Excitantes experiências para fazer na feira de ciências (ou em casa)

Publicado em 3.08.2008

limão pilha experimento

Estes experimentos são alguns dos mais simples do mundo e vão permitir horas de diversão garantida com seus amigos e impressionar muito seus professores. Você também poderá detonar os seus colegas na próxima feira de ciências.

ALERTA: Caso você seja menor de idade ou tão burro que não consegue acender um fósforo sem perder uma sobrancelha, faça os experimentos a seguir apenas com a supervisão de um adulto.

Deixe sugestões de outros experimentos para uma possível nova edição deste artigo.

  • Experimentos sugeridos para crianças até o ensino fundamental:
1 – A lata que implode

Esse é um clássico que muitos chegam a conhecer na escola. O que ocorre quando um recipiente com ar aquecido é colocado dentro da água fria? O ar se resfria rapidamente. Mas quando você coloca a lata de ponta cabeça na água o ar super aquecido (e super-rarefeito por causa da agitação das moléculas), ao se resfriar, passa a ocupar bem menos espaço e deixa a lata parecendo com uma uva-passa ao implodir. Experimente fazer em casa com uma lata de refrigerantes vazia uma vasilha com água e luvas grossas de cozinhar.

2 – Ovo dentro da garrafa

O princípio aqui não é muito diferente do experimento anterior, pois lida com pressão do ar. Para inserir um ovo cozido dentro de uma garrafa simplesmente coloque um papel em chamas ou fósforos dentro da mesma. Mas certifique-se de que sua garrafa tem uma boca com diâmetro suficiente para não cortar o ovo.

O ovo entra na garrafa porque o dióxido de carbono, formado pela combustão, é um gás que ocupa menos espaço do que o ar. Quando a pressão na garrafa fica menor do que a pressão atmosférica do lado de fora ela “puxa” o ovo para dentro por sucção.

Através do mesmo princípio acima você pode sugar água para dentro de uma garrafa ou copo. Quanto mais estreito o gargalo, maior é a coluna de água:

3 – Coca-cola e Menthos

Esse é um tanto manjado, mas você sabe do princípio que o faz funcionar? O açúcar age como catalisador da água com gás fazendo com que este seja liberado violentamente causando essa reação abaixo. O vídeo é um pouco longo, mas a música é muito boa.

4 – Pilha de limões

Pilhas podem ser criadas ao se inserir dois tipos diferentes de metal dentro em ácido. Limões possuem ácido cítrico. Se você inserir um prego galvanizado coberto de zinco em um lado e uma moeda de cobre do outro deve ter uma pilha. Nesse vídeo o experimento é feito com um limão siciliano, mas deve funcionar com nosso limão comum ou até com uma laranja. Isso dependerá da concentração de ácido cítrico de cada fruta.

Uma única pilha-limão possivelmente não conseguirá acender um LED, mas se você encadear meia dúzia delas é bem possível que consiga. Lembre-se sempre de conectar o pólo positivo de uma no negativo de outra, do contrário estará criando um curto-circuito. Junte uns três milhões de limões e você terá uma usina limo-elétrica.

Lembre-se que o LED deve ser conectado de maneira específica por causa do fluxo de elétrons, mas o vídeo ensina isso e mesmo quem não sabe inglês consegue entender.

Para que o experimento seja bem feito tenha à mão também eletrodos como os mostrados no vídeo, fio de cobre fino.

5 – Gelo quente instantâneo

Esse aqui não é tão simples pelo fato de que você necessita de acetato de sódio. Mas você deve conseguir comprá-lo na loja de produtos químicos mais próxima sem dificuldades. Dissolva o acetato de sódio em água quase fervente até que não possa mais ser absorvido pela água e ela fique saturada, sobrando o elemento no fundo da panela. Mexa constantemente. Quando estiver totalmente dissolvido, coloque-o em um copo de vidro. Não deixe o produto químico não dissolvido entrar no copo. Deixe-o esfriar na geladeira. Em seguida você pode fazer as mesmas experiências do vídeo e inventar as suas.

6 – O ovo que flutua e o ovo que afunda

Dois copos com água, cada um contendo um ovo. Em um deles, o ovo está no fundo do copo; no outro, está flutuando. O que há de diferente com esses ovos? Porque um flutua e outro afunda? Para fazer essa experiência, tudo que você precisa, além de dois copos com água e dois ovos crus, é sal. Encha os dois copos com a mesma quantidade de água, suficiente para cobrir o ovo. Em um deles, adicione duas colheres de sal e mecha bem até dissolver. Na água sem sal, o ovo afunda porque uma densidade maior que a água. Já a água com sal muda de densidade – fica mais densa que o ovo – e por isso ele flutua!

7 – As cores escondidas nas canetinhas

Você sabia que as cores, como o marrom e o preto, são feitas da combinação de outras cores? Para revelar as cores “escondidas”, você precisa apenas de álcool, filtro de café, um copo e canetinhas hidrocor. No copo, coloque um pouco de álcool. No filtro de café, faça um círculo ou um risco com a canetinha hidrocor. Coloque o filtro de café no copo, mas não deixe o álcool encostar na parte que você riscou com a canetinha. O filtro vai sugar o álcool, e aos poucos as cores escondidas na canetinha vão aparecer. Assista o vídeo para entender como fazer o experimento.

Nesse link você pode conferir uma maneira diferente de fazer a mesma experiência, além de saber mais sobre a técnica chamada cromatografia, que é a série de processos que separa as misturas (as cores, por exemplo).

8 – Criando areia movediça

Esse experimento é bem simples, e tudo que você precisa é de amido de milho (maisena), água e um recipiente, de preferência de vidro. Você coloca a maisena no vidro, e vai acrescentando água lentamente, misturando os ingredientes com a mão, até que a mistura adquira uma consistência como a do mel. Ao chacoalhar ou tocar na mistura devagar, ela parece líquida. Se você bater ou tocar nela com força, parece sólida. Qualquer objeto que você colocar lentamente na mistura – uma colher, por exemplo -, vai “afundar” e será difícil de ser puxado rapidamente – a mistura oferece resistência, como uma areia movediça. Na maior parte dos líquidos e dos gases, a viscosidade é independente da pressão a que são sujeitos. A água, por exemplo, não fica mais viscosa se você a apertar. Mas alguns fluidos ficam mais viscosos com a pressão, que é o caso dessa mistura.

  • Experimentos sugeridos para adolescentes (a partir do Ensino Médio):
9 – Gelando refrigerante em 3 minutos

Essa é inclusive uma boa dica para quando você quer gelar uma bebida quente rapidamente. Para tanto, você vai precisar de um recipiente onde caiba sua bebida (se for uma lata de refrigerante, por exemplo, um pote de sorvete vazio serve), álcool, água e sal. Em uma garrafa de álcool, você coloca metade álcool, metade água e um pouco de sal, e a deixa gelando. Em seguida, coloque a lata de refrigerante no pote e a cubra com a mistura. Se quiser, pode mexer um pouco. Após três minutos, seu refrigerante, antes a temperatura ambiente (cerca de 25 graus Celsius) vai estar a cerca de 4 graus Celsius, mais gelado do que se estivesse na geladeira! O álcool e o sal não deixam a água congelar, mas a mistura fica bem gelada e líquida, aumentando a superfície de contato com a bebida, e gelando-a mais rápido.

10 – O jornal super-resistente

Esse experimento fácil de fazer demonstra a força do ar. Para realizá-lo, você precisa de duas folhas de jornal, uma régua de madeira de 30 a 40 centímetros de comprimento e 5 e 8 de largura, e, se quiser quebrá-la, um martelo. Quando você coloca a régua sobre uma mesa, com apenas 3 a 5 centímetros para fora dela, se tentar bater na parte que está para fora da mesa, ela vai voar para longe, certo? Mas se você colocar duas folhas de jornal sobre a régua, alinhadas com a mesa, mesmo que bater bem forte com a mão, a régua não vai se mover. Opa! Mas duas folhas de jornal, tão fininhas, tem tanta força assim? Na verdade, é a pressão do ar sobre o papel que impede que a régua se mova. O ar empurra o jornal para baixo com força de cerca de um quilo por centímetro quadrado (para uma folha de jornal média, a resistência total é de aproximadamente duas toneladas!). No vídeo abaixo, os experimentadores usaram um martelo para quebrar a régua, que ficou paradinha por conta da pressão exercida pelo ar no jornal.

11 – Fazendo uma bússola

A bússola é um instrumento usado para orientação, que aponta sempre para o Norte. Para construir uma (embora não tão precisa), você precisa apenas de um ímã (pode ser da geladeira), uma agulha, uma rolha de cortiça ou um pedaço de isopor, uma fita adesiva e um recipiente com água. Se a cortiça ou isopor forem grandes, corte-os de forma redonda com cerca de um centímetro de altura. Magnetize a agulha passando uma de suas extremidades na parte lateral do ímã cerca de 20 vezes, sempre no mesmo sentido, mas sem fazer movimentos de ida e volta. Cole a agulha à cortiça ou ao isopor com a fita adesiva e coloque-a no vasilhame com água. A agulha deve girar e apontar para o norte. Mesmo se mexer nela, ela deve voltar para a mesma posição, ou seja, indicando a direção Norte-Sul. A experiência dá certo porque a Terra possui um magnetismo natural, que atrai os polos do ímã (ou, nesse caso, a agulha magnetizada) ao polo sul magnético, que é o Norte geográfico.

Autor: Miguel Kramer

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1.072 Comentários


    Fatal error: Allowed memory size of 67108864 bytes exhausted (tried to allocate 786969 bytes) in /home/marcelo/public_html/wp-includes/comment-template.php on line 1712