Universo resfriando como a Teoria do Big Bang previu

Por , em 24.01.2013

Astrônomos usaram o Telescope Compact Array da CSIRO (Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation – Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth), próximo a Narrabri, Austrália para medir a temperatura de uma nuvem de gás e poeira a uma distância que corresponde aproximadamente à metade da idade do universo.

Basicamente, o que eles fizeram foi encontrar um gás em uma galáxia a 7,2 bilhões de anos-luz de distância. Estando afastada de estrelas e outras fontes de calor, a única coisa que aquece esta nuvem é o calor do Big Bang, o mesmo da radiação cósmica de fundo.

Por sorte, há um quasar, PKS 1830-211, por trás da nuvem de gás. Ondas de rádio do quasar atravessam a nuvem, interagindo com suas moléculas. O resultado é uma mudança no espectro luminoso do quasar – parte da energia é absorvida.

Esta marca deixada no espectro luminoso é usada para calcular a temperatura da nuvem de gás. O valor encontrado foi de 5,08 Kelvin, ou -267,92 °C. Uma temperatura extremamente baixa, mas mais quente que o universo atual, que está a 2,73 K, ou -270,27 °C.

130123101622-large

De acordo com a Teoria do Big Bang, a temperatura da radiação cósmica de fundo cai suavemente conforme o universo expande. É exatamente isto que foi visto nas medições – poucos bilhões de anos atrás, o universo era poucos graus mais quente que hoje.

O trabalho, “A precise and accurate determination of the cosmic microwave background temperature at z=0,89” (“Uma medição precisa e exata da temperatura da radiação cósmica de fundo em z=0,89” em tradução livre), foi aceito para publicação no periódico Astronomy & Astrophysics. [Science Daily, CSIRO, arXiv]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

28 comentários

  • Andre Luis:

    Faz sentido este efeito de resfriar, considerando o Big bang.

  • Alberto Campos:

    Jonatas / 25.01.2013
    Não o critico. você pode estar com a razão. Quanto eu afirmar uma coisa e acontecer, isto já aconteceu. O blog foi iniciado em 2007 com uma notícia fantástica: “O universo gira”. Só que em 2008 eu soube que o astrônomo Paul Birch disse que o universo além de se expandir, girava em torno de seu eixo. Sua teoria, com comprovações matemáticas, foi descartada pela NASA. Isto aconteceu na década de 80. Ele foi esquecido e nunca mais se ouviu falar nele (acredito que tenha falecido). Agora redescobriram que o universo realmente gira e ninguém falou que ele já tinha disto isso. Em 2007 eu falei e acrescentei que o universo não se expandia e apenas girava. Ninguém tomou conhecimento e nem tomará. Muitas coisa do meu blog, já consegui confirmações. Qualquer dia um astrônomo lança as minhas idéias e fica o dito pelo não dito. Não estou atras de reconhecimento, se não, não estaria escrevendo nestas colunas, não lidas pelos feras da astronomia.

    • Thiago André Monteiro:

      Explica mais dessa teoria que o universo gira ai

  • Afonso Do Carmo:

    Penso que o conhecimento científico do universo ainda é ínfimo, diante da sua grandeza.
    A ciência ainda está engatinhando nestas questões.
    Sobre as descobertas da Mecânica Quântica há muito de verdade, que inclusive já foi colocada em prática. As bombas de Hiroshima e Nagasaki deixaram isso bastante claro e indubitável para o mundo todo, incluindo cientistas e leigos,
    Acontece, porém, que chegou-se a um limite dificílimo de se transpor.
    As deduções da Teoria das Supercordas, p. ex., são feitas de maneira indireta porque não existem instrumentos com a precisão necessária para a experimentação direta no nível mais elementar da partícula.
    Mas o melhor da ciência é exatamente isso: a incerteza quanto ao que se descobrirá no futuro.
    Tem aquele adágio que diz: “o que move o mundo não são as respostas; são as perguntas.”
    Isso simplifica tudo. E aí está beleza da coisa.
    Há poucos séculos a terra era só uma superfície plana que estava bem no centro do universo, com tudo o mais girando em torno dela…

  • Duda Weyll:

    Eu tenho a impressão que muitas pessoas creem apenas no tátil, visível e sensível geral dos limites humanos, feito São Tomé, o problema é que a biologia humana se desenvolveu pra interagir com grandeza terrenas estritas pra sobrevivência, o campo de percepção dos nossos sentidos é muito curto, então fica complicado pra essas pessoas com baixa instrução de Física compreenderem os registros de onda e a relação direta com todo o fenômeno… Paciência.

  • Francisco Assis Gurgel Gurgel:

    concordo com colega Mlink Seap muita especulação nisso ai, grandezas do universo envolve muitos mistérios, quem vai desvendar alguma coisa e o telescópio James Webb, quando for colocado em orbita.

  • Alberto Campos:

    Eu já estou cansado de ler artigos sobre o big bang. Conheço muito bem esta teoria e não concordo com o que ela fala. Veja na internet:“Astrônomos dizem que o Universo gira como um Carrossel desde o Big Bang”. Se ele gira, tem um eixo e se tem um eixo, tem um centro e tem borda. Não estou inventando nada. Está tendo muitas novidades por aí. Temos que começar a concordar com as mudanças. Quem sabe se Einsten esteja errado. Aguardemos as novidades.

    • Sergio Neves:

      Einsten errado?você certamente está certo .

    • João Thiago Rodrigues:

      o maior erro q Einsten fez na sua carreira científica foi negar o Big Bang. SIM! Einsten morreu acreditando que o universo não se expandia. Ele estava errado.

  • luysylva:

    então a teoria do Big Rip, estará certa isso isso ser confirma mesmo.

    • Jairo R. Morales:

      @luysylva

      Talvez, mas também é uma prova da hipótese do “Big Freeze”: Com o conhecimento atual, acredito que duas coisas podem acontecer.

      a) O universo se expandir até o ponto de congelar, mas não se desintegrar.

      b) O universo se expandir até o ponto de congelar, e depois se desfazer em pedaços.

    • luysylva:

      é uma hipótese boa colega online.
      eu fico com a letra (A) agora é só espera uns trilhões de anos luz,e que minha consciência volte nessa época, ser a reencarnação existe é claro.

    • Rammyres Pereira:

      Ainda assim o universo pode voltar a se contrair, se algum dia a gravidade superar a constante cosmológica. Alguns cientistas ainda apostam que a aceleração do universo é a parte inicial de uma curva, que acabará com uma contração final, o Big Crunch

    • Jairo R. Morales:

      @Rammyres Pereira:

      É uma possibilidade também, mas até então o que se tem mostrado é que a energia repulsiva da “energia escura” estaria ganhando a disputa com a gravidade: Quanto mais o universo se expande, mais improvável se torna a hipótese do Big Crush.

      Talvez tenha sido publicado algum estudo que reforce a idéia, caso alguém conheça peço que me mande o link para que possa dar uma olhada.

  • Alberto Campos:

    Não é bem assim. Que o universo está se esfriando, não resta dúvida. Ele começou quente e pequeno.Foi crescendo e se esfriando em seu interior. Foi crescendo e seu interior se afastando da periferia. Só que esta periferia não se esfriou. Continuou quente e cada vez mais distante do centro e se afastando. Esta periferia continua quente e gerando matéria que contribui para o crescimento do universo e segue assim infinitamente. Está confuso? Então leia o blog: “Olhando o Universo”, para entender melhor.

    • Cesar Grossmann:

      Não há “periferia” do Universo. O Universo não tem centro nem bordas.

      Está confuso? Estude a Teoria do Big Bang para entender melhor.

    • MIG10:

      Ateus e suas teorias…Fiquem frio.

    • Andrew Feitosa:

      Crentes e suas ilusões… Fiquem iludidos.

    • MIG10:

      Melhor uma vida de ilusão com um final feliz do que uma vida de teorias sem encontrar um bom final.

    • MIG10:

      Monkey,

      Aquilo que você pensa ser contrário, é examente a mesma coisa.
      Não acreditar na ilusão e fábula tranquilizadora é abraçar uma dura verdade, esta verdade não conseguimos ainda vê-la plenamente com nossos olhos, mas um dia todos haveremos de ver.
      Já pensou nisso?

    • Jonatas:

      Cada um, cada um… mas eu recomendaria evitar as clássicas discussões desnecessárias as quais uma provocação, ou uma simples “cutucadinha” como essa, podem levar. O trocadilho ficaria mais bem colocado com o Universo, já que esta é a tese na reportagem. 😉

    • Monkey:

      MIG10, Já eu penso justamente o contrário, é melhor abraçar uma verdade dura, do que uma fábula tranquilizadora.

    • Jonatas:

      Cesar, a do Campos é uma aposta confortável, mesmo com a improbabilidade de ele estar certo: Se nunca acontecer nada que contrarie a teoria do Big Bang, ele será só um comentarista com ideias diferentes sem embasamento cientifico, o que é exatamente agora e não lhe traz qualquer problema significativo, até consegue chamar atenção, mesmo que negativamente. Já se algo que for descoberto contrariar a teoria vigente e precisar de revisões, aí ele poderá se gabar de “Viram? EU estava certo!!! Eu disse!!!”. Em fim, pseudocientistas vivem de esperar as dúvidas.

    • Sidnei Ribeiro de Moraes:

      A teoria do big bang foi elaborada por um padre (o belga George Lemaitre, batizada por um ateu, Fred Hoyle (cientista muito “fraquinho” diga-se de passagem)e plagiada por um astrofísico de última hora chamado Edwin Hubble. Einstein disse a Lemaitre que a matemática dele era boa, mas a Física, horrível (Einstein ainda acreditava num universo estático na época). Enfim, teremos de reviver o demônio de Maxwell para descartar a morte térmica do universo? Tem de ter muita fé para acreditar no universo criado a partir do nada (como querem os ativistas do ateísmo, o químico Peter Atkins e o físico Lawrence Krauss (como se o nada existisse…pressão zero existe? zero absoluto é possível? Nem matematicamente, nem experimentalmente), teoria das cordas (vibrações “quânticas” produzindo partículas…evidências? Nenhuma), gato de scroedinger, para explicar que duas coisas antagônicas podem existir ao mesmo tempo, dependendo do observador, multiversos… enfim, tem de ter muito mais fé do que qualquer religioso…mas respeito e aceito o direito que todos tem de acreditar no que bem entenderem, desde que não queiram impor suas “crenças” aos demais. Mas é importante ouvir a argumentação de todos. Sabemos que contra fatos não há argumentos, mas estão sobrando argumentos e faltando fatos…e ainda tem aqueles que dizem: se os fatos não concordam com meus argumentos, pior para os fatos…

    • Jairo R. Morales:

      @Sidnei Ribeiro de Moraes:

      “Enfim, teremos de reviver o demônio de Maxwell para descartar a morte térmica do universo?”

      A morte térmica do universo é uma hipótese que está baseada na 2° Lei da Termodinâmica – um dos conceitos da físicas mais solidos – que apenas recentemente (Vide: https://hypescience.com/cientistas-alcancam-uma-proeza-impossivel-temperatura-abaixo-do-zero-absoluto/) foi colocada em “dúvida” pelos pesquisadores.

      Assim sendo, não é algo totalmente sem fundamento cientifico.

      “Tem de ter muita fé para acreditar no universo criado a partir do nada.”

      Como já foi debatido diversas vezes aqui no Hypescience, não existe essa de “nada absoluto” na natureza: Mesmo no vácuo do espaço EXISTE alguma coisa, ainda que minúscula.

      Penso que não se trata de ter “fé” ou querer acreditar em algo, mas é o que os últimos estudos e experimentos têm apontado. (Vide: http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=confirmado–a-materia-e-resultado-de-flutuacoes-do-vacuo-quantico&id=010130081125)

      “(…) teoria das cordas (Vibrações “quânticas” produzindo partículas… evidências? Nenhuma)”

      Como na matéria cita acima, tudo indica que a “matéria” que conhecemos seja os resultados de flutuações quânticas no vácuo. Já se tratando da Teoria das Cordas, reconheço que ela até agora não apresentou nenhuma prova concreta.

      “(…) enfim, tem de ter muito mais fé do que qualquer religioso…”

      Concordo, principalmente no campo de física TEÓRICA: A física teórica é como a filosofia, cria conceitos e idéias que mais tarde podem ou não serem confirmadas pela física experimental. Essa sim, sendo a responsável por colocar um “ponto final” em qualquer assunto.

      Então, não há nada de errado em se ter um pouco de “Fé” nesse caso. 😉

  • epinha:

    Informações mais detalhadas podem ser obtidas aqui http://scienceblogs.com/startswithabang/2013/01/23/when-the-universe-was-twice-as-hot/

Deixe seu comentário!