Se você acha que gatos são antissociais é possível que você esteja sendo um babaca

Por , em 23.01.2019

Todo mundo tem uma opinião sobre gatos: há os que dizem que os bichanos são carinhos e sensíveis, enquanto outros dizem que são interesseiros e muito independentes. Uma pesquisa da Universidade do Estado de Oregon (EUA) sobre comportamento de gatos quis colocar um ponto final nessa discussão. Afinal de contas, gatos gostam de atenção e retribuem o carinho ou são antissociais?

Na pesquisa, pessoas passaram um tempo com gatos que vivem com seus donos em casa e com gatos que vivem em abrigos. “Nos dois grupos, vimos que os gatos passam muito mais tempo com pessoas que dão atenção a eles do que com pessoas que os ignoram”, diz Kristyn Vitale, autora principal do trabalho, que foi publicado na revista Behavioral Processes.

O resultado não surpreende quem tem gatos em casa e que está acostumado com eles, e também não surpreendeu Vitale, que já havia feito uma pesquisa anterior que concluiu que quando os gatos têm as opção de escolher entre comida, brinquedo ou atenção do dono, eles preferem a atenção.

Mas a ideia de que os gatos percebem nosso comportamento e reagem a ele ainda não foi muito pesquisada. Poucas pesquisas focaram nas relações sociais de gatos com pessoas. Isso pode acontecer por conta da ideia incorreta de que o gato não é uma espécie social.

Experimento


O estudo envolveu dois experimentos com 46 gatos. No primeiro, voluntários se sentavam no chão de uma sala de um abrigo para animais com um gato desconhecido. 23 gatos participaram desta fase. Na segunda fase, que envolveu outros 23 gatos, eles ficavam em uma sala de sua própria casa, na companhia de seus donos.

Durante dois minutos, a pessoa ignorava o gato, mas depois dava atenção a ele por outros dois minutos. A pessoa podia chamar o gato e fazer carinho quando ele se aproximava.

Em média, os gatos passavam muito mais tempo perto do humano quando recebia atenção. Os gatos do abrigo, porém, passavam mais tempo interagindo com a pessoa que não dava atenção a eles. Vitale acredita que eles estavam carentes por estar no abrigo. Os felinos do abrigo que participaram do estudo estava abrigados ali entre três dias e 455 dias.

Animais territorialistas


Outro pesquisador especialista em comportamento de gatos, John Bradshaw da Universidade de Bristol, acredita que a diferença de comportamentos entre os dois grupos pode ter acontecido por conta do ambiente, já que gatos são territorialistas. “Gatos se comportam de formas diferentes dependendo se eles conhecem o lugar onde estão”, disse ele ao Science Alert.

Mesmo assim, o estudo mostrou que cada gato tem sua personalidade, assim como as pessoas, mas que de forma geral eles são bastante amigáveis. Essas diferenças de personalidades acontecem por causas genéticas, experiências com humanos nas primeiras semanas de vida e no aprendizado na adolescência.

Conclusões


As conclusões para quem tem gatos é que vale a pena dar o primeiro passo e dar atenção para o bichano, porque ele definitivamente percebe quando o humano está prestando atenção nele ou não.

“Acho que tem essa ideia de que cães são de um jeito e gatos são de outro. Mas tem muitas variabilidades nessas duas populações”, diz a pesquisadora. [Science Alert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (34 votos, média: 4,62 de 5)

Deixe seu comentário!