrigar também fãs clubes e cultores de RPG e outros grames, animes e outra obras cinematográficas e de TV, peças literárias,  cosplay, artes marciais, mangás e outros quadrinhos, dança e música, etc.

Nessa segunda edição de 2014 que ocorreu nos dias 13 e 14 últimos a convenção contou com a participação de vários destaques do universo pop tais como os youtubers Cauê Moura, Metaleiro e Mussoumano.

Com a parceria da Octopus School of Design Games essa segunda edição da convenção foi realizada também no Espaço Torres da Avenida Kennedy em Curitiba.

Foram instalados vários ambientes temáticos, incluindo estandes de tiros de arco-e-flecha e dois palcos onde rolavam Shows simultâneos, workshops, concursos e muita diversão.

Como autor convidado da VBC TELECOM e da OPUS CURSOS pude conferir pessoalmente a alegria contagiante, tanto do público quanto dos organizadores.

Fizemos a divulgação do projeto PRÉ-ENEM EUREKA e também de meu livro de contos A COR DA TEMPESTADE e pudemos contar com a cobertura da FERNANDES & MENDONÇA SOM E IMAGEM, que nas palavras de seu diretor técnico Mario Mendonça  “já está se transformando em uma empresa especializa em cobrir eventos do universo Nerd, Geek e Otaku”- já é o terceiro evento só esse ano.

hipercronicas shinobi spiriti 24

E esse universo fornece um material e tanto.

Principalmente pelo destaque dado ao COSPLAY que merece um capítulo à parte.

COSPLAY que deriva da expressão em inglês “costume play” pode ser entendida como “representação de personagem a caráter” e quer significar, nesse universo cultural, muito mais que simplesmente “trajar uma fantasia”.

Por essa razão COSPLAY tem sido utilizada no original como neologismo para referir-se a uma atividade lúdica e artística praticada principalmente — porém não exclusivamente — por jovens e que consiste em “vestir a pele” de algum personagem que pode ser real, como personagens históricos, por exemplo — ou ficcional — como aqueles extraídos de filmes, animes, mangás, comics, peças literárias, videogames, etc.

O praticante dessa arte é denominado de COSPLAYER e carrega em sua performance a intenção dramática, crítica ou humorística da interpretação e vivência do personagem, caracterizando-se assim como uma forma de expressão.

Questionados pelos motivos que estão levando um público cada vez maior a aderir à prática desse hobby muitos especialistas teorizaram buscando razões na psicologia da educação e na filosofia.

Uma das explicações recorrentes, consoante aos trabalhos de Campbell e Jung,  aponta a existência no inconsciente coletivo da necessidade humana de cultuar o herói e indiretamente valorizar a sua nêmesis: pois nenhum herói prova seu valor sem o contraponto de uma vilania a altura de seu heroísmo.

Mesmo com os diversos estudos e teses sobre o tema é fácil entender o porquê do crescimento vertiginoso do número de praticantes do COSPLAY no Brasil e no mundo:

— Simplesmente por que é divertido.

Mantendo esse tom eu recordo Nietzsche:

— A arte existe para que a realidade não nos destrua.

hipercronica shinobi spiriti 01 hipercronica shinobi spiriti 02 hipercronica shinobi spiriti 03 hipercronica shinobi spiriti 08 hipercronicas shinobi spiriti 12 hipercronicas shinobi spiriti 13 hipercronicas shinobi spiriti 15 hipercronicas shinobi spiriti 25 hipercronicas shinobi spiriti 28 hipercronicas shinobi spiriti 29 hipercronicas shinobi spiriti 30 Rogerio Ramos

 -o-

[Leia os outros artigos  de Mustafá Ali Kanso  publicado semanalmente aqui no Hypescience. Comente também no FACEBOOK – Mustafá Ibn Ali Kanso ]

-o-

LEIA A SINOPSE DO LIVRO A COR DA TEMPESTADE DE Mustafá Ali Kanso

[O LIVRO ENCONTRA-SE À VENDA NAS LIVRARIAS CURITIBA E SPACE CASTLE BOOKSTORE].

Ciência, ficção científica, valores morais, história e uma dose generosa de romantismo – eis a receita de sucesso de A Cor da Tempestade.

Trata-se de uma coletânea de contos do escritor e professor paranaense Mustafá Ali Kanso (premiado em 2004 com o primeiro lugar pelo conto “Propriedade Intelectual” e o sexto lugar pelo conto “A Teoria” (Singularis Verita) no II Concurso Nacional de Contos promovido pela revista Scarium).

Publicado em 2011 pela Editora Multifoco, A Cor da Tempestade já está em sua 2ª edição – tendo sido a obra mais vendida no MEGACON 2014 (encontro da comunidade nerd, geek, otaku, de ficção científica, fantasia e terror fantástico) ocorrido em 5 de julho, na cidade de Curitiba.

Entre os contos publicados nessa coletânea destacam-se: “Herdeiro dos Ventos” e “Uma carta para Guinevere” que juntamente com obras de Clarice Lispector foram, em 2010, tópicos de abordagem literária do tema “Love and its Disorders” no “4th International Congress of Fundamental Psychopathology.”

Prefaciada pelo renomado escritor e cineasta brasileiro André Carneiro, esta obra não é apenas fruto da imaginação fértil do autor, trata-se também de uma mostra do ser humano em suas várias faces; uma viagem que permeia dois mundos surreais e desconhecidos – aquele que há dentro e o que há fora de nós.

Em sua obra, Mustafá Ali Kanso contempla o leitor com uma literatura de linguagem simples e acessível a todos os públicos.

É possível sentir-se como um espectador numa sala reservada, testemunha ocular de algo maravilhoso e até mesmo uma personagem parte do enredo.

A ficção mistura-se com a realidade rotineira de modo que o improvável parece perfeitamente possível.

Ao leitor um conselho: ao abrir as páginas deste livro, esteja atento a todo e qualquer detalhe; você irá se surpreender ao descobrir o significado da cor da tempestade.

[Sinospse escrita por Núrya Ramos  em seu blogue Oráculo de Cassandra]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!