Petrobrás usa submersível para resgatar peixe enorme preso [vídeo]

Por , em 30.06.2011

Recentemente, uma equipe que trabalha alegadamente nas plataformas da Petrobrás (não temos certeza) fez um gesto muito bonito: salvou um peixe que estava preso em seus equipamentos.

Ao descerem a principal estrutura de válvulas de abertura e fechamento de um poço de petróleo, há muitos metros de profundidade, eles perceberam uma grande instabilidade. Pararam a descida da válvula, e redirecionaram um submarino robô (que já teve outros “companheiros” antes, como esta lula gigante) para observar por vídeo o que estava acontecendo.

Qual não foi a surpresa da equipe quando se depararam com um imenso marlim, peixe que calcularam ter, em média, 250 quilos, “preso” na estrutura que, mesmo tão pesada, estava totalmente instável em função do tamanho do animal que se debatia.

Como parece “história de pescador”, o engenheiro da equipe pediu a eles que filmassem o resgate do peixe. Assim, vocês podem conferir a façanha aqui:

Agradecimento: ao Fabinano Collela, da lista Dive-Net, pela dica.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

10 comentários

  • Danilo:

    Levendo em conta a forma irregular de nadar do peixe, ele parece estar doente e morrendo, por isso é possível que ele tenha se prendido ali buscando uma forma de sustentação! Reparem a forma irregular que ele nada. Se algum especialista atestar que essa espécie nade assim mudarei de idéia, mas pelo que conheço do mundo marinho esse animal deve ter morrido de qualquer forma.

    • Pina50:

      Vi um comentário em outro site que se trata de um espadarte e não merlin, o Espadarte tem uma característica ele só nada para frente e não nada para trás. Por isso a insistência dele em só ir para frente. abçs.

    • Vitor Bugulin:

      Só faltou foi um revestimento com borracha nas pinças do robô para não ferir o peixe,mas foi legal este resgate,parabéns a toda equipe pelo excelente trabalho.

  • Charles:

    Prezados,
    esse video não foi feito em campo pertencente a Petrobras. Se repararem na parte superior do video tem o nome da empresa dona do “submensível” (conhecido como ROV) e o nome do campo Pluto Field. O campo pertence a empresa Woodside e fica na costa da Austrália.

    • Frederico Augustos:

      Não dá pra tirar como base os nomes dos submersíveis não, da uma olhada nesse vídeo.

      http://youtu.be/ksWUnQ48O60

  • Kamus Hadenes:

    Pobre peixe, o braço do robô machucou ele, mesmo o operador parecendo ter sido bem cuidadoso. E é verdade, se não estivesse causando problemas, muito provavelmente teriam deixado o peixe lá.

  • Ze da Feira:

    Só o salvaram porque ele tava com aquele bição dele perto de um de mangueiras a ponto de romper alguma, senão eles não estariam nem aí pru peixe. Por falar nisso dalhe dalhe peixe , para bens pros santistas pela conquista da libertadores.

    • Cláudio:

      ???????

      Aff maria hahahaa

  • jean:

    marlim é o nome do pai do Nemo 😀

Deixe seu comentário!