Tudo o que sabemos sobre emagrecimento e obesidade está errado

Por , em 7.02.2013

A obesidade é um tema atual que tem aparecido muito na mídia. Todo mundo parece saber que estar acima do peso pode causar diversos males a saúde.

Todo mundo também sabe como ganhar peso, e como perdê-lo. Ou não. Pelo menos é o que sugere um estudo publicado recentemente no New England Journal of Medicine, que aponta que “tudo que sabemos” sobre obesidade e perda de peso é errado.

Que precisamos fazer alguma coisa a respeito da obesidade, é verdade. Mas é verdade também, porém, que muitos dos conselhos médicos dados acabam sendo confusos ou errôneos.

O Dr. Aaron E. Carroll, professor associado de pediatria na Escola de Medicina da Universidade de Indiana (EUA), por exemplo, comenta que disse às pessoas que fazer pequenas mudanças sustentáveis de estilo de vida era a melhor maneira de perder peso ao longo do tempo. “Acontece que fazer tais mudanças, como decidir caminhar um quilômetro por dia por cinco anos, resulta em muito menos perda de peso do que o esperado”, explica.

Dr. Carroll diz ainda que lecionava as pessoas sobre a importância da educação física nas escolas. No entanto, estudos mostram que a falta de atividade física na escola não é o que torna as crianças obesas ou com sobrepeso.

Ele também sempre defendeu a perda de peso lenta e constante, pois é melhor a longo prazo do que a perda de peso rápida. Ainda acreditava que a definição de objetivos irrealistas podia, na verdade, acabar sabotando os esforços das pessoas.

“Então, imagine minha surpresa ao descobrir que existem novas evidências de que metas ambiciosas são uma coisa boa, e que a perda rápida de peso não é menos provável de ser mantida a longo prazo”, conta.

Você já deve ter ouvido falar que comer bem no café da manhã é uma boa ideia quando você está tentando perder peso, porque evita que você coma em excesso mais tarde. Mas dados científicos mostram que não há nenhum “efeito protetor” de comer café da manhã.

Também já alegaram que comer mais frutas e vegetais é uma ótima maneira de perder peso. No entanto, diz o Dr. Carroll, estudos mostram que comer mais frutas e vegetais sem fazer outras alterações comportamentais não resulta em qualquer perda de peso.

Por fim, pesquisas também já apontaram que beliscar entre as refeições podia levar ao ganho de peso. Muitos outros estudos, entretanto, não acham tal ligação. Em geral, as pessoas compensam esses lanchinhos durante o resto do dia. Em outras palavras, não é necessariamente ruim lanchar fora do horário das refeições habituais.

Então, tudo o que pensávamos que era melhor, não é. Ou talvez não seja. E agora? O que fazer?

O que é irrefutável

Não se sinta condenado; estudos também mostram que você pode perfeitamente superar fatores genéticos e familiares e perder peso.

Eles também mostram que a atividade física pode ajudar com significativa perda de peso, e tem a vantagem adicional de te deixar mais saudável em geral.

Reduzir a ingestão de calorias funciona também, no geral, especialmente se a redução for feita de uma maneira que mude seus hábitos alimentares globais. Para alguns, a cirurgia bariátrica também dá incríveis resultados gerando uma mudança de vida.

Outro ponto a favor da perda de peso é envolver toda a família. Pesquisas mostram que o apoio pode ser muito importante para essa conquista.

Dr. Carroll conta, por exemplo, que nos últimos cinco anos, ele e sua esposa perderam peso juntos. “Agora que olho para trás, se vou ser honesto sobre isso, digo que perdi peso em diferentes períodos, ‘explosões’ de perda de peso em alguns meses aqui e ali, cada vez ganhando menos do que eu tinha perdido”, conta.

Carrol afirma que seu café da manhã é composto por apenas um café. Ele também almoça sempre comidas leves, como saladas, e janta geralmente uma refeição caseira saudável com a família. “Minha esposa está cozinhando mais do que costumava e está obcecada em encontrar maneiras de tornar as refeições mais saudáveis”, diz.

Ele também evita frituras quase inteiramente, e nem consegue se lembrar da última vez que comeu em um restaurante fast food. Por fim, vai para a academia duas a três vezes por semana.

“Eu não digo tudo isso porque acho que é o que você deve fazer, ou porque acho que é a chave para perder peso. Digo-lhe isto porque mais e mais eu acho que o caminho para a perda de peso sustentável é um caminho muito pessoal e individual. Talvez o nosso problema seja que estamos tentando encontrar uma solução que sirva para tudo e todos. Eu não tenho certeza de que tal coisa existe”, opina.

A dica, então, é procurar o que dá certo para você. Mas o alerta maior, deixado pela conclusão do novo trabalho científico, é a prevenção.

“A melhor maneira de combater a obesidade é evitá-la em primeiro lugar. Isso tem que começar quando as crianças são jovens, e é uma viagem ao longo da vida. Uma coisa que duvido que será provada falsa um dia é que é muito mais fácil não ganhar o peso em primeiro lugar do que perdê-lo mais tarde”, conclui Dr. Carroll.[CNN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

7 comentários

  • petrolina:

    eh só retorna r a comer como mamae fazia , comer alimentos e nao produtos alimenticios industrializados.

  • Natã Targina:

    É só não exceder os VDR (valores diários de referência)…
    Se vc consome mais que 2000 kcal, e não faz exercícios físicos, vc vai sim ficar obeso(a)… E se vc insiste consumir tanto assim, mas não tem tendência a engordar, vc contrai Diabetes.

    É só parar com a gula e comilança…. E afinal, calcular o tanto que vc come todos os dias, segundo os VDR.

    É tão simples!…

  • Caio Skunk:

    Comida saudável e exercicios fisicos..não tem segredo..

  • samuel alencar:

    Alimentação inadequada e sedentarismo contribuem acentuadamente para obesidade.

  • Dinho01:

    Eu só acho que estas pesquisa deveriam ser divulgadas com mais cuidado porque senão fica uma coisa desmentindo a outra.

  • Maria Jose Caramori:

    é…. estou voltando aos bancos escolares justamente para estudar a fisiologia do corpo humano através da homeopatia e talvez encontre uma resposta, Pretendo me especializar na área e quando sentir que tenho confiança….poderei talvez contibuir para o autoconhecimento que acredito piamente ser a chave individual do que acontece na disfunções. Nao gosto da palavra doença pois me remete “transtornos inventados”…..

  • Lucas Noetzold:

    Nosso corpo está em processo de adaptação até a idade de ~14 anos, de forma que quando uma criança passa fome cria tendência a aproveitar mais os alimentos, assim tendo facilidade para engordar mais tarde. Então pais de por favor prestem a atenção: não façam regimes e rotinas de exercícios grandes em crianças até tal idade, pois isto somente irá dificultar a vida desta mais tarde.

Deixe seu comentário!