Transplante de rosto: o maior já feito é um sucesso

Por , em 17.11.2015

O Centro Médico Langone, da Universidade de Nova York, nos EUA, realizou com sucesso o transplante de rosto mais extenso hoje, estabelecendo novos padrões neste campo emergente.

O paciente

Pela primeira vez, um transplante de rosto foi realizado em um socorrista – Patrick Hardison, 41 anos, um bombeiro voluntário que sofreu queimaduras no cumprimento do dever.

A cirurgia começou na manhã de 14 de agosto e terminou 26 horas depois, na manhã do dia 15. Uma equipe de mais de 100 médicos, enfermeiros, técnicos e pessoal de apoio, liderada por Eduardo D. Rodriguez, professor de cirurgia plástica reconstrutiva, trabalhou em duas salas de operação adjacentes para completar os procedimentos.

Patrick lesionou-se em setembro de 2001, quando entrou em uma casa em chamas e o teto desabou sobre ele. O bombeiro perdeu suas pálpebras, orelhas, lábios, a maioria de seu nariz e seu cabelo, incluindo as sobrancelhas.

Depois de suportar mais de 70 cirurgias em Mississippi e em outros lugares, Patrick não foi capaz de retornar a uma vida normal. O Dr. Rodriguez, que anteriormente havia feito um transplante de rosto complexo em 2012, era sua melhor chance.

A operação de transplante de rosto

A equipe da Universidade de Nova York transplantou não apenas o rosto, mas também todo o couro cabeludo em Patrick.

A cirurgia representou muitos avanços para a tecnologia, incluindo o transplante de orelhas e canais auditivos, o transplante de estruturas ósseas seletivas do doador, incluindo partes do queixo, bochechas e todo o nariz, e o uso avançado de modelagem tridimensional, modelagem computadorizada e guias 3D de cortes específicos para fornecer “encaixes” mais precisos do esqueleto.

O transplante das pálpebras do doador e de mecanismos para piscar foram particularmente importantes para o sucesso da operação. Patrick estava em perigo de perder a visão e era incapaz de realizar tarefas diárias como dirigir um veículo. Piscar permite que o corpo hidrate adequadamente e limpe os olhos, a fim de prevenir infecção e preservar a visão.

Patrick deve seu novo rosto ao doador David P. Rodebaugh, um artista e ciclista de 26 anos que morreu tragicamente de ferimentos sofridos em um acidente. Seus parentes honraram seu desejo de ser um doador de órgãos e não apenas seu rosto, bem como seu coração, fígado e rins salvaram outros destinatários, além de serem oferecidos para a pesquisa.

Grande sucesso

Dentro das últimas horas de cirurgia, os sinais de sucesso já eram evidentes. A nova face de Patrick, particularmente seus novos lábios e orelhas, começaram a pegar cor, indicando que a circulação havia sido restaurada.

O cabelo no couro cabeludo, assim como a barba no rosto, começaram a crescer imediatamente. Ele também foi capaz de usar as pálpebras e de piscar no terceiro dia de recuperação, quando o inchaço diminuiu. Patrick conseguiu sentar dentro de uma semana.

Agora, apenas três meses depois da cirurgia, o paciente está rapidamente voltando para as rotinas da vida diária de forma independente.

Apesar do sucesso do transplante, como parte de sua recuperação, Patrick continua a passar por extensa terapia de reabilitação para reconstruir a sua força e resistência, bem como restaurar e melhorar sua capacidade de falar e engolir corretamente. Além disso, como todos os pacientes transplantados, ele terá de fazer uso de medicação pelo resto de sua vida, para evitar rejeição das suas novas partes. [ScienceDaily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!