Cientistas mais perto de detectar a partícula bóson de Higgs

Publicado em 25.07.2011

O Grande Colisor de Hádrons (LHC) captou tentadoras flutuações que podem – ou não – ser indícios da cobiçada partícula bóson de Higgs.

Os cientistas ainda pedem cautela sobre esse evento, porque partículas semelhantes já haviam sido detectadas apenas para serem desmascaradas após análise mais aprofundada.

De qualquer maneira, se a partícula subatômica existe, ela não tem mais muitos lugares para se esconder. O colisor já descartou várias faixas de massa onde o Higgs poderia existir.

Os novos resultados são baseados na análise de dados produzidos pelo LHC que colide dois feixes de prótons próximos à velocidade da luz.

Um de seus principais objetivos dos experimentos do LHC é a busca de pistas do Higgs, a última peça que falta no Modelo Padrão da Física – a teoria mais aceita da física de partículas.

Sem o Higgs, os físicos não podem explicar por que as partículas têm massa. Mas, apesar dos melhores esforços dos cientistas que trabalham para detectá-lo, o bóson continua a ser uma partícula subatômica teórica.

Se o bóson de Higgs não for encontrado, os físicos terão que encontrar algum outro mecanismo para explicar de onde vem a massa das partículas, o que exigiria a mudança do Modelo Padrão.

Até o momento, a quantidade de dados recolhidos foi 20 vezes maior do que o havia sido acumulado no mesmo período do ano passado. No entanto, os experimentos – infelizmente – já excluíram uma parte muito grande da região de massa que permitiria a existência do bóson.

Os físicos acreditam que o Higgs vai muito provavelmente ser encontrado na região de baixa massa – entre 114 GeV (giga elétron-volts) e 140 GeV. O giga elétron-volts é uma unidade de energia em física de partículas, mas massa e energia podem ser comparadas por causa da equivalência de Einstein (E = MC²).

As buscas na região de baixa massa tinham pego pequenas flutuações “aqui e ali”, mas isso era esperado, pois os físicos estavam analisando pequenas quantidades através de um enorme número faixas.

Mas a coisa vai se tornando cada vez mais interessante quanto mais dados são coletados.

Um excesso mais significativo foi visto em uma massa de 145 GeV e está acima do nível de dois sigma de certeza. Outra variação foi vista na massa de 250 GeV, com um nível de dois sigma de certeza também.

Um resultado de três sigma significa que há cerca de uma em mil chances de que o resultado é atribuível a alguma peculiaridade estatística nos dados. Cinco sigma significa que há cerca de uma em um milhão de chances de que a colisão é apenas um acaso – e é o nível geralmente exigido para uma descoberta formal.[BBC]

Autor: Patricia Herman

é aspirante a jornalista, tem 21 anos e adora ler, principalmente poemas e a filosofia alemã do século XIX. Tem um único grande vício: música.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

10 Comentários

  1. Finalmente eles admitem mudar a teoria padrão. Eu acho que só assim vai ser possível desvendar vários mistérios da natureza. A matéria e antimatéria só será possivel, sem a teoria padrão, assim como os raios cósmicos.O boson de Higgs seria o terceiro.

    Thumb up 1
  2. Me lembro da minha falecida avó quando em um programa sobre a teoria da evolução-Darwin, ela a tudo ouviu em silêncio no final solta uma ´”pérola” :-ADÃO E EVA É MAIS FÁCIL…
    Que os sábios de plantão (meu filho é físico…) continuem… mesmo que seja o caminho menos fácil.

    Thumb up 13
  3. Sim… algo muito interessante e de precisão.
    LHC, o maior acelerador de partículas que já existiu!

    Thumb up 2
  4. Eu ia postar essa noticia no diHITT, desisti, pois esse jornal não tem nenhum critério ou filtragem dos comentários, e eu já avisei sobre isso. Obrigado e fiquem na paz.

    Thumb up 0
  5. O médico MARCOS SUASSUNA escreveu um livro: O BÌON, A QUINTA FORÇA E EU. Fala sobre uma partícula que muitos acham a descrição muito parecida com o Bóson. Uma leitura o formidável livro pela parte dos pesquisadores não seria má indicação.

    Thumb up 0
  6. Particularmente acho que o bóson de Higgs não existe. Tiveram que criar muitas derivadas para permitir a existência dessa partícula.

    Acho que a teoria alternativa das interações gravitacionais faz mas sentido para explicar a origem da massa.

    Thumb up 6
    • não seja por isso, existem muitos casos na ciência de teorias que pareciam perdidas, exemplo é o caso da teoria de cordas,já existiram simultaneamente 5 delas, e quando ela estava quase sendo ignorada e desacreditada se tornou algo único e conclusivo ao adicionarem a 11ª dimensão.

      Hora ou outra a partícula será encontrada…

      Thumb up 7
  7. Se quisessem mesmo saber o que é o conceito de MASSA já teriam encontrado o post do Pensador Haddammann publicado há uns 03 a 04 anos na Internet.
    “O Conceito Epistemológico de Massa” procurem aí.
    Outra coisa surpreendente é a publicação singela de uma garotas de 19 anos que explica a socio-física da Rede Google +1 mostrando a interação das pontículas nucleares mínimas.
    O site espetacular é da Shannon Ballanne.
    E mais, a garota publicou em primeira mão a fotografia da entrada do núcleo de um átomo, imagem de raríssima beleza.
    Essa é genialmente arrojada.
    Sorte pra você, guria.

    Thumb up 5

Envie um comentário

Leia o post anterior:
black-hole-quasar-water-cloud
Astrônomos encontram a maior massa de água do universo

Os astrônomos descob...

Fechar